No mérito

Com o ar professoral característico com que o tucanato tenta encobrir sua desastrosa administração, o ministro do Desenvolvimento, Alcides Tápias, impôs-se a missa de aconselhar os magistrados brasileiros a não entrarem no mérito das ações contra as medidas do racionamento. Para Tápias, o racionamento é um mero dado da realidade, atribuível apenas à escassez de água. O fundamentalismo do ministro tem efeito justamente contrário e realça a importância do Judiciário para deter o descontrole do Ministério do Apagão.
A insistência na espera do milagre de São Pedro é a senha tucana favorita e simplória para fugir da obrigação de apresentar ao país um cronograma urgente de investimentos em energia. Menos do que é isso, equivale a contratar novo racionamento para 2002.
Sem perspectivas para apresentar aos brasileiros, o governo mete os pés pelas mãos também nas medidas para o presente. O avanço sobre direitos adquiridos vai apenas aumentar a resistência popular contra um governo, cujo fim precoce se transformou em ameaça a um mínimo de estabilidade. Longe de ser sacralizado, o decálogo do apagão tucano deve ser encarado pelos brasileiros como convite irrecusável para que entremos exatamente no mérito das suas propostas.

Portfólio
A falência do modelo econômico provoca situação inusitadas, como a proposta da indústria de até aumentar o percentual de energia a ser reduzido, desde que o governo compre a energia excedente pela cotação do Mercado Atacadista de Energia (MAE). Com o racionamento, o preço da energia no MAE, que já subiu 721% em cinco meses, é até sete vezes maior do que o da conta de luz das empresas. Ou seja, o tucanato transformou energia num ativo mais valioso que os papéis do governo, já remunerados por juros de pai para filho.

Roto & esfarrapado
A ameaça de ACM de fazer revelações tenebrosas sobre o governo FH deve ser entendida mais como tentativa de aumentar seu poder de barganha no seu recolhimento ao ostracismo que promessa a ser cumprida. Mais uma vez, ACM não deve fugir fiel ao velho estilo de rugir como leão e morder como gatinho sem dente. O fato de que FH tenha tremedeiras com a ameaça apenas ajuda a entender sua histeria contra a CPI da Corrupção.

Coliseu
A final do campeonato de futebol de Brasília deste ano será mais que emblemática. A decisão será entre Gama e Brasiliense. O primeiro tem como patrono o desde ontem ex-senador José Roberto Arruda e o segundo, o também ex-senador Luiz Estevão. Com a crise de energia, a final poderia ser no Carandiru. Afinal, presídios estarão a salvo de racionamento e apagões.

Artigo anteriorNovos hábitos
Próximo artigoFuturo interditado
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.