Norte da África puxa alta na compra árabe de café do Brasil

Os países do Norte da África alavancaram a alta nas compras árabes de café brasileiro em 2020. Como um todo, o bloco árabe importou 19,2% a mais do produto no ano passado, frente a 2019. Os árabes importaram 2,12 milhões de sacas de 60 quilos de café brasileiro ao longo do ano. Já em receita, foram movimentados US$ 216,6 milhões. O número representa aumento de 5%. Os dados foram divulgados em coletiva de imprensa na última segunda-feira pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

As nações árabes africanas se destacaram no aumento do volume comprado. Eduardo Heron Santos, diretor técnico do Cecafé, explicou que na África, os países que importaram maior volume de café do Brasil, depois da África do Sul, foram a Argélia, Tunísia, Egito, Líbia e Marrocos. “As maiores taxas de aumento de compras de café brasileiro provêm justamente dessa região do Norte da África”, afirmou Heron.

No ranking geral das nações que mais elevaram suas compras do produto brasileiro, a Argélia ocupa a segunda posição, com 254 mil sacas compradas. O país teve um crescimento de 310% na importação de café do Brasil ao longo do ano, frente ao mesmo período de 2019. Ainda no mesmo ranking, o Marrocos aparece em sexto lugar, com alta de 148%, totalizando um volume de 49 mil sacas de 60 quilos de café compradas em 2020.

Já na região do Levante, os destaques foram a Síria, que aumentou a importação em 21%, totalizando 437 mil de sacas, e na sequência, a Jordânia, com 302 mil sacas de café, alta de 17%. “É importante lembrar que a Síria, antes da guerra, era um grande importador de café brasileiro, comprando de 500 a 600 sacas por ano. Nossa expectativa é que nos próximos anos a Síria volte a importar, à medida que o país vá se reestruturando” pontuou Heron.

Em 2020, o Brasil exportou 44,5 milhões de sacas de café, considerando café verde, solúvel e torrado & moído. O dado representa novo recorde histórico das exportações do produto para o ano e representa um crescimento de 9,4% em relação ao volume total exportado em 2019. Já a receita cambial alcançou US$ 5,6 bilhões, alta de 10,3% em relação a 2019. Já o preço médio da saca no ano foi de US$ 126,52.

Em 2020, apesar do cenário da pandemia, o Brasil registrou crescimento nas exportações de café para todos os continentes, grupos e blocos econômicos. O bom desempenho nas exportações é resultado do trabalho de promoção comercial, afirmou o diretor geral do Cecafé, Marcos Matos. Com projetos específicos para China e Índia, Matos disse que há intenção de expandir as ações através de vídeos e da vinda de baristas e formadores de opinião de café do exterior para o Brasil, quando isso for possível. Ele lembrou, ainda, do trabalho desenvolvido na participação do Brasil em feiras como a Gulfood, que ocorre em Dubai.

 

Agência de Notícias Brasil-Árabe

Leia mais:

Faturamento das lavouras dos cafés bateu R$ 34,04 bilhões em 2020

Café: produção atinge 168,55 milhões de sacas no ano-cafeeiro 2019/20

Artigos Relacionados

Automóveis: falta de produtos faz venda despencar em fevereiro

Desestruturação na cadeia global de suprimentos, por conta da pandemia, obstrui fornecimento regular de produtos.

OCDE ensina gestão às estatais brasileiras

O Ministério da Economia participou nesta terça-feira do lançamento de um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que traz recomendações...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

PEC fiscal e lockdown ficam no radar em dia de PIB

Em Nova Iorque, as pressões dos treasuries e a queda das companhias de tecnologia tiveram forte impacto nas Bolsas.

Planta da BRF é habilitada a exportar empanados para Omã

Companhia informou que sua unidade de Toledo foi habilitada pelo governo do país árabe a exportar empanados de frango.

Migrantes detidos no México sofrem com pobreza e violência

Cerca de 70 mil pessoas ainda estão em situação de vulnerabilidade extrema, segundo Médicos Sem Fronteiras.

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...