Nostradamus&Peter Pan&Karl Hamilton

Do alquimista francês ao recordista inglês.

Empresa Cidadã / 18:59 - 27 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ou eu cochilei e não o vi passar, ou ele passou veloz como um carro da Fórmula 1, ou ainda, ele não passou mesmo. Com uma crise sanitária, que transborda para os aspectos econômicos, sociais, e civilizatórios, do tamanho desta, menos para as emas do Planalto Central, e até aqui não se falou de previsões de Nostradamus sobre ela.

Teria o vírus ludibriado Michel de Nostredame, Miquèl de Nostradama, alquimista francês do século XVI (Saint Rémy-de-Provence, em 14/12/1503; Salon-de-Provence, em 2/7/1566), autor de Centúrias (1555), livro (nunca li) em que revela previsões sobre fatos que, muitos acreditam, aconteceriam séculos após?

 

Operação ‘Pedro Pan I e II’

Causou consternação profunda a divulgação, há poucos dias, do número de crianças separadas dos pais, em consequência da desumana política anti-imigração levada a efeito pelo governo dos EUA. Segundo a American Civil Liberties (ACLU), ONG vocacionada para realizar a reunião de famílias atingidas por decisões judiciais, são 545 crianças que acompanhavam os pais na tentativa de se radicarem nos EUA, mas desprovidos dos documentos exigidos pela legislação norte-americana. A partir de maio de 2018, famílias passaram a ser punidas com o desmembramento – mães e pais deportados e as crianças retidas. O número de crianças nestas condições chegou a 2.700!

Esta, no entanto, não é uma situação inédita. Kenya Zanatta e Mauricio Dias dirigem o documentário Operação Pedro Pan, focado nos dramas pessoais mais do que nos aspectos políticos e ideológicos. Uma obra interessante, sobretudo pela riqueza dos depoimentos de alguns dos 14 mil jovens e crianças, filhos das classes mais abastadas da sociedade de Cuba que, assustadas com o avanço da Revolução Castrista, retiram silenciosamente da Ilha os seus filhos, mandando-os desacompanhados para os EUA, entre os anos de 1960 e 1962, com o apoio do governo norte-americano e do padre Bryan Walsh.

Uma vez lá, os jovens eram alocados em acampamentos, ou assumidos por famílias americanas, entre outros destinos, com a separação passando de dezenas de anos, em muitos casos. Sem querer dar “spoiler” (estragar o prazer de ver o documentário), há até o depoimento de Tomás Regalado, que foi eleito e reeleito prefeito de Miami (FL) e só reencontrou o pai 20 anos após despedir-se dele em Havana.

 

Lewis Karl Davidson Hamilton

Sete vezes campeão da temporada de Fórmula 1, Lewis Hamilton (7 de janeiro de 1985; 35 anos) tornou-se, no último final de semana, recordista em grandes prêmios, alcançando a marca de 92 vitórias! Conquistou assim o seu sétimo campeonato, nas temporadas de 2008, 2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e 2020. Responsável, engajou-se na campanha “Black lives matter.”

Não há ninguém mais adequado para liderar uma campanha de neutralização do carbono emitido nas corridas. Cada corrida é antecedida do deslocamento de toneladas e toneladas de equipamentos por avião. Ademais, os carros que são apresentados como o estado da arte da tecnologia não passam de máquinas movidas a combustível fóssil e por aí vai.

Poderia começar dando uma força para o Rio de Janeiro, cidade que ainda não contou a história dos bastidores da transferência do GP Brasil para São Paulo. No Rio, querem derrubar uma floresta, do Camboatá, remanescente de um bioma onde sobrevivem espécies ameaçadas de extinção! Outras características deste processo não cheiram bem. Um recadinho aos patrocinadores da F1 (aqueles que carregam os carros de corrida e as vestes das equipes com as suas marcas) ou das transmissões pela TV e a mata ainda poderá ser salva. Lewis é o cara.

Sobre as personagens envolvidas na trama do hipotético autódromo, acho que o Ministério Público Federal não compraria delas um carro de fórmula 1 usado. Nem o Ministério Público Estadual...

 

Celso Furtado na Uerj

Desde 2008, no centenário de Machado de Assis, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) escolhe uma data especial e celebra uma personalidade nacional ou internacional, ou fatos importantes para o Brasil e para a humanidade. 2020 celebra o consagrado economista Celso Furtado que, assim como cada homenageado nos anos anteriores, nos traz a mensagem de que é possível um mundo melhor, apesar de tudo que temos vivido neste ano.” (Pró-reitoria de Extensão e Cultura da Uerj).

Para participar do Congresso Internacional Celso Furtado 100 Anos, cadastre-se aqui.

 

Paulo Márcio de Mello é professor aposentado da Universidade do Estado do RJ (Uerj).

paulomm@paulomm.pro.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor