Nove em 10 hospitais não tiveram aumento de internações por Covid

Para sindicato, pressão por atendimento Covid caiu em hospitais privados e, simultaneamente, também caiu cancelamento de cirurgias eletivas.

Pesquisa realizada pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp), em sua 16ª atualização, com 74 hospitais privados respondentes, demonstra que a pressão por internação diminuiu consideravelmente nos últimos 10 dias: 93 % dos hospitais informam que não houve aumento de internações de pacientes com Covid-19 nos últimos 10 dias. Do total de 74 hospitais ouvidos, 26% são da capital e 74% do interior e somam 2.818 leitos de UTI e 6.254 leitos clínicos dedicados ao atendimento de Covid.

Também o número de hospitais com taxa de ocupação de UTI para Covid-19 acima de 80% caiu. Na pesquisa de número 15 (28/6 a 02/07) eram 62%, sendo que no levantamento atual apenas 12% relatam ocupação superior a 80%. Mais da metade, ou seja, 61% dos hospitais informam ocupação entre 71% a 80% nas UTIs de Covid.

Em números absolutos, 34 hospitais responderam que do total de 461 leitos disponíveis de UTI, 331 encontram-se ocupados, correspondendo a 72% de ocupação de leitos de UTI para Covid-19.

Também a ocupação de leitos clínicos acima de 80% caiu drasticamente. Apenas 6% dos hospitais relatam ocupação de leitos clínicos acima de 80% enquanto na pesquisa anterior 56% informavam ocupação acima de 80%. Hoje 61% dos hospitais relatam ocupação entre 71% e 80% de leitos clínicos.

Segundo o médico Fransciso Balestrin, presidente do SindHosp, a pressão por atendimento Covid diminuiu nos hospitais privados e, simultaneamente, também caiu o cancelamento de cirurgias eletivas.

“Hoje 27% dos hospitais relatam corte de até 50% das cirurgias eletivas, sendo que na pesquisa anterior, realizada há 15 dias, eram 68% dos hospitais que informavam cancelamento de até 50% das mesmas. Esse dado pode indicar que está havendo um movimento de retomada dos atendimentos não Covid nos hospitais. Resultado, sem dúvida, do avanço da vacinação”, destaca Balestrin.

Segundo o levantamento, 63% dos hospitais informam que não houve aumento de preço dos medicamentos nos últimos 10 dias enquanto na pesquisa anterior 60% relatavam que houve aumento.

O afastamento de colaboradores por problemas de saúde continua sendo o maior entrave ao atendimento de paciente com Covid para 59% dos hospitais enquanto na pesquisa anterior eram 46% dos hospitais que tinham essa queixa.

Ontem, o Brasil chegou ao número total de 542.756 vidas perdidas em função da pandemia de coronavírus. Em 24 horas, as autoridades de saúde confirmaram 542 mortes. No domingo, o total de óbitos estava em 542.214. Já o número de pessoas infectadas desde o início da pandemia é de 19.391.845. Entre ontem e hoje, foram registrados 15.271 novos diagnósticos positivos de Covid-19. Até domingo, a soma de casos acumulados era de 19.376.574. Os novos dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde. Os dados, em geral, são menores aos domingos e às segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Já às terças-feiras, os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

O balanço diário do ministério também traz os dados por estado. No alto do ranking de mortes por Covid-19 estão São Paulo (134.900), Rio de Janeiro (57.585), Minas Gerais (48.988), Paraná (33.813) e Rio Grande do Sul (32.669). Na ponta de baixo estão Acre (1.779), Roraima (1.811), Amapá (1.883), Tocantins (3.415) e Alagoas (5.656).

 

Com informações da Agência Brasil

Leia também:

Doméstica grávida deve ser afastada e salário, pago pelo INSS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

‘Bicos’ respondem por quase 40% da melhora do emprego

No trimestre encerrado em novembro, a taxa de desocupação no país caiu para 11,6%, com diminuição de 10,6% no número de desempregados, uma redução...

Desemprego permanece acima de período anterior à pandemia

São 6 anos de taxa de desocupação de 2 dígitos.

Futuros do petróleo apontam alta de 12% e gás natural de 58%

Pressões inflacionárias globais ampliadas por alimentos e energia.

Últimas Notícias

Mercados fecham semana marcando volatilidade

Os mercados acionários demonstraram volatilidade nesta sexta-feira e com um comportamento de certa forma incomum, com o Ibovespa se mantendo em trajetória oposta aos...

Varejo online da China faturou US$ 1,58 trilhão no ano passado

As vendas no varejo online de bens físicos da China ultrapassaram a marca de 10 trilhões de iuanes (US$ 1,58 trilhão) em todos os...

ANP avalia padrões de qualidade dos combustíveis

Entre os dias 24 e 27 de janeiro, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou ações de fiscalização no mercado...

Brasil perde 10 posições em índice de direitos de propriedade

O Brasil perdeu 10 posições no Índice Internacional de Direitos de Propriedade 2021 (International Property Rights Index 2021 – IPRI), passando a ocupar a...

Seguro enfrentará desafios com custos e preços

O presidente Sindicato das Seguradoras do Paraná e de Mato Grosso do Sul (Sindseg PR/MS), Altevir Prado, disse que 2021 foi extremamente desafiador e...