Novos BMW Série 3 e X1 brasileiros confirmados

Modelos possuem mais de 25% do mercado premium do País.

A BMW confirmou que a planta de Araquari, em Santa Catarina, vai produzir as novas gerações da Série 3 e do X1. Engenheiros brasileiros apoiaram o desenvolvimento global dos veículos.

“Com 50% de participação do mercado premium em junho, antecipamos este anúncio de forma a agradecer a preferência dos clientes e a valorizar os cerca de mil colaboradores que temos no país”, afirmou Aksel Krieger, CEO e presidente do BMW Group Brasil. “Os modelos BMW Série 3 e X1 possuem mais de 25% do mercado total de automóveis premium do país”, disse o executivo.

Aksel Krieger (foto de Wanezza Soares, divulgação BMW)
Aksel Krieger, CEO da BMW (foto de Wanezza Soares, divulgação)

Os dois modelos foram apresentados ao mercado europeu há apenas 2 meses. Enquanto o sedã terá fabricação iniciada em setembro, a do X1 ainda não foi anunciada. A produção nacional faz parte dos investimentos anunciados no final do ano passado de R$ 500 milhões no Brasil.

Além do Série 3 e X1, o complexo em Santa Catarina ainda produz os SUVs X3 e X4.

Interior do novo BMW X1 (foto divulgação)
Interior do novo BMW X1 (foto divulgação)

O que muda no Série 3 e no X1

Por fora, o novo sedã recebeu atualizações em faróis, para-choque e grade frontal. A maior novidade está no painel: o quadro de instrumentos (14,9”) e a central multimídia (12,3”) estão integrados, com as telas em uma ampla moldura flutuante.

Sob o capô, o Série 3 deve manter as atuais motorizações, já que os executivos descartaram, por ora, eletrificação made in Brazil. Hoje o BMW é equipado com o motor 2.0 turboflex de 184 cv.

Já o SUV compacto X1, que só deve chegar em 2023, teve o desenho atualizado, com novos faróis e grade. Atrás a janela foi reduzida. Com estilo mais esportivo, o BMW X1 ganhou rodas de 20” e está maior, o que ampliou seu espaço interno. A central multimídia BMW iDrive 8 conta com telas de 10,25” (instrumentos) e 10,7” (central).

Lá fora, o SUV ganhou versão totalmente elétrica. Aqui, executivos desconversam, mas em Araquari deve ser montado o SUV com o mesmo motor 2 litros turboflex de 192 cv da geração anterior.

 

A fábrica em Araquari

A infraestrutura local abriga processos completos de produção automotiva com áreas de carroceria, soldagem, pintura, montagem e logística, como também laboratórios, prédios administrativos e auxiliares. Além disso, a unidade nacional, que é a maior fábrica de veículos premium do continente, é co-sede, juntamente com o escritório da empresa em São Paulo, do único Centro de Engenharia Global do BMW Group na América do Sul.

Em Santa Catarina os dois carros passaram por testes de resistência de motores, e seus componentes são feitos em todo o Brasil para apoiar o trabalho da engenharia mundial. Uma das principais mudanças no X1 e no Série 3 é a adaptação e validação do sistema de powertrain, para atender às novas exigências brasileiras do Proconve L7.

O desenvolvimento da equipe de engenharia brasileira do BMW Group não se restringe aos componentes mecânicos. Assim como aconteceu com o elétrico BMW iX, uma parte dos engenheiros ficou responsável por testar e validar todo o sistema de entretenimento do novo X1 e do novo Série 3. Dois protótipos foram construídos para testar os sistemas. O sistema do novo BMW X1 foi aplicado em um BMW X5, enquanto o Novo BMW Série 3 usou uma carroceria do modelo atual como veículo de teste.

Ao todo, foram percorridos quase 45 mil quilômetros de testes, passando por Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, além dos testes de laboratório.

Com direção central na Alemanha, o Brasil é um dos cinco centros de desenvolvimento da Engenharia da BMW (os outros estão nos EUA, China, Japão e Coreia do Sul). As observações reportadas pela equipe brasileira contribuem para a resolução de problemas dos novos produtos BMW não só para o mercado brasileiro, mas para o mundo todo.

Nissan Leaf 2023 (foto divulgação)

Nissan Leaf 2023 recebe atualizações

A linha 2023 do Nissan Leaf chega com novidades, sem mudanças no preço. O elétrico ganhou nova grade e para-choque, acabamento preto nos faróis, novo design nas rodas de 17” e estreia o novo logotipo da marca.

Os defletores de vento dianteiros e traseiros agora são pretos (anteriormente eram azuis). As formas dessas peças posicionadas nos quatro cantos das caixas de rodas, no difusor traseiro e no spoiler traseiro também foram modificadas.

Por dentro, o sistema de som agora é Bose. O retrovisor interno inteligente traz tecnologia que reproduz as imagens da traseira do veículo.

O sistema de recarga na parte frontal do veículo também é novo. Além da ChadeMo, para carga rápida, o Nissan Leaf vem agora com entrada tipo 2, o padrão europeu, de 7 pinos, mais comum nos pontos de recarga no Brasil.

O conjunto de baterias de íon-lítio de 40 kWh entrega potência equivalente a 150 cavalos (110 kW) e torque de 32,6 kgfm, tudo com emissão zero. A bateria de íon-lítio tem 272 km de autonomia, conforme medições do Inmetro.

O preço foi mantido em relação à linha anterior: R$ 293.790.

O Nissan Leaf é vendido em 44 concessionárias homologadas para comercializar e realizar serviços de pós-vendas de veículos elétricos.

Audi A3, A4 e A5 (foto divulgação)
Audi A3, A4 e A5 (foto divulgação)

Linha A da Audi atualiza motores, que ficam mais potentes

A Audi do Brasil anunciou a atualização dos motores das linhas A3, A4 e A5 no Brasil, alinhados às novas exigências da fase L7 do Proconve. Com isso, os integrantes da família A ficaram mais potentes e com menor emissão de poluentes.

O propulsor é o mesmo para os Audi A3, diponível nas versões Sedan e Sportback, o sedã A4 e o cupê A5. Trata-se do 2.0 S line TFSI que agora rende 204 cv (14 cv a mais) e conta com um sistema hibrido leve de 48V. A transmissão é S tronic de 7 velocidades.

Confira os preços das novidades:

A3 Sedan 2.0 S line TFSI S tronic (22/22): R$ 269.990

A3 Sportback 2.0 S line TFSI S tronic (22/22): R$ 269.990

A3 Sedan 2.0 Performance Black TFSI S tronic (22/22): R$ 289.990

A3 Sportback 2.0 Performance Black TFSI S tronic (22/22): R$ 289.990

A4 Sedan Prestige 2.0 TFSI S tronic (22/22): R$ 294.990

A4 Sedan S line 2.0 TFSI S tronic (22/22): R$ 317.990

A5 Sportback S line 2.0 TFSI S tronic (22/22): R$ 351.990

Lucia Camargo Nunes
Economista e jornalista especializada no setor automotivo. [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Ainda é a economia

Redução dos preços coloca algum combustível na campanha de Bolsonaro.

Decisão do TST põe em xeque diversas terceirizações

Por Leonardo Jubilut.

Suíça é ponte para exportações à Rússia

Vendas do País que lava mais branco aos russos cresceram mais de 80% desde fevereiro.

Últimas Notícias

Armazém Cultural: Câmara debate veto do prefeito do Rio

.Comissão de Justiça e Redação recomenda rejeição ao veto

Plataformas da Bacia de Campos tem hotéis flutuantes

Petrobras estuda investir US$ 220 milhões até 2023

Ações do setor de saúde puxam Ibovespa

Destaque também para Petrobras, que celebrou novo aditivo ao contrato de compra de gás natural com a YPFB

Governo de MG conclui leilão de 627,4 km de rodovias

Investimentos de R$ 3,2 bi, sendo R$ 1,4 bi nos oito primeiros anos da concessão

Bancos chineses: mais empréstimos para empresas privadas

No final de junho aumento de 11,4% em relação ao ano anterior