Nubank fecha 2023 com lucro líquido de US$ 1 bi

Lucro líquido ajustado do Nubank em 2023 cresceu quase 6 vezes em relação ao resultado no ano anterior

65
pix no cartão nubank
pix no cartão nubank (foto reprodução site)

A Nu Holdings (NYSE: NU) divulgou nesta quinta-feira seus resultados financeiros do quarto trimestre (4T23) e do ano passado. O lucro líquido do Nubank no 4T23 foi de US$ 360,9 milhões para um ROE (retorno sobre patrimônio) anualizado de 23%. No ano de 2023 todo, o lucro líquido foi de US$ 1 bilhão, em comparação com o prejuízo de US$ 9,1 milhões no ano fiscal de 2022.

O lucro líquido ajustado do Nubank no 4T23 atingiu US$ 395,8 milhões com um ROE ajustado anualizado de 26%. Para o ano fiscal de 2023, o lucro líquido ajustado atingiu US$ 1,2 bilhão, em comparação com um lucro líquido ajustado de US$ 204,1 milhões no ano fiscal de 2022.

“Estamos construindo a maior plataforma de consumo da América Latina, com forte capacidade de geração de lucros, tendo entregue mais de US$ 8 bilhões em receitas e US$ 1 bilhão de lucro líquido em 2023. À medida que trabalhamos para ultrapassar a marca de 100 milhões de clientes em 2024, estamos investindo pesado em diversificar caminhos de crescimento para continuar a transformar potencial em lucro”, disse David Vélez, fundador e CEO do Nubank.

David Vélez (foto divulgação Nubank)
David Vélez (foto divulgação Nubank)

As ações do Nubank “estão em céu de brigadeiro na Bolsa de Nova York, onde são negociados”, segundo análise do Investing.com. Os papéis do banco digital “tiveram em 2023 uma alta acumulada de 104,67% e continua em 2024, com avanço acumulado de 21,13% até o pregão de ontem (21). A expectativa de crescimento dos lucros após anos de prejuízo guia os investidores a se posicionarem nos papéis do banco digital”, comentou antes da divulgação do resultado.

Espaço Publicitáriocnseg

Destaques financeiros do Nubank em 2023

Receita: As receitas do Nubank no 4T2023 aumentaram para US$2,4 bilhões, outro novo recorde, o que representa um aumento de 57% em relação ao 4T2022. Isso demonstra a capacidade única da empresa de expandir consistentemente sua base de clientes e, ao mesmo tempo, acelerar o crescimento da receita e a lucratividade.

Liquidez: Em 31 de dezembro de 2023, o Nu tinha um portfólio que rendia juros (IEP, na sigla em inglês) de US$ 8,2 bilhões, um aumento de 91% em relação ao ano anterior, devido ao aumento acelerado de empréstimos pessoais e recebíveis de cartão de crédito nos últimos 12 meses.

Os depósitos totais cresceram para US$ 23,7 bilhões, um aumento de 38% em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto o custo dos depósitos permaneceu estável.

A taxa de empréstimos sobre depósitos do Nu ficou em 34%, com o crescimento dos depósitos no Brasil e no México, que têm demonstrado uma sequência de evolução nesta frente.

Leia também:

Investidores pessoa física na Bolsa: houve queda ou aumento? | Monitor Mercantil

Destaques operacionais

Aumento no número de clientes: O Nubank adicionou 4,8 milhões de clientes no 4T23, e 19,3 milhões em um ano, alcançando um total global de 93,9 milhões de clientes em 31 de dezembro de 2023, em comparação com 54 milhões há dois anos.

No Brasil, a base de clientes do Nubank atingiu 87,8 milhões em 31 de dezembro de 2023, representando 53% da população adulta do país. O Nu é a quarta maior instituição financeira em número de clientes no Brasil, de acordo com dados do Banco Central.

Taxas de engajamento e atividade: A receita média mensal por cliente ativo (Arpac, na sigla em inglês) atingiu recorde, chegando a US$ 10,6 no 4T23, uma expansão de 23% em relação ao ano anterior em base neutra de câmbio (FXN) e com grupos mais maduros atingindo resultados de US$ 27. O Nubank tornou-se o principal relacionamento bancário para mais de 61% dos clientes ativos mensais.

Custo: O custo médio mensal de atendimento por cliente ativo permaneceu praticamente inalterado e abaixo do nível de um dólar, em US$ 0,90. O índice de eficiência atingiu 36% no 4T23 e no ano completo de 2023, melhorando 19 pontos percentuais em comparação com o ano completo de 2022.

Inadimplência: No Brasil, o índice de NPL 15-90 (índice de inadimplência entre 15 e 90 dias) diminuiu ligeiramente para 4,1%, em linha com as expectativas. O índice de NPL 90+ permaneceu estável em 6,1%, em linha com o comportamento esperado de migração da carteira de NPL 15-90 de períodos anteriores, segundo a divulgação do Nubank.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui