Números do governo mostram que privilegiados são os outros

As esquálidas informações divulgadas pelo Ministério da Economia sobre a reforma da Previdência têm ao menos uma virtude: demolir o discurso de que as mudanças se destinam a acabar com privilégios. Mais de 60% na tunga que o governo ameaça sobre os aposentados virão dos trabalhadores urbanos do setor privado. Como até os carpetes do Congresso sabem que os cortes no BPC, na aposentadoria rural e nos abonos não vão passar, a parcela do Regime Geral da Previdência Social (RGPS) urbana vai a 80%.

Quem são esses “privilegiados”? Ganham em média R$ 1,4 mil por mês; 65% dos benefícios é de um salário mínimo; e quem logra receber o teto alcança R$ 5,8 mil. Segundo os números do próprio governo – portanto, com o questionável déficit da Previdência – o RGPS urbano tem uma diferença entre receita e despesa de menos de R$ 1,5 bilhão por mês. Levando em conta o elevado desemprego e o desestímulo ao trabalho formal, pode-se dizer, mesmo com a ótica oficial, que está equilibrado. Pois é ele que vai pagar a conta.

E como será distribuída a “dolorosa”? Este dado o governo segue sonegando. E, como diz o ditado, o diabo mora nos detalhes. As contas oficiais, secretas, provavelmente embutem uma enorme quantidade de pessoas que contribuíram mas nunca conseguirão se aposentar. Esta é a fórmula para tungar quase R$ 800 bilhões.

Enquanto isso, a União pagará R$ 400 bilhões de juros este ano. Somando rolagem e amortizações, será torrado R$ 1,425 trilhão – somente este ano. Mais do que tudo que Paulo Guedes quer tirar dos trabalhadores em dez anos. Só no ano passado, os bancos lucraram R$ 100 bilhões. Mas a culpa de todos os males do Brasil, exceção da saúva, é dos “privilegiados”.

 

Sol e vento

Entre 2009 e 2017, os preços de painéis solares caíram 76%, e de turbinas eólicas, 34%, tornando as duas fontes alternativas competitivas aos combustíveis fósseis e fontes de energia de baixo carbono mais tradicionais, como energia hidrelétrica e nuclear. Os dados são do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A geração eólica em terra já tem preços inferiores ao da hidrelétrica, e energia solar equiparou os valores da gerada pelas águas em 2017. Enquanto a energia hídrica atraiu o maior investimento em energia renovável até 2008, as turbinas eólicas assumiram a liderança em 2009, e os painéis solares se tornaram a opção de investimento dominante em 2016. Em 2017, mais foi investido em energia solar do que em todas as outras tecnologias de baixo carbono combinadas.

Enquanto os custos da geração de energia eólica e solar diminuíram, os custos da energia nuclear e hidrelétrica subiram 21% e 9%, respectivamente, durante o mesmo período.

 

Ficção jurídica

No acordo de leniência com a Rodonorte, o MP determinou que a concessionária coloque outdoors dizendo que desconto de 30% no pedágio é concedido por causa da Lava Jato. “Uma ação de marketing estranha a nosso Direito”, sentencia ex-presidente da OAB-SP Luiz Flávio Borges D’Urso.

 

Rápidas

A Federação Brasileira de Hospitais (FBH) elegeu nesta quinta-feira o urologista Adelvânio Francisco Morato para presidir a entidade nos próximos três anos *** A Feira do Lavradio, que ocorre todo primeiro sábado do mês, estará com programação especial para as mães, que comemoram seu dia no fim de semana seguinte *** O Laboratório de Humanidades Digitais (LHuD) da FGV CPDOC realiza nesta segunda, às 14h, no Rio, a apresentação do projeto “Pauliceia 2.0: mapeamento colaborativo da história de São Paulo (1870-1940)”. Inscrições: bit.ly/2GnFTHa *** Nesta terça, 19h, o Shopping Grande Rio recebe o cantor Pedro Lima para um show gratuito em homenagem ao Dia da Baixada *** O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) realizará o seminário “Direito Administrativo e arbitragem”, 2 de maio, das 17h30 às 19h30, no Centro do Rio, com os advogados e procuradores do estado Alexandre Aragão e Gustavo Fernandes. Inscrições em iabnacional.org.br/eventos *** Até o dia 5, quem passar pelo Carioca Shopping poderá participar do circuito itinerante do Time Brasil, evento ligado ao Comitê Olímpico do Brasil. Serão quatro arenas com entretenimento esportivo *** A Rede Adventista Silvestre de Saúde realizará nesta terça, às 10h, em Botafogo, a palestra “Viva com Metas Saudáveis”, com a participação do cardiologista Fernando Montenegro. Inscrições pelo e-mail centromedico.has@hasilvestre.org.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.

Confiança da indústria e dos serviços caem em fevereiro

Níveis de Utilização da Capacidade Instalada também recuaram: o da indústria caiu 0,8 ponto percentual; e do serviço, 1 ponto.

Mau humor alastrando

Ontem, o mau humor dos investidores se fez presente no mundo e trouxe reviravolta para os mercados.