25.1 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, janeiro 21, 2021

Nunca na história…

Depois de prorrogadas as concessões das usinas da Cesp, o mercado financeiro e especialistas do setor de energia apostam que o grupo Suez/Tractbel vai abocanhar a empresa, na privatização que o governo paulista tenta levar a cabo. O grupo acaba de ganhar a licitação para construir Jirau. O Brasil, então, será um exemplar único no mundo: entregará boa parte do setor hidrelétrico – em países menos modernos prerrogativa do Estado – ao setor privado multinacional.

Casa de ferreiro
Dores lombares (21,6%), doenças do aparelho digestivo (18,9%), eczema crônico (14,3%), hipertensão (14%), distúrbios mentais (6,2%), artrose (6,9%) e asma (5%) são as sete doenças mais comuns entre os médicos. É o que mostra estudo conduzido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) com 7.700 médicos de todo o Brasil. Dos profissionais que responderam à pesquisa, 7,7% disseram ser portadores de transtornos mentais ou comportamentais. Mais de 60% dos entrevistados são dependentes de nicotina. O resultado levou o presidente do CFM, Édson de Oliveira Andrade, a afirmar: “Os médicos estão em situação precária. A pesquisa pode ser lida em www.portalmedico.org.br

Lenço vermelho
Poucos personagens da política brasileira tiveram uma trajetória tão rica quanto Leonel de Moura Brizola. Para marcar esta história, a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) lança, na próxima segunda-feira, às 16h, o livro A força do povo: Brizola e o Rio de Janeiro, editado pelo Núcleo de Memória Política Carioca e Fluminense, em parceria com o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). No mesmo dia, às 10h, os autores participarão de debate no Plenário Barbosa Lima Sobrinho da Alerj.

Picareta
A alcunha de Carlos Mídia que acompanha o novo ministro do Meio Ambiente tem raízes longínquas. Mesmo assim, não raro, Minc se excede. Há alguns, durante protesto contra uma construção que substituiria um tradicional colégio de Laranjeiras, Zona Sul do Rio, um manifestante mais exaltado ameaçava demolir parte do prédio com uma picareta, quando foi persuadido por Minc a desistir do gesto. No entanto, quando os fotógrafos dos jornais chegaram, adivinhe quem saiu na foto com a picareta na mão simulando demolir a parede?

Onipresente
Aliás, nos anos 90, a redação de um jornalão carioca tinha afixado na sua editoria de cidade um cartaz com uma caricatura de Minc retratado como “uma mala”. Para ser mais exato, “uma mala de couro de jacaré”. A brincadeira era baseada na quantidade de pautas que os repórteres cobriam sobre os factóides do então deputado. Embora com, no máximo, dez manifestantes, os atos sempre conseguiam espaço generoso no jornal e com direito a foto. O próprio Minc, ao visitar o jornal, foi levado até o cartaz e riu da caricatura.

O B em questão
No próximo dia 7, às 20h, ocorrerá o lançamento em Miguel Pereira do livro Bric ou RIC – Soberania ou Submissão, de Osvaldo Nobre. Será na livraria Aquarius, no Shopping Florescer.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Artigo anteriorGreve a vista
Próximo artigoServiços
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.

UE planeja iniciar gastos de grande fundo de recuperação em meses

Incerteza econômica na Alemanha continua em 2021; economista mantém previsão de crescimento do PIB do país em +3,5%.

Exterior abre positivo e Copom no radar interno

Na Ásia, Bolsas fecharam sem sinal único; Hong Kong registrou avanço de 1,08%.

Índice Ibovespa futuro opera entre perdas e ganhos

No momento, o futuro do índice Ibovespa está em alta de 0,03% e o futuro do dólar está em queda de -0,34%.

Comportamento indefinido

Ontem, logo cedo, Europa seguia a trilha de alta dos mercados da Ásia, o mesmo acontecendo com o mercado americano.