Não zarpou

Depois de vários adiamentos, os contratos para a construção de 26 embarcações para a Transpetro ainda não têm data marcada para serem assinados. A estatal espera que o Senado aprove pedido de ampliação de endividamento para concretizar a licitação, orçada em cerca de US$ 2 bilhões. A solicitação da subsidiária da Petrobras deverá entrar na pauta no Senado a partir de setembro. A construção das embarcações deve gerar 22 mil empregos. A demora na assinatura dos contratos é mais uma dificuldade que o presidente da empresa, Sérgio Machado, terá que contornar para concretizar o seu sonho de ver, até o fim deste ano, a primeira embarcação sendo construída.

Democracia capturada
O Brasil vive situação paradoxal. Um dos cinco países mais desiguais do mundo, no qual os salários respondem por apenas cerca de um terço da renda nacional, o desemprego efetivo atinge cerca de 40% da população economicamente ativa e a economia, há uma década e meia, patina num crescimento médio de 2,2% ao ano, o Brasil, há pouco mais de um mês das eleições, assiste ao amplo favoritismo dos candidatos à reeleição nos governos federal e estaduais. Mesmo se descontado o largo déficit de credibilidade das pesquisas, o clima pró-situacionismo não encontra eco na vida real. Sua propagação pela mídia, porém, denuncia o amesquinhamento da política, cada vez menos um instrumento de definição de projetos e em avançado processo de substituição pelo marketing vazio e insosso.
Associadas à quase ausência de agendas diferenciadas dos candidatos, as novas regras eleitorais, sob o álibi do combate ao poder econômico e da despoluição das grandes cidades, produziram preocupante abulia democrática, cujo principal corolário é beneficiar justamente os candidatos já estabelecidos e/ou ligados ao capital financeiro. Ainda que a população possa recorrer aos escassos instrumentos que a grande maioria tem ao seu alcance para formar o contraditório e associar suas condições de vidas aos responsáveis por elas, corre-se o grave risco de vermos o Brasil eleger candidatos com retóricas antagônicas aos programas que pretendem implementar quando já no governo. É o tipo da situação que projeta dois tipos de conseqüências perigosas: aumento da apatia nacional ou explosões sociais.

Janela
A Biblioteca Nacional está exonerando funcionários em pleno período eleitoral, o que é proibido pela Lei 9.504. Paralelamente, estão sendo contratadas pessoas para cargos com DAS, ou seja, nomeados.

Pioneira
Pela primeira vez, a Associação Internacional de Engenharia Agrícola será presidida por uma mulher – e brasileira. A professora doutora Irenilza de Alencar Naas, da Faculdade de Engenharia Agrícola da Unicamp, assume em setembro a presidência da entidade. A posse se dará durante o XVI Congresso da CIGR, em Bonn, Alemanha, de 3 a 7 de setembro. São esperados 1.500 congressistas, representando 150 países.

Consumidor
A Vivo continua na pior posição no ranking da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de reclamações contra empresas de telefonia móvel. A empresa tem 0,486 reclamação por cada mil assinantes. Brasil Telecom é a segunda pior no ranking (0,397 por mil); sendo seguida por TIM (0,376), Claro (0,305) e Oi (0,267). Todas reduziram os percentuais de queixa em relação a junho.

Ação social
Acontece no próximo dia 2, das 9h às 16h, o V Mutirão de Cidadania e Saúde, realização da Legião da Boa Vontade, em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro e universidades. O mutirão comemora os 44 anos da Ronda da Caridade. O evento acontece no Centro Educacional da LBV, em Del Castilho, e oferecerá gratuitamente para a comunidade diversos atendimentos médicos e de saúde. Haverá ainda recreação para as crianças, apresentações musicais e culturais. Informações pelo telefone: (21) 2501-0247.

A gripe passou
Um dos candidatos cuja candidatura foi impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TER-RJ), o deputado federal Reinaldo Grip (PL-RJ), acusado pela CPI dos Sanguessugas de integrar o esquema de compra fraudulenta de ambulâncias, continua em campanha, principalmente na Baixada Fluminense. Optou, no entanto, por mudança eleitoral chave: erradicou o Grip do nome e passou a se apresentar como Doutor Reinaldo. Cria, assim, nova receita: em vez de vitamina C, para combater a gripe, bom mesmo é CPI!

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEsforço em vão
Próximo artigoOportunismo

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

#Occupy Bovespa

Um mês depois de o MST ter-se lançado na Bolsa, MTST ocupa B3, para protestar contra Bolsonaro, especulação, fome e desemprego.

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.