O alt Rei Midas

Temos interessante disputa entre os apoiadores do Governo Temer: qual candidato ficará com o incrível legado do presidente. Pois assim...

Temos interessante disputa entre os apoiadores do Governo Temer: qual candidato ficará com o incrível legado do presidente. Pois assim estão Rodrigo Maia e Henrique Meirelles, disputando a Reforma da Previdência, tão popular que garante a Temer espantosos 2% de aprovação dos brasileiros. Não só a tunga nos aposentados, claro. Há também o desemprego, a falência dos estados e municípios, a entrega dos bens naturais e das empresas nacionais… a lista é grande.

Talvez a disputa se dê não pela quantidade, mas sim pela qualidade desses 2%; neles se incluem, presume-se, os que mais estão ganhando e que mais recursos têm para bancar a campanha de Maia ou Meirelles. Porém, com uma economia patinando, e um desemprego que não diminui, os financiadores buscam desesperadamente alternativas, pois dinheiro, apenas, não resolve. Ainda que a direita, ou conservadores, como queiram, no final fique unida, há que se ter alguém com mínima densidade eleitoral. Com esse legado, algo impossível.

 

A força do Estado

Em entrevista ao El País, Ha-Joon Chang, professor de economia da Universidade de Cambridge, uma vez mais detona os chavões neoliberais. “Cingapura é hoje o exemplo mais bem-sucedido de um país com desenvolvimento pragmático e não ideológico. Quando lemos sobre Cingapura no The Wall Street Journal e na revista The Economist sempre ouvimos falar da política de livre comércio e o acolhimento positivo que o país tem com o investidor estrangeiro. O que é verdade. Mas não se fala que 90% das terras do país são de propriedade do governo; 85% das casas são de propriedade do governo; e 22% do PIB é produzido por empresas públicas.”

Já sobre a incensada Coreia do Sul, lembra o sul-coreano Chang que depois da crise asiática de 1997 o país abraçou o neoliberalismo, “não tanto como os países da América Latina, mas desregulamentou o mercado financeiro e alavancou políticas industriais”. O resultado, explica, é que uma economia que costumava crescer 6%, 7%, 8% até 1990, agora está sofrendo para crescer 3%. Outro efeito foi a queda no elogiado sistema educacional. “A mobilidade social caiu muito nos últimos anos, porque as políticas educacionais deixaram de ser coordenadas com políticas industriais”, diagnostica o professor.

 

Gringo no samba

A plataforma de compra e venda de ingressos StubHub, ligada ao eBay, identificou que, entre 2016 e 2018, a participação de estrangeiros no total de ingressos vendidos para o Carnaval brasileiro quase dobrou, de 29% para 54%. A fatia de chilenos nas vendas quadruplicou, crescendo de 2% para 9%. A de norte-americanos triplicou (de 2% para 6%), e a de franceses dobrou (de 4% para 8%).

Os principais compradores estrangeiros do Carnaval brasileiro, contudo, são os argentinos, que representam 12% das vendas. Os desfiles no Sambódromo do Rio de Janeiro representam 84% das vendas de 2018, enquanto os de São Paulo, os 16% restantes.

 

Visão distorcida

Pobre país em que 47% elegem o combate à corrupção como principal item na lista de prioridades do futuro presidente da República, superando saúde (39%), educação (33%), segurança pública (32%) e geração de empregos (29%). Este resultado aparece na pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

 

Ditadura

Não há qualquer relação entre a “austeridade fiscal” exigida pelos credores – e entregue pelo primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras – e a restrição ao direito de greve no país.

 

Debaixo do tapete

MP, PF e Justiça continuam dando munição aos que acusam as instituições de perseguição ao Partido dos Trabalhadores. Mais recente, o indiciamento de Fernando Haddad, em São Paulo, estado em que abundam denúncias de corrupção contra tucanos, mas são raras, ou inexistentes, as investigações.

Estão aí o tremsalão, o escândalo das merendas, direcionamento de licitações no metrô, delações da Odebrecht etc. etc.

 

Rápidas

A AstraZeneca anunciou Marcelo de Holanda como seu novo diretor da Unidade de Negócios de Oncologia no Brasil *** A Marisa está com inscrições abertas para estágio em 2018, para alunos de Estatística, Economia, Engenharia e Matemática. As inscrições podem ser feitas até 23 de janeiro pelo e-mail [email protected] *** A Fiesp divulga nesta quarta-feira o Índice de Nível de Emprego de dezembro e o balanço do ano.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

TCU confirma que União paga R$ 3,8 bi de juros e amortização por dia

Mais de ¼ dos títulos da dívida pública vencem em 12 meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Água, saneamento e crescimento para todos

Há pouco tempo para implantação das metas do novo marco legal.

Automação das matrículas acelera com o uso de biometria facial

Cresce procura por soluções tecnológicas de Reconhecimento Ótico de Caracteres para operações como cadastro dos alunos nos sistemas escolares

Mercado ainda digere Fomc e MP da Eletrobras passa no Senado

O Ibovespa fechou em queda de 0,93%, na esteira dos receios globais e das discussões envolvendo a MP.

Relator vota contra autonomia do BC, mas vista adia julgamento no STF

Lewandowski vota por derrubar a lei, sancionada em fevereiro, que dá autonomia ao BC, mas pedido de vista de Barroso interrompe julgamento.

Abbas recebe credenciais de embaixador brasileiro

Diplomata Alessandro Candeas entregou nesta semana suas credenciais ao presidente da Palestina, Mahmoud Abbas.