"O céu se ganha com favores: se fosse com merecimento,

Empresa Cidadã / 12:21 - 28 de ago de 2001

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

você ficaria de fora e seu cachorro estaria lá dentro." (Mark Twain, pseudônimo de Samuel Laughorne Clemens, escritor e humorista, 1835-1910) Ainda se debate se a empresa-cidadã deve ou não divulgar as suas ações em benefício dos colaboradores, os projetos que patrocina ou as suas ações em defesa do ambiente. A controvérsia sobre a qualidade das ações de responsabilidade social realizadas pelas empresas está na base da discussão sobre a própria divulgação dessas ações. Cada empresa é o resultado das relações estabelecidas entre seus investidores, dirigentes, colaboradores, fornecedores e clientes. A qualidade das ações é resultado da qualidade do relacionamento. Hoje se sabe que US$ 90 bilhões seriam suficientes para oferecer a toda a população da Terra igualdade de oportunidades em saúde, educação, água potável e planejamento familiar. O custo da erradicação da miséria já pode ser avaliado. Corresponde a 30% do custo anunciado do escudo de mísseis proposto pelo presidente dos EUA. As ações de políticas públicas são insubstituíveis para este objetivo. As ações de cidadania empresarial não têm a ver com a substituição dos governos na execução das políticas de promoção social, mas sim com um novo paradigma de sociedade em que os consumidores, os investidores, os dirigentes empresariais e os trabalhadores são co-responsáveis pela sociedade resultante das suas atitudes. É com este sentido que a divulgação das iniciativas empresariais deve ser orientado. Estudo realizado pelo Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) mostra que em 2000 foram instaurados 229 processos, dos quais 39% resultaram em retirada dos anúncios da mídia. No primeiro semestre de 2001, forma instaurados 162 processos, dos quais 44,6% resultaram em suspensão da propaganda e 22,3% em alteração. Questionou-se a apresentação verdadeira do produto ou serviço em 40,8% dos casos, em 16,4% questionou-se a adequação às leis e em 12,8% a omissão de advertência importante. Numa demonstração do muito que ainda há por avançar, verificou-se que, na iniciativa de abertura dos processos, apenas 3,7% coube a consumidores. A divulgação das ações sociais e ambientais da organização, se motivada pelo simples interesse publicitário, em grande proporção descambará para a propaganda enganosa, se replicarmos nela os mesmos percentuais verificados no questionamento apresentado ao Conar. Seja por não conter apresentação verdadeira, por inadequação às leis, por omissão de advertência, comparações indevidas, descuidados com segurança, por estímulo à violência, por discriminação, ou qualquer dos outros casos previstos pelo Conar. A divulgação das ações sociais ou ambientais é benéfica quando decorre da busca de uma nova concepção de relacionamento entre os atores que fazem a sociedade, seja no papel de acionista, de cliente, de trabalhador ou de fornecedor. Cada vez menos no papel de indiferente. QUALIDADE DE EMPRESA-CIDADÃ No dia 24 de agosto a população de Jundiaí teve uma ótima opção de cultura e lazer. Foi dia de Concerto Astra-Jundiaí. Desta vez apresentou-se o Coral Corenvoz, no belo Teatro Polytheama. O grupo executa um repertório à capela e conta também com um trio instrumental de jazz, constituído de contrabaixo, teclado e bateria. O coral mereceu reconhecimento em alguns dos mais premiados musicais apresentados no Brasil como Rent, A Ópera do Malandro, O Beijo da Mulher Aranha e Lês Miserables. Os Concertos Astra-Jundiaí acontecem há três anos e em 2001 já realizaram apresentações em maio, com o Concerto América Portuguesa, em junho, com o quarteto de violões Quartenaglia, e em agosto, com a violoncelista Heloísa Meirelles e a pianista Miriam Braga Guimarães. A realização é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura, o Ministério da Cultura e a Sociedade Jundiaiense de Cultura Artística, com o patrocínio da Astra Indústria e Comércio S/A. Com 1.400 colaboradores e um faturamento de R$ 115 milhões em 2000, a Astra S/A produz e exporta, para cerca de 60 países, 850 itens, como banheiras de hidromassagem, esquadrias de alumínio, grelha antibarata, espelheiras, assentos almofadados e outros. Patrocina outros eventos, como as Olimpíadas de Matemática, e aplica cerca de 12% do seu faturamento em desenvolvimento. Paulo Márcio de Mello Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Correio eletrônico: paulomm@alternex.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor