O ‘empreendedor’, o porco e a Nova Economia

Um ataque que revela o mundo cão dos apps de entregas.

Uma máxima nas redações alertava os “focas” (iniciantes em jornalismo, no jargão do século passado): “Se um cachorro morder um homem, não é notícia; mas se um homem morder um cachorro…” (um jornal australiano e o paulista Notícias Populares publicaram manchetes em que o humano atacava o animal).

O ditado não se aplica ao que ocorreu em Franca (SP), domingo passado: um porco mordeu um entregador. A notícia chama atenção não pelo inusitado, nem pelo fato de pessoas que assistiram ao ataque terem preferido filmar e rir em vez de ajudar o motociclista. Atendido em uma UPA, ele levou 14 pontos e recebeu a orientação de repouso.

Aí vem a questão: quem pagará as contas do “empreendedor” enquanto ele estiver de cama, sem poder trabalhar? E o conserto de seu “bem de produção” (a moto)? Até o fechamento desta coluna, às 17h47 desta terça (20), nenhum aplicativo havia oferecido apoio. O motociclista é apenas um número no cadastro dos ubereats e ifoods da vida, substituído por outro entregador, e lucro que segue.

 

Cada passo que você dá

O número de atas notariais, documentos feitos em tabelionatos que comprovam crimes na internet, aumentou 105% em abril quando comparado ao mesmo mês de 2020 (7.426 este ano contra 3.628). De acordo com os cartórios, é um dos efeitos da Lei 14.132, publicada em 31 de março, que define como crime a ação de perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade, sob pena de até 3 anos de prisão, em regime fechado (em inglês, stalking).

A ata notarial é utilizada para a comprovação de crimes virtuais, como o vazamento de fotos e vídeos íntimos, perfis falsos, injúrias, difamações e ataques nas redes de modo geral. O documento pode ser realizado presencialmente em qualquer cartório de notas ou online, pela plataforma e-notariado.org.br

 

Volta das estrangeiras

O escritório Lopes Pinto Advogados – LP Law, que comemora 2 décadas este ano, está confiante no retorno das empresas estrangeiras do setor de navegação, óleo e gás. A banca, comandada por Alessander Lopes Pinto, destaca decisões judiciais inéditas pró-arbitragem, como a aceitação pela Administração Pública de cláusulas contratuais estabelecendo a arbitragem como forma de decisão de conflitos.

 

Para o infinito e além

De acordo com relatório do Itaú BBA, que revisou para cima os números da Bolsa, o Ibovespa deve chegar a 152 mil pontos em dezembro; a previsão anterior era de 135 mil pontos.

 

Rápidas

Maria Angélica Rocha, secretária de Turismo de Nova Friburgo, é a próxima convidada do Gente que Faz, nesta quarta. O projeto é promovido pelo Instituto Preservale e pela Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ. Para assistir, acesse @embaixadoresdeturismorio *** Aasp fará nesta quinta, às 16h30, o webinário “Lei 14.181/2021 – Prevenção e tratamento do superendividamento” *** O economista e consultor de empresas Dernizo Pagnoncelli passa a integrar o board da Nello Investimentos, de fusões e aquisições.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Você é ‘cringe’?

No mundo jurídico, é completamente cringe usar juridiquês, escrever errado, usar linguagem rebuscada.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Os ventos estão mudando

Por Afonso Costa.