O IGP-10 de dezembro surpreende Bradesco

Opinião do Analista / 09:02 - 15 de dez de 2011

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O IGP-10 de dezembro registrou 0,19%, surpreendendo a expectativa do Bradesco de 0,35% e do mercado de 0,33%, conforme divulgado há pouco pela FGV. Octavio de Barros Diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco destacou nesta divulgação, a variação negativa de 0,12% do IPA agrícola, caracterizando resultado bem mais fraco do que o esperado; para tanto, há um movimento tanto nos produtos ligados ao mercado doméstico como dos dependentes do mercado externo, com destaque para a alta dos produtos in natura e a desaceleração de carnes. Além disso, o IPA industrial, ao avançar 0,01%, também abaixo do esperado, foi decorrente do forte recuo dos preços de minério de ferro e químicos; por outro lado, alimentícios voltaram a acelerar, refletindo as altas recentes observadas nas carnes. O Bradesco também destacou comportamento de gasolina, que incorporou todo reajuste anunciado (10%). "Com isso, para o IGP-M de dezembro nossa projeção é de alta para 0,15%", informou Barros, em boletim nesta quinta-feira. Emprego na indústria paulista O emprego na indústria paulista se retraiu em 0,8% em novembro em relação a outubro, quando havia mostrado queda de 0,7%, em termos dessazonalizados, conforme divulgado ontem pela Fiesp/Ciesp. O resultado equivale a uma queda de 46,5 mil postos de trabalho no período, que se seguiu a uma perda de 18 mil em outubro. Na comparação interanual, o indicador também mostrou arrefecimento, ao marcar recuo de 1,0% ante a estabilidade verificada em outubro. De maneira geral, o resultado corrobora o momento de enfraquecimento do setor industrial, que se reflete também na geração de empregos na indústria. A despeito destes resultados, o Bradesco espera que a atividade industrial nacional mostre alguma retomada daqui para frente, ainda que de maneira moderada, refletindo as últimas medidas de estímulo anunciadas pelo governo. Fluxo cambial O fluxo cambial ficou negativo em US$ 424 milhões no acumulado de dezembro até o dia 9, de acordo com dados divulgados ontem pelo Banco Central. O resultado é decorrente da saída líquida de US$ 890 milhões na conta financeira e da entrada líquida de US$ 465 milhões na conta comercial, com exportações e importações que somaram US$ 6,144 bilhões e US$ 5,678 bilhões, respectivamente. Barros lembrou que, no mesmo período de 2010, o fluxo cambial se encontrava negativo em 1,050 bilhão, influenciado negativamente pela balança comercial. Apesar dos resultados mais fracos deste mês, no acumulado deste ano, a conta financeira e a comercial estão positivas em US$ 24,063 bilhões e US$ 42,734 bilhões, respectivamente, levando o fluxo cambial somar saldo positivo de US$ 66,797 bilhões. Tendências de mercado Nesta manhã, as principais bolsas européias e o índice futuro da bolsa norte-americana, o S&P, operam em alta, corrigindo parte das fortes quedas verificadas ontem. Com isso, O Bradesco que a bolsa brasileira registre ligeira alta neste pregão, revertendo parte da perda de ontem. Neste sentido, no mercado de câmbio, as principais moedas se apreciam frente ao dólar, o que deve se repetir contra o real. Já no mercado doméstico de juros futuros, na ausência de grandes novidades, esperamos que tanto os vencimentos mais curtos quanto os mais longos apresentem relativa estabilidade.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor