O ‘milagre’ irlandês

O Central Statistics Office, o IBGE irlandês, divulgou nesta terça-feira a taxa de crescimento do PIB da Irlanda em 2015. A expectativa era de robustos 7,8%, mas o percentual final ficou em patamar de deixar corados os chineses: 26,3%. O produto doméstico passou de 193,16 bilhões de euros para 243,914 bilhões. O “milagre” pode ser explicado facilmente: é resultado da transformação do país, que quebrou em 2008, num paraíso fiscal com certo verniz.

A fórmula é simples: uma grande multinacional – como a Tyco, por exemplo – compra uma pequena empresa irlandesa e transfere para o país toda sua operação, em busca de uma tributação em torno de 12%, das menores do mundo dito civilizado. Em 2014, essa migração representou ativos avaliados em € 525 bilhões de euros. Michael Connolly, do Central Statistics, confirma: “Temos uma economia muito pequena, e se tivermos um grande aumento de ativos, é isto que acontece”, disse ao jornal britânico The Guardian.

O setor industrial (incluindo construção) cresceu nada menos de 87,3%; os demais tiveram alta mas próxima da normalidade, entre 5,7% e 10,4%. Outros dados confirmam o efeito contábil da migração de ativos. O consumo familiar cresceu apenas 4,5%, e o do governo, 1,1%. Exportações foram 34,4% maiores que em 2014, e as importações subiram 21,7%. Um dos principais itens são aviões a jato, comprados para serem cedidos por leasing a companhias aéreas. A Irlanda tem 20% do mercado mundial.

Para combater tal tipo de desvios, a União Europeia tem endurecido com grandes multinacionais que transferem – do ponto de vista formal – suas sedes para paraísos como o irlandês. O presidente Barack Obama também propôs ao Congresso que impeça tal tipo de negócios de inversão de ativos, que prejudicam a arrecadação e geração de empregos nos EUA. Neste ponto, teria o aplauso de Donald Trump.

Indústria rentista

A CNI se superou. Conseguiu fazer uma pesquisa sobre tributos e gastos públicos na qual a pergunta sobre em qual área o governo deveria reduzir suas despesas não tinha “pagamento de juros” entre as opções de resposta.

Quartos sobrando

Como esta coluna cansou de alertar, a euforia com a leva de turistas que viria ao Brasil após a promoção da Copa do Mundo, em 2014, ficou apenas no desejo. Em 2015, o número de visitantes caiu 1,9% em relação ao ano anterior. Na comparação com 2013, houve alta de quase 9%.

Mas não se deve atribuir o resultado à Copa. O grande aumento foi de visitantes da Argentina, que andavam afastados por causa da moeda desvalorizada em relação ao real. Com a queda da moeda brasileira frente ao dólar, o país ficou atrativo aos vizinhos.

Como ficarão os hotéis construídos no Rio de Janeiro para as Olimpíadas?

Prioridade

As multas já começaram, mas placas e campanhas informando onde usar o farol baixo estão atrasadas.

Ouro negro

Em uma semana, ladrões roubaram duas cargas de feijão no interior da Bahia. Já na Região Oceânica de Niterói (RJ), em um tradicional restaurante, o prato para dois de picanha está mais barato que a feijoada para duas pessoas.

Rápidas

Omã será o tema da segunda palestra de um ciclo que apresentará aos empreendedores brasileiros informações sobre a cultura e oportunidades de negócios em outros seis países do Oriente Médio: Irã, Armênia, Egito, Líbano, Iraque e Argélia. O evento é realizado pela Mercator Business Intelligentisa, em parceria com a Assis Diplomacia Empresarial e com o apoio do Sebrae-SP. A palestra será dia 26 de julho, no Escritório Regional Capital Centro do Sebrae (R. José Getúlio, 89, Liberdade, São Paulo – SP) *** O musical Paradinha Cerebral, que estreia no Rio de Janeiro dia 20, vai promover em 21 de julho, 25 de agosto e 15 de setembro sessões com acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva (audiodescrição e interpretação em Libras). O espetáculo, que conta a história de um jovem com paralisia cerebral, estará em cartaz no Teatro 2 do Fashion Mall (Estrada da Gávea, 899/Loja 213), quartas e quintas, às 21h30, até 29 de setembro *** O Pacto do Rio realiza, a partir desta quarta-feira, o I Fórum de Sustentabilidade do Rio, com a participação de mais de 40 palestrantes. O evento será realizado na Associação Comercial do Rio, co-realizadora do evento. O Pacto é um movimento criado há pouco mais de um ano para promover e monitorar o desenvolvimento sustentável da Região Metropolitana do Rio. A programação completa está em http://forumdesustentabilidade.rio/ *** O Busucão, do Instituto Apaixonados por Quatro Patas, fechou uma parceria com o Caxias Shopping (RJ) para estacionar seu ônibus itinerante sempre no terceiro final de semana do mês. O objetivo é oferecer serviços gratuitos de vacinação e viabilizar espaço para uma feira de adoções de cães e gatos. O primeiro será realizado nos próximos dias 14, 15 e 16, das 13h às 18h *** O professor Bayard Boiteux, que coordena o curso de Turismo da Unisuam, ministra oficina internacional sobre agências de viagens em Lubango, Angola, no próximo mês, a convite da Fundação Eduardo Santos. Participa também o professor George Irmes, da Abav-RJ.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.