O ‘milagre’ irlandês

O Central Statistics Office, o IBGE irlandês, divulgou nesta terça-feira a taxa de crescimento do PIB da Irlanda em 2015. A expectativa era de robustos 7,8%, mas o percentual final ficou em patamar de deixar corados os chineses: 26,3%. O produto doméstico passou de 193,16 bilhões de euros para 243,914 bilhões. O “milagre” pode ser explicado facilmente: é resultado da transformação do país, que quebrou em 2008, num paraíso fiscal com certo verniz.

A fórmula é simples: uma grande multinacional – como a Tyco, por exemplo – compra uma pequena empresa irlandesa e transfere para o país toda sua operação, em busca de uma tributação em torno de 12%, das menores do mundo dito civilizado. Em 2014, essa migração representou ativos avaliados em € 525 bilhões de euros. Michael Connolly, do Central Statistics, confirma: “Temos uma economia muito pequena, e se tivermos um grande aumento de ativos, é isto que acontece”, disse ao jornal britânico The Guardian.

O setor industrial (incluindo construção) cresceu nada menos de 87,3%; os demais tiveram alta mas próxima da normalidade, entre 5,7% e 10,4%. Outros dados confirmam o efeito contábil da migração de ativos. O consumo familiar cresceu apenas 4,5%, e o do governo, 1,1%. Exportações foram 34,4% maiores que em 2014, e as importações subiram 21,7%. Um dos principais itens são aviões a jato, comprados para serem cedidos por leasing a companhias aéreas. A Irlanda tem 20% do mercado mundial.

Para combater tal tipo de desvios, a União Europeia tem endurecido com grandes multinacionais que transferem – do ponto de vista formal – suas sedes para paraísos como o irlandês. O presidente Barack Obama também propôs ao Congresso que impeça tal tipo de negócios de inversão de ativos, que prejudicam a arrecadação e geração de empregos nos EUA. Neste ponto, teria o aplauso de Donald Trump.

Indústria rentista

A CNI se superou. Conseguiu fazer uma pesquisa sobre tributos e gastos públicos na qual a pergunta sobre em qual área o governo deveria reduzir suas despesas não tinha “pagamento de juros” entre as opções de resposta.

Quartos sobrando

Como esta coluna cansou de alertar, a euforia com a leva de turistas que viria ao Brasil após a promoção da Copa do Mundo, em 2014, ficou apenas no desejo. Em 2015, o número de visitantes caiu 1,9% em relação ao ano anterior. Na comparação com 2013, houve alta de quase 9%.

Mas não se deve atribuir o resultado à Copa. O grande aumento foi de visitantes da Argentina, que andavam afastados por causa da moeda desvalorizada em relação ao real. Com a queda da moeda brasileira frente ao dólar, o país ficou atrativo aos vizinhos.

Como ficarão os hotéis construídos no Rio de Janeiro para as Olimpíadas?

Prioridade

As multas já começaram, mas placas e campanhas informando onde usar o farol baixo estão atrasadas.

Ouro negro

Em uma semana, ladrões roubaram duas cargas de feijão no interior da Bahia. Já na Região Oceânica de Niterói (RJ), em um tradicional restaurante, o prato para dois de picanha está mais barato que a feijoada para duas pessoas.

Rápidas

Omã será o tema da segunda palestra de um ciclo que apresentará aos empreendedores brasileiros informações sobre a cultura e oportunidades de negócios em outros seis países do Oriente Médio: Irã, Armênia, Egito, Líbano, Iraque e Argélia. O evento é realizado pela Mercator Business Intelligentisa, em parceria com a Assis Diplomacia Empresarial e com o apoio do Sebrae-SP. A palestra será dia 26 de julho, no Escritório Regional Capital Centro do Sebrae (R. José Getúlio, 89, Liberdade, São Paulo – SP) *** O musical Paradinha Cerebral, que estreia no Rio de Janeiro dia 20, vai promover em 21 de julho, 25 de agosto e 15 de setembro sessões com acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva (audiodescrição e interpretação em Libras). O espetáculo, que conta a história de um jovem com paralisia cerebral, estará em cartaz no Teatro 2 do Fashion Mall (Estrada da Gávea, 899/Loja 213), quartas e quintas, às 21h30, até 29 de setembro *** O Pacto do Rio realiza, a partir desta quarta-feira, o I Fórum de Sustentabilidade do Rio, com a participação de mais de 40 palestrantes. O evento será realizado na Associação Comercial do Rio, co-realizadora do evento. O Pacto é um movimento criado há pouco mais de um ano para promover e monitorar o desenvolvimento sustentável da Região Metropolitana do Rio. A programação completa está em http://forumdesustentabilidade.rio/ *** O Busucão, do Instituto Apaixonados por Quatro Patas, fechou uma parceria com o Caxias Shopping (RJ) para estacionar seu ônibus itinerante sempre no terceiro final de semana do mês. O objetivo é oferecer serviços gratuitos de vacinação e viabilizar espaço para uma feira de adoções de cães e gatos. O primeiro será realizado nos próximos dias 14, 15 e 16, das 13h às 18h *** O professor Bayard Boiteux, que coordena o curso de Turismo da Unisuam, ministra oficina internacional sobre agências de viagens em Lubango, Angola, no próximo mês, a convite da Fundação Eduardo Santos. Participa também o professor George Irmes, da Abav-RJ.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Construção da P-80 ‘exporta’ 395 mil empregos

Candidatos defendem volta do conteúdo local e fazer reparos de embarcações no Rio.

Europa admite 2 pesos na crise na Ucrânia e em Gaza

Cinismo típico da mentalidade colonial

Petróleo sob disfarce de direitos humanos

China descobre grande reserva na Região de Uigur, alvo das ‘preocupações’ dos EUA.

Últimas Notícias

Bares e restaurantes tiveram o maior faturamento do ano em julho

Segundo associação do setor, 32% dos estabelecimentos operaram com lucro no período, enquanto 41% tiveram equilíbrio.

China aprofunda cooperação agrícola pela segurança alimentar global

Quando os ventos sopram a exuberante fazenda de trigo que se estende por cerca de 300 hectares no noroeste do Zimbábue em agosto, é difícil acreditar que essa terra fértil era estéril há uma década.

Câmara do Rio cassa mandato de Gabriel Monteiro

Vereador foi julgado por quebra de decoro parlamentar.

ODI não financeiro da China sobe 4,4% de janeiro a julho

O investimento direto não financeiro (ODI, sigla em inglês) aplicado pela China no exterior atingiu 424,28 bilhões de yuans nos primeiros sete meses do ano, um aumento anual de 4,4%, mostram os dados oficiais nesta quinta-feira.

Número de inadimplentes subiu 4,8% no acumulado do primeiro semestre

Cartão de crédito é responsável por mais de 80% dos brasileiros endividados.