35.5 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

O mundo da lua

Depois de qualificar de “impecável” a política econômica perpetrada pelo ministro da Fazenda, Antônio Palocci, o Conselho Empresarial de Politicas Econômicas da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) se disse preocupado com o fato de, como, infelizmente, este otimismo não é compartilhado por grande número de políticos e empresários, as crescentes críticas ao Senhor PIB -0,2% possam “contagiar o mercado financeiro”. Embora insistam em que problema do governo não seja de êxito, mas de comunicação, nenhum conselheiro propôs a contratação de Zeca Garotinho para garoto-proganda do paloccianismo.

O mundo real
Apesar do frenesi despertado pela política de Palocci no conselho, seus integrantes admitem que existem setores como o de automóveis e de eletroeletrônicos nos quais “a recuperação é mais lenta, por serem dependentes de crédito e da taxa de juros”. Ou seja, os setores que dependem de renda e/ou crédito para crescer continuam a ver navios e a fornecer platéia e combustível para os críticos da política econômica. A Associação Comercial do Rio é presidida pelo ex-ministro collorido Marcílio Marques Moreira.

Alerta
Setenta e cinco por cento da água utilizada no Estado do Rio de Janeiro vem do problemático Rio Paraíba do Sul, ameaçado por poluição e com seu volume cada vez mais reduzido. No mundo, há quem garanta que, dentro de 50 anos, a água potável será tão rara e disputada quanto o petróleo; outros prevêem ainda menos tempo. A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro entra hoje de cabeça na luta pela preservação e lança a campanha Alerta Água, de conscientização da população fluminense. A campanha, que será deflagrada a partir de segunda-feira, 22 de março, Dia Mundial da Água, atingirá empresários e trabalhadores da indústria, 3.300 empregados do Sistema Firjan, os alunos da rede Sesi/Senai e a população em geral.

Um por todos
Com o slogan “União é tudo”, a Associação Brasileira de Proteção de Direitos Editoriais e Autorais se uniu à Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR). A nova entidade, formadas por autores e editores, combate a pirataria de livros. Foi eleito para presidir a ABDR Enoch Bruder, da Editora Atlas. A reprodução não autorizada de livros causa prejuízo estimado em R$ 350 milhões por ano.

Mapa da mina
Conhecimentos de contabilidade, balanço e demonstração de resultados é o que pretende transmitir o curso “Contabilidade para não contadores”, que a Associação e o Sindicato dos Bancos do Rio de Janeiro realizarão de 22 a 31 de março. Inscrições: (21) 2253-1538, 2203-2188 ou ozanete@aberj.com.br.

Gatinho
Nota publicada ontem nesta coluna recomendava o serviço da AOL para tirar dúvidas sobre a declaração do Imposto de Renda. Só que, de forma antipática, o consultor on line só está disponível para os assinantes do provedor. Como o número de clientes da AOL é quase tão pequeno quanto o de leitores desta coluna, é melhor recorrer ao serviço do concorrente – e maior provedor do Brasil – UOL.

Padrão
Dentro de no máximo 180 dias os números de telefone de emergência serão os mesmos em todo país. O objetivo é facilitar a memorização, por parte da população. As chamadas destinadas continuarão gratuitas. A medida só não é um “ovo de Colombo” porque serão 34 números, de três dígitos, para os diversos serviços (como o 193 do Corpo de Bombeiros e o 197 da Polícia Civil), sendo 12 para emergência. O melhor seria copiar o sistema dos Estados Unidos, onde o 911 centraliza qualquer tipo de chamada.

Sinais trocados
Quando os principais defensores da manutenção do ministro da Fazenda responsável pela queda de 0,2% do PIB, pelo aumento de desemprego em 1,5 milhão de brasileira e pela perda de 12% da renda nacional são um senador do PSDB e os tucanos das editorias de Economia só a Velhinha de Taubaté ainda acredita que o governo atual não a continuação do fhismo.

Artigo anteriorSaudades da Enron
Próximo artigoHerança
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.