O resgate da dignidade do povo do ramal Japeri

12647
Trem metropolitano (Foto: Henrique Freire/SuperVia)
Desde a privatização as tarifas dos trens foram elevadas (Foto: Henrique Freire/SuperVia)

Prefeitura busca a melhoria nos serviços de trens da cidade e arredores

 

Há muito tempo que o povo da Baixada Fluminense sofre diariamente com a dificuldade de mobilidade para trabalhar, estudar, buscar atendimento médico, lazer e tudo aquilo que todos deveriam desfrutar com prazer, mas que, infelizmente, não acontece.

Grande parte da população da Baixada precisa se deslocar diariamente para trabalhar na cidade do Rio de Janeiro. A melhor alternativa deveria ser utilizar os trens dos diversos ramais, como Japeri, Saracuruna, Belford Roxo ou Santa Cruz.No entanto, desde a privatização dos trens, a vida dos trabalhadores tem sido difícil. Tarifas elevadas, trens superlotados, longos tempos de espera na Central, paralisações por falta de energia e dificuldade de acesso nas estações, são indicadores dessa dor diária que nos aflige, como prefeitos e prefeitas dos municípios ao longo das vias férreas.

Como Prefeita de Japeri, tive reunião com o Secretário de Transportes, Washington Reis, e declarei a ele o apoio da nossa comunidade às mudanças necessárias no serviço de trens, que até recentemente era operado pela Supervia. Além do apoio político, oferecemos apoio técnico para ajudar a construir o que deverá ser um novo modelo, que minimize as dores e, ao mesmo tempo, resgate a dignidade do povo da Baixada e, por extensão, da Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro.

Espaço Publicitáriocnseg

Estou empenhada na articulação política para implantar o Fórum de Prefeitos e Prefeitas do Ramal Japeri, abrangendo, além de Japeri, os municípios de Paracambi, Queimados, Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita e Rio. Como representantes desses municípios, temos condições de fornecer informações ao Governo do Estado, sugerir propostas, buscar recursos federais e auxiliar na gestão do novo modelo de trens para a Baixada e os subúrbios do Rio.

Precisamos responder a questões óbvias: como garantir que os usuários paguem o mínimo possível para seus deslocamentos? Como viabilizar que as pessoas possam desfrutar, além de sua própria cidade, das demais ao longo desse eixo, seja para trabalhar, estudar ou lazer? Como integrar o trem aos demais modos de transporte, como os de mobilidade ativa – caminhada a pé e bicicleta –, além de metrô, ônibus, barcas e VLT? Como garantir que a adequada integração possa incentivar a maioria da população a utilizar o transporte público, reservando o uso de veículos próprios apenas para ocasiões especiais, melhorando assim a fluidez do trânsito – com maior rapidez e menos irritação – e reduzindo significativamente a emissão de gases poluentes e de efeito estufa?

Minha equipe de governo está ultimando uma proposta que acreditamos poder responder a essas questões com viabilidade técnica e política, e que será apresentada na primeira reunião do Fórum de Prefeitos e Prefeitas do Ramal Japeri na próxima semana.

 

Fernanda Ontiveros é prefeita de Japeri (RJ).

 

Leia também:

Falta de transparência e má qualidade do serviço de trem ‘pesam’ na crise

8 COMENTÁRIOS

  1. Cada um trabalhador tem que ter seu respeito do seu patrão … Porque se depender de ser pontual no horário de trabalho … Dependendo do serviço de transporte ferroviário ele con certeza sera despedido por justa causa …

  2. Parabéns pela iniciativa. A super via usufruiu de todos os bens do transporte público via trens do Rio de Janeiro. Eu usuário dos trens a 5 anos convivo com um dilema diário onde nenhum dos argumentos da super via se coincide com a realidade. Ramal de japeri está acabado do. Ontem mesmo eu comuniquei a super via é também a Agetrasp um caso polêmico na estação e Japeti… por falta de manutenção os trens tem que estacionar na plataforma 1c porque a chave de desvio dos trens para plataforma 1b não funciona, com isso os trens estão indo para 1cou 1a. Misericórdia. A gente a passarela que faz transferência para plataforma 1c com o fluxo de pessoas se deslocando na passarela se move como se estivesse solta, balança tudo.

  3. Os serviços até então prestados pela Supervia vinham caindo de qualidade dia-a-dia. A situação se agravou com os constantes furtos de cabos, o que veio ocasionando muitos atrasos e também paralisações dos trens de todos os ramais que partem da Central do Brasil. Atualmente, a situação está caótica. Na última 3a feira, 16/05/2023, a partir das 16 horas, todas as composições que chegavam a Gare da Central do Brasil não prosseguiram viagem. Os alto falantes informavam repetidamente que tais composições apresentavam avarias e não iriam prosseguir viagem. Estranho é que essas mesmas composições chegaram normalmente, sem qualquer problema. Perto das 18:00 horas, eu tive que trocar de trem por 4 vezes.
    Sou idoso e tive que viajar sentado no chão do trem, porque não me arrisquei a disputar um assento naquele “estouro de boiada” que é a disputa de assentos quando o trem chega na plataforma. O povo também contribui muito com essa balbúrdia, principalmente por falta de educação. A situação só tende a piorar se a renovação do contrato com a Supervia não for renovado. Penso que novos Consórcios devam surgir para que haja mais transparência e competitividade nessa questão, afim de que os serviços possam melhorar e os preços baixarem.

  4. Infelizmente não temos alternativas quanto ao transporte da baixada ( no meu caso Mesquita) para o centro do Rio de Janeiro, pois se pegarmos ônibus seremos assaltados, se pegarmos trem chegaremos atrasados. Mudaram o horário do primeiro trem ( ramal Japeri) que saía de Japeri às 3:35, agora o primeiro sai às 04:03. E só passa ATRASADO em Mesquita. Conheço pessoas que perderam a gratificação do mês devido aos atrasos, e fez muita falta no orçamento , pois era com essa gratificação que faziam as compras e com o salário pagavam as contas de luz, aluguel, etc..

  5. Parabéns à prefeita de Japeri! Iniciativas assim deveriam ser buscadas pelos prefeitos de Itaguaí e de Mangaratiba, a fim de termos de volta o nosso trem de passageiros até Santa Cruz há muitas décadas perdido. Pelo menos até o Sahy, tendo em vista a localização estratégica e o fato dos trilhos ainda chegarem até à Enseada de Santo Antônio

  6. A solução para Queimados e fazer um terminal rodoviário, e agregar outras linhas de ônibus pois aqui não tem nem ponto de ônibus coberto sem falar que as linhas aqui existentes são:de ônibus sucateados que quebram a cada esquina. Aqui existe um monopólio a mais de cinquenta anos só tem uma linha de ônibus para o centro ônibus velhos uma empresa chamada Blanco que tem umas carroças que até Deus dúvida se vai chegar ao destino.
    Uma passagem ultra cara, então querem melhorar abrem conceção linhas não só para o centro do rio mas para as adjacências, Pavuna, Méier, cascadura,campo grande, Deodoro, Itaguaí, Mangaratiba,angras dia Reis e muito mais.assim vcs iriam descongestionar os trens que na minha opinião e muito caro a passagem.
    Vem aqui e pega a opinião do povo sofredor que encara trens lotados de madrugada vem e faz um plantão na estação que iram comprovar tudo isso que vos falo e maís um pouco.

  7. Parabéns pela iniciativa prefeita Dr. Fernanda Ontiveros, infelizmente concordo com tudo a cima e acrescento mais, sofremos com essa dor diária que nos aflige a décadas, e agora pra completar o tempo de viagem de japeri a central do Brasil que era de 1:15 e chegava lá com 1:05 a 1:10
    Agora o tempo de viagem é inacreditável de japeri a central do Brasil no trem expresso é de 1:45 a 2:15, 2:20, 2:25, 2:30 não tem horário certo para chegar lá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui