O senhor da guerra

O comércio de armas no mundo atingiu o mais alto nível desde o fim da Guerra Fria. O aumento, nos últimos cinco anos, foi de 8,4%. Estados Unidos e Rússia respondem juntos por mais da metade das vendas. Os EUA, contudo, levam ampla vantagem: sozinhos, ficam com um terço do comércio (os russos levam 23%) e são fornecedores para mais de 100 países, muito mais que qualquer Estado concorrente. A China, com alta de 74% desde o último levantamento (2007–2011), aparece em terceiro lugar. França e Alemanha completam o top 5. A Índia é o maior importador, seguida pelos Emirados Árabes.

Os dados do Instituto Internacional de Investigações sobre a Paz, de Estocolmo (Sipri, na sigla em inglês) mostram o Brasil sem qualquer destaque, tanto na compra, quanto na venda: embora entre os 40 maiores importadores do mundo, ocupa apenas a segunda posição na América Latina (empatado com o México com 0,8% das compras mundiais); em primeiro na região está a Venezuela, com 1,6% do mercado global, mas apenas o 17º no mundo. Como fornecedor, o Brasil é apenas o 23º entre 25 países pesquisados, com 0,2% do comércio mundial. Os principais compradores de armas brasileiras no período 2012–2016 foram Indonésia, Afeganistão e Angola.

Pedágio indefinido

A pedido do Ministério Público Federal, a Justiça Federal determinou liminarmente a suspensão do processo licitatório para a concessão da Rodovia Estadual SP-333, que liga Florínea, na divisa com o Paraná, a Igarapava, próximo a Minas Gerais.

A concorrência só deve ser retomada após a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) rever a cobrança de tarifa a motoristas que utilizam a estrada para seguir pela Transbrasiliana (BR-153) na região de Marília, onde as duas rodovias se sobrepõem por 25km. O trecho da SP-333 que atravessa a cidade é conhecido como Rodovia D. Leonor Mendes de Barros.

A sessão de abertura dos envelopes com as propostas para a concessão da SP-333 estava prevista para acontecer nesta quarta, pela comissão especial de licitação da concessão do sistema rodoviário que integra o lote Centro Oeste Paulista. A sessão pública de abertura das propostas de preço se dará na BM&FBovespa, em data ainda não marcada.

O leilão, se retomado, vai inaugura o quarto lote do Programa de Concessões de Rodovias paulista. O projeto envolve a concessão de 570 quilômetros de rodovias e prevê investimento de R$ 3,9 bilhões ao longo dos 30 anos de contrato. A disputa se dará pela maior oferta de outorga, sendo o valor mínimo R$ 450,9 milhões relativo à primeira parcela.

Juros caem no samba

As centrais sindicais farão nesta quarta um carnaval com o Bloco dos Juros Baixos, em protesto contra as altas taxas, em frente à sede do Banco Central em São Paulo (na Avenida Paulista, 1.804). A manifestação ocorre no mesmo dia que o Copom (Comitê de Política Monetária) divulgará a Selic.

O bloco terá a participação da bateria da Escola de Samba Imperador do Ipiranga, com 30 integrantes, além de baianas e passistas.

Rápidas

Arlindo Fiorentin faz curso sobre Biopsicoenergética, técnica desenvolvida pelo cientista Lívio Vinardi, que tem como objetivo mostrar as diferenças energéticas entre homens e mulheres e como harmonizá-las para um maior benefício pessoal. O curso ocorrerá em 25 e 26 de março, de 9 às 17 horas. Mais informações através do www.ortobio.com.br *** A fintech chinesa Wecash anunciou que Ítalo Lare assumiu a posição de chefe de Desenvolvimento de Negócios e Vendas no Brasil. Lare, durante três anos, foi gerente de Produtos no Banco Original, instituição controlada pela J&F que foi implantada sob comando do atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles *** A FGV Direito SP realiza, nesta quarta, mesa redonda para debater as perspectivas da economia de apps no Brasil. O evento contará com uma palestra de Michael Mandel, economista-chefe da ONG norte-americana Progressive Policy Institute (PPI). Inscrições podem ser feitas em http://direitosp.fgv.br/evento/mesa-redonda-economia-de-apps-brasil-perspectivas-desafios-regulatorios-juridicos *** Fernando Camargo é o novo diretor de Desenvolvimento de Produto da SoftExpert. A companhia anunciou também Josiani Silveira como seu novo diretor Comercial. Ele já estava na companhia, como diretor de Desenvolvimento de Produto, e assume o posto deixado por Kelson Lunardelli, que acaba de passar para o comando da SoftExpert nos Estados Unidos *** A Associação dos Advogados de São Paulo promove debate, nesta quinta, às 17h, sobre um dos pontos mais polêmicos da reforma trabalhista proposta pelo Governo Temer: a prevalência de acordos e convenções coletivos de trabalho sobre a CLT. O ex-ministro Almir Pazzianotto participa. As inscrições já estão abertas no site da AASP (www.aasp.org.br/eventos).

Artigo anteriorCunha aprovaria
Próximo artigoJuros e correção chocantes
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.

Exterior abre em alta e futuros no Brasil operam com cautela

China atinge crescimento de 18,3%; na Europa, Índice de Preços ao Consumidor amplo de março teve avanço de 1,3% ao ano.

Estaleiro de SC investe meio milhão em linha de produção exclusiva

Estaleiro irá entregar até quatro vezes mais rápido e atender à crescente procura por embarcações novas.