OAB rebate declaração de Macron sobre soja brasileira

A Comissão de Agronegócios da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional São Paulo (OAB-SP) divulgou nota ontem em apoio à sojicultura brasileira diante das declações do presidente da França, Emmanuel Macron, que afirmou que comprar soja do Brasil é incentivar o desmatamento na Amazônia.

No documento, assinado pelo presidente Marco Tulio Bastos Martani e pelo vice-presidente Bernardo Felipe Abrão, a Comissão afirma que o produtor de soja brasileiro respeita a legislação nacional e que preza pelas boas relações com todos os países, sejam compradores, parceiros comerciais ou consumidores finais. É inadmissível que um chefe de nação faça ilações com a finalidade única de estimular a produção própria de seu país, prejudicando a imagem e a reputação de produtores que respeitam as leis do Brasil e que desempenham importante papel de abastecer o mundo com seus produtos agropecuários.

“A declaração do presidente francês, Emmanuel Macron, que afirma que a compra da soja brasileira estimula o desmatamento ilegal, é descabida de fundamentos e afronta a dignidade do produtor rural brasileiro. As maiores áreas produtoras de soja brasileiras não estão na Amazônia e se localizam em fronteiras agrícolas ou áreas anteriormente improdutivas, adaptadas com estudos e tecnologias da Embrapa e de outras entidades de pesquisa, a duras penas, para que o Brasil se tornasse um dos líderes mundiais em produtividade agrícola. Fruto do esforço coletivo, a sojicultura brasileira é competitiva e altamente produtiva, integrada às cadeias mundiais do agronegócio, merecendo ser respeitada”.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil deverá colher 265,9 milhões de toneladas de grãos, ou seja, 3,5% a mais do que a temporada 2019/2020 – já considerada muito boa. Soja e milho correspondem a 89% da produção de grãos, sendo que a soja tem crescimento estimado em 3,3% (134,5 milhões de toneladas) e a produção de milho deverá ser superior a 102 milhões de toneladas. A produção total de feijão no país é de 3,1 milhões de toneladas. Quanto ao arroz, o crescimento é de 3,2% na área e a produção está estimada em 10,9 milhões de toneladas.

Leia mais:

China foi o principal destino do agro exportado pelo Brasil

Câmara aprova fundo de investimento para a agropecuária

Artigos Relacionados

Aplicativos mantêm total controle sobre trabalho de entregadores

OIT: o número cresceu 5 vezes nos últimos 10 anos.

Se aprovada como está, PEC Emergencial destruirá BNDES

Presidente da Associação dos Funcionários e recentemente eleito para o Conselho de Administração, Arthur Koblitz encaminhou carta a senadores.

Entre executivos, salário do presidente da Petrobras é fichinha

CEO de capital aberto no Brasil tinha uma remuneração 663 vezes maior que a média paga aos funcionários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.