Oi promete melhorar via Oi Total

Mercado Financeiro / 19:49 - 11 de ago de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

NÚMERO DE CLIENTES RESIDENCIAIS CAI 3,8% NO SEMESTRE

Pacote, lançado em março, inclui TV paga, celular, telefone fixo e banda larga e quase 4,4% da base total de telefonia fixa

Os próximos trimestres da Oi serão melhores, prometeu Marco Schroeder, diretor presidente da companhia e que assumiu o cargo em junho. A grande expectativa é com o Oi Total, que inclui TV paga, celular, telefone fixo e banda larga e quase 4,4% da base total de telefonia fixa já foi transferida para o pacote, lançado em março deste ano.

Além disso, o objetivo da empresa é aumentar a receita média por cliente, que chegou a R$ 82,10 no trimestre com a ampliação da quantidade dos serviços oferecidos para fidelizar o cliente e diminuir o número de desinstalações. No primeiro semestre deste ano, houve redução de 3,8% no número de clientes residenciais em relação ao ano passado.

Perda de clientes

O executivo acredita que esses são os primeiros sinais positivos de retomada que a companhia apresentou no seu balanço. Com a apresentação do plano de recuperação judicial, que será feita até setembro, e o desenrolar do processo, ficará mais claro como a Oi pretende se reerguer do maior calote da história.

Ainda que a companhia, que está em processo de recuperação judicial, tenha divulgado novos planos para recuperar o crescimento, no 2º trimestre os números ainda caíram em relação ao ano passado.

A empresa de telefonia também viu o número de clientes, receita líquida e o Ebitda caírem. A dívida, por outro lado, aumentou. E no segundo trimestre deste ano a empresa teve prejuízo de R$ 656 milhões e dívida bruta ficou em R$ 46,49 bilhões. A dívida líquida cresceu 19,46% para R$ 41,39 bilhões, impactada principalmente pelo pagamento da última parcela da licença para operar a rede 3G, rescisões trabalhistas e pagamento de depósitos judiciais. Esses pagamentos ocorreram antes do início da recuperação judicial, que foi anunciado em 20 de junho. Agora, a empresa irá renegociar o que deve e como irá pagar esse valor com seus credores.

A receita líquida da Oi totalizou R$ 6,32 bilhões, queda de 3,5% em relação ao ano passado. Ela afirmou que os dois principais motivos foram a queda na recarga de pré-pago e de serviços para outras empresas, que foi 4,6% menor no ano.

Segundo a Oi, a crise econômica foi o principal motivo para isso. Com a crise, clientes deixam de recarregar o celular e pequenas e médias empresas cortam custos em serviços de ligação. Em meio a tantos números negativos, ela destacou um dado animador: a receita com dados móveis subiu 20,3%, com maior cobertura e uso de redes 3G e 4G.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor