32.4 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 23, 2021

Comerciantes do Centro tiveram piora na demanda em 2020

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec-RJ), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro, com empresários do comércio de bens e serviços da região, 80,3% dos entrevistados registraram queda acima de 25% no faturamento de 2020 no comparativo com 2019. Para 10,6%, a redução variou de 16% a 25%, seguidos por 4,6% que apresentaram queda de 6% a 15%. Por fim, 4,6% afirmam que houve diminuição do faturamento em até 5%.

Para 57,4% dos empresários, a demanda por bens e serviços piorou muito. Os que acreditam que a situação piorou são representados pelo percentual de 25,4%. Para 12,5%, a procura permaneceu igual. Apenas 4% afirmam que a demanda melhorou e para 0,7% houve um incremento significativo.

No estudo, foram realizadas perguntas específicas sobre o impacto da pandemia na atividade econômica do Centro e uma “nuvem” de respostas em relação aos principais problemas que o empresário do Centro enfrenta, incluindo temas como segurança, vacina e pessoas de rua, sendo estes os assuntos que lideram o ranking.

Além da Covid, outro fator apontado como um dos grandes entraves à recuperação da região é o comércio informal. Levantamento aponta que 2/3 deles veem esse ponto como principal obstáculo. Dados do IFec-RJ mostram que, a partir de 2014, o Estado apresentou um crescimento acelerado de informais, sendo que o ano de 2017 foi especialmente atípico.

Leia mais:

Informalidade é uma das causas de baixas vendas do comércio do Centro

Rio: fretadores vão à Justiça contra norma que bane entrada de turista

Artigos Relacionados

Indústria rejeita retrocesso à jurássica lógica colonialista

Entidades criticam 'visão rasa' de que Brasil deveria se concentrar na agroindústria.

Ipea alerta para crises similares à de Manaus

Medidas de distanciamento estão menos rigorosas.

Twitter: Bolsonaro teve só 4% de menções positivas e 66% de negativas

Segundo pesquisa da Modalmais/AP Exata, para 37,2%, governo é ruim/péssimo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.