‘Olhos de Água’, romance delicado e apaixonante

Por Paulo Alonso.

Nada, para a autora, é mais verdadeiro do que o amor

 

Depois de viver os últimos seis anos em Paris, onde pôde fazer um mergulho na literatura e na cultura francesa, a escritora Luciana Babo Tavares, que acaba de lançar Olhos de Água, aterrissou, semana passada, no Rio de Janeiro, cidade onde nasceu, para dar continuidade aos seus projetos de autora curiosa e sempre sintonizada com o mundo em que vive. Afinal, como Fernando Pessoa, ela pretende ser uma antena do Mundo.

Afinal como bem pregava a saudosa Cora Coralina, “o que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”. E é essa a preocupação de Luciana em escrever em sintonia com o que vê, observa, depreende e pesquisa. O Rio de Janeiro e, em especial as calçadas de Copacabana, bairro em que vive quando está na Cidade Maravilhosa, são fontes de inspiração, assim como o samba, o carioca, as ondas do mar e a música popular brasileira.

Na apresentação do livro, a advogada baiana Tiana Camardelli diz que Luciana deu um pulo gigante, em 2016, quando resolveu viver na capital francesa. Para Tiana, ela “levou seu ‘s’ sibilante para Paris, de mãos dadas com o marido, Bernardo, e os filhos, Rafael e Pedro”.

Luciana viajou com a promessa secreta de crescer, de cruzar gente, de abrir sua mente ao coração de quem sentasse ao seu lado para falar. Ela queria escutar e escutou. Essa conexão França-Brasil, segundo Tiana, “nunca foi tão rimada com textos tão reflexivos, engraçados, belos, sonoros, sobretudo honestos”.

Nesse seu romance de estreia, Luciana não poderia ter escolhido melhor narrativa, porque nada, para ela, é mais verdadeiro do que o amor. E é justamente sobre o amor que Olhos de Água, obra com 142 páginas, dividida em duas partes e com várias resenhas/capítulos sobre situações vividas e/ou sonhadas, apresenta em uma linguagem sedutora, simples, inteligente, mágica, lírica e apaixonante.

Ao ler a obra de Luciana, em determinado momento, me lembrei do João Cabral de Melo Neto, amigo querido e com quem tive o privilégio de conviver, ao lado da sempre exuberante Marly de Oliveira, notável poeta, e que em certa ocasião escreveu: “Mesmo sem querer fala em verso quem fala a partir da emoção”. O livro de Luciana é emocionante, pela possibilidade que dá ao leitor em mergulhar, linha após linha, em seu universo, submerso de água cristalina. As linhas de Olhos de Água falam a partir da emoção da autora.

Na resenha “Deixar se guiar pelas estrelas”, a autora encanta com poesia romântica e delicada. “A noite chega. Noite modesta. De festa. De amor. Noite que zomba, que testa, que samba. De riso, de dor. Noite que, de um sereno intenso, me cobre imenso, me promete fogo, me ateia ardor. Noite como esta, quero agora, para sempre, com você, pescador.”

Luciana, logo após escrever “Teresa”, lembra e homenageia o poeta Vinícius de Moraes, quando transcreve “Como dizia o poeta”: “Quem já passou por esta vida e não viveu, pode ser mais, mas sabe menos do que eu, porque a vida só se dá para quem se deu, pra quem amou, pra quem chorou, para quem sofreu…”

E assim, entre “Filho do Milagre”, “Vive la France”, “o Encontro”, “A segunda garrafa de vinho”, “Le pouvoir du moment présent” e, dentre outros igualmente criativos e elegantemente escritos, “As estrelas pertencem aos que desobedecem à lucidez”, a obra é uma reunião de olhares, saberes, curiosidades, ansiedades, luzes e paixões, sob o olhar de uma escritora que se lança, com muita garra, nesse ofício de colocar no papel e em linhas os seus sentimentos mais profundos.

Também cantora, compositora, instrumentista e amante das artes, Luciana Babo Tavares é advogada, tendo feito seu curso de Direito, na PUC-RJ, e concluído o seu MBA em Gestão Empresarial, na FGV-Rio. No Rio, por um período, a escritora veio colher material de investigação para a sua próxima obra que pretende explorar o carioca, seus costumes, hábitos e manifestações culturais.

E como o sempre atual Vinícius de Moraes foi mencionado em Olhos de Água, nada mais natural do que irmos ao encontro do poetinha, tão genial e tão saudoso, e lembrar de alguns dos seus muitos versos: “Amai, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido” e “a vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida.”

Ler Olhos de Água foi um belo encontro com a romancista Luciana Babo Tavares. Como ela própria sugeriu no autógrafo da obra, dei um mergulho nas linhas do livro e saí dessa água energizado e com os olhos marejados e mais feliz. Obrigado.

 

Paulo Alonso, jornalista, é reitor da Universidade Santa Úrsula.

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns! Emocionante vibrante poética e deliciosa análise de Olhos de Água. Sim , perfeita ! O romance mexe com os nossos 5 sentidos . Você , como eu,mergulhou e se emocionou. Olhos de Água faz a gente sonhar e saborear cada frase…e se sentir melhor, mais feliz , mais-apaoxonada pela vida
    Grande abraço no seu sensivel coração
    Maria Lucia Babo

  2. Ahhh Luciana… Sem “previsões futuristas” enredou seu romance Olhos de Água num momento tão conturbado e nos fez sonhar, rir, chorar e acreditar no mais belo e puro amor!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

A Zona Franca de Manaus

Por Paulo Haddad.

O desafio do investimento seguro nas criptomoedas

Por Valdir Coscodai.

A insana privatização da Eletrobras precisa ser interrompida

Por Maria Lucia Fattorelli.

Últimas Notícias

Títulos chineses detidos por instituições estrangeiras diminuem

Instituições estrangeiras diminuíram suas participações em títulos interbancários chineses, segundo um relatório divulgado pela sede do Banco Popular da China em Shanghai.

Operações financeiras de Shanghai estão estáveis apesar da epidemia

O centro financeiro da China, Shanghai, conseguiu manter suas operações financeiras estáveis apesar do recente ressurgimento da COVID-19.

Carga de energia aumentou 2,2% em abril ante 2021

ONS: Subsistema Sudeste/Centro-Oeste registra variação positiva de 4,8%.

Quatro em 10 brasileiros pretendem pedir crédito nos próximos 90 dias

Intenção atingiu maior patamar desde junho de 2021; dívidas são o principal motivo.

Healthtechs e edtechs rivalizam com fintechs por investidores

Startups de saúde e de educação se aproximam das empresas de tecnologia financeira na disputa pelos aportes