OMC por OCDE: ‘Não há um balanço tão claro de perdas e ganhos’

Estar na OCDE é importante para o país, mas o Brasil deveria trabalhar para manter o tratamento especial na OMC, porque outros países de renda média, como China, Índia, Cingapura e Coreia, acabam se utilizando, e isso prejudica o Brasil. Assim analisa para a coluna o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Pimentel, a discussão iniciada na reunião entre os presidentes Trump e Bolsonaro, sobre o ingresso do país na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, em troca de abrir mão do status que nos beneficia na Organização Mundial do Comércio.

Estar na OCDE é importante para o país, que já participa da entidade, na prática. Apesar de não sermos membros, é um dos países que mais introjetou as normas da organização. É importante porque, dada a qualidade dos integrantes, nos ajudará em todas as normas de governança pública. Por exemplo, o Brasil aderiu recentemente às ações contra a pirataria no âmbito da OCDE. A Abit tem participado de fóruns sobre a cadeia de suprimentos internacional de têxtil, confecções e calçados”, relata Pimentel.

Ele prossegue: “Claro que o ideal seria que nós continuássemos a manter os ‘privilégios’ do status de país em desenvolvimento na OMC, o qual se mantém. Este status não é o mesmo que o tratamento especial diferenciado (TED); o primeiro é autodeclatório e será mantido. Quão importante é o TED? Não tem sido muito, mas seria interessante mantê-lo. Serve, por exemplo, para você ter um prazo maior para implementar acordos na OMC, isso seria bom. O TED também permite maior uso de subsídios na agricultura, mas nós estamos hoje em patamares inferiores aos permitidos.”

De qualquer maneira, não há um balanço tão claro de perdas e ganhos”, afirma o presidente da Abit. “É muito bom a nosso ver entrarmos para a OCDE, por tudo que representa em termos de governança e atuação num fórum das grandes economias mundiais. Ao mesmo tempo, o Brasil tem uma característica de um país em desenvolvimento, com bolsões de país de primeiro mundo e bolsões muito atrasados, refletindo nossa desigualdade. Então, não é algo que tenha uma perda material visível, mas, de qualquer maneira, é uma negociação, e acho que a sociedade vai balancear este discurso.”

A princípio, nós achamos positivo que o Brasil aceda à OCDE e vamos discutir essa outra questão que diz respeito a algumas perdas do tratamento diferenciado”, resume.

 

Mundo girar

O navio veleiro Cisne Branco, espécie de embaixada flutuante da Marinha do Brasil, parte nesta segunda em seu tour anual pelo mundo levando a bordo a premiada cachaça Magnífica. Serão servidas doses e caipirinhas nos eventos do navio. Representantes dos países visitados ganharão garrafas especiais.

A carioca Magnífica foi premiada, entre outras vezes, na Itália como a melhor cachaça envelhecida no ShowRoom Tasting Competition 2016. A primeira parada será em Barbados. Seguem Estados Unidos, Açores, Holanda, Suécia e Dinamarca.

 

Preventivo

Quando um deputado estadual do Rio de Janeiro chama de “companheiro” um parlamentar preso, ele assim o faz por ser o colega deputado ou por ser a prisão um futuro comum?

 

Patriarca parcial

Fabrício Queiroz, patriarca à moda antiga, centraliza em sua conta os salários das filhas e da mulher. Mas da filha Nathália Queiroz só ficava com a parte que ela ganhava como assessora de Jair Bolsonaro. Os ganhos como “personal trainer”, 3 vezes maiores, não foram para o pai.

 

Rápidas

O economista-chefe do Bradesco, Fernando Honorato, abre nesta terça-feira o Fórum de Gestão de Saúde, que a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RJ) promove no auditório da Firjan *** O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) e o Instituto Justiça & Cidadania realizarão, em 11 e 12 de abril, o VIII Fórum Nacional de Mediação e Conciliação (Fonamec), com o tema “Fóruns Multiportas”, discutindo as mais modernas técnicas de mediação e conciliação judicial. O presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, confirmou presença. Informações em institutojc.com.br *** O Caxias Shopping receberá no próximo dia 30 o “Ponto de Leitura” do Sesc, das 14h às 18h *** O Carioca Shopping preparou uma edição especial de seu Baile Dançante para celebrar o mês das mulheres, nesta terça-feira, das 15h às 19h *** Rodolfo Fücher é o novo presidente da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes).

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Metroviários de SP param por vacinas e lockdown

Greve de 24 horas pede medidas de prevenção contra Covid para trabalhadores do transporte público.

‘Eu quero uma casa no campo…’

Êxodo urbano: mais de 1,3 milhão de famílias brasileiras pretendem migrar para áreas rurais.

Direita vence no Equador

Banqueiro Guillermo Lasso vence socialista Andrés Arauz no segundo turno da eleição.

Mercados internacionais abrem com cautela

Enquanto isso acontece lá fora, aqui Ibovespa ensaia leve alta.

Semana começando sob tensão

Desde a semana passada, segue a novela do Orçamento.