30.5 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

Onde conteúdo local não é considerado crime

A Saudi Aramco encerra nesta terça-feira a quarta edição de seu fórum do programa de Valor Total Adicionado do Reino. O evento reúne investidores locais e internacionais para explorar oportunidades na cadeia de fornecimento de energia e destacou histórias de sucesso e as melhores práticas para a promoção do conteúdo local dos fornecedores.

Sim, conteúdo local, par de palavras que no Brasil soa como palavrão, mas que é a chave para desenvolver a indústria local e afastar o risco da doença holandesa que ataca os meros exportadores de commodities. O exemplo de sucesso da Noruega deveria bastar. Mas, para os economistas formados nas universidades norte-americanas, o que vem dos EUA (digo, as ordens) presta.

A Saudi Aramco criou o programa de Valor Adicionado para tornar o setor de energia da Arábia Saudita globalmente competitivo através da produção local de bens e serviços, criando empregos diretos e indiretos para os cidadãos e aumentando a exportação de bens e serviços em 30%.

Durante o evento, foram assinados US$ 27,5 bilhões em um total de 31 parcerias comerciais. Atualmente, 51% de cada ryal que a Saudi Aramco destina para materiais e serviços são gastos localmente.

O sistema faz parte da estrutura da iniciativa estratégica do Programa Nacional de Transformação e procura desenvolver uma cadeia de fornecimento confiável e sustentável, capaz de fornecer localmente 70% (no Brasil, a exigência de conteúdo local de 65% foi criticada como um escândalo) das exigências de materiais e serviços de seu setor energético. Até 2030, o programa também pretende estabelecer 30 centros de treinamento, ajudando 360 mil graduados altamente especializados a assumirem os postos de trabalho do futuro.

O fornecimento da cadeia de valor da Saudi Aramco em nosso próprio território é uma ação estratégica para maior integração e agilidade, com benefícios comerciais os quais multiplicam significativamente nossa contribuição para a prosperidade de longo prazo do Reino, além de ser uma vitória para nossos fornecedores, pequenas e médias empresas, fabricantes e fornecedores de serviços globais”, exultou Mohammad A. Al-Shammary, vice-presidente de gerenciamento de aquisições e cadeia de fornecimento da companhia estatal saudita.

 

Propina com delay

Alguém precisa segurar o Ministério Público. A acusação de que Lula recebeu suborno cinco anos depois de ajudar uma empresa brasileira a continuar fornecendo para outro país é um escárnio. Também a acusação contra o governador Pezão, do Rio, de pagar duas vezes pela iluminação da Maracanã, se assemelha a um chute de canela.

 

Alô, Paulo Guedes

Dica de graça da coluna, com inspiração do que ocorrerá ano que vem na Argentina: consumado o aumento para o Judiciário, o futuro governo poderia negociar com o atual a criação, já para 2019, de uma nova alíquota do IR pessoa física para os supersalários; digamos, acima de R$ 20 mil.

 

Rápidas

A Fiesp divulga nesta terça-feira os resultados da pesquisa Rumos sobre as expectativas com o movimento de final de ano e as dificuldades para pagar o 13º salário *** No mês da Consciência Negra, o Center Shopping Rio recebe a exposição #In África – Movimento de um continente, até o dia 30 *** Seja um doador de sorrisos! Fazer um paciente sorrir é mais simples do que você imagina”. Com este mote, a Arte Despertar pretende alcançar até 3 de dezembro R$ 5 mil em doações (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/seja-um-doador-de-sorrisos) para contribuir com o projeto que leva narração de histórias e música para hospitais públicos e filantrópicos *** Nesta quarta-feira, a partir das 19h, o Centro Mackenzie de Liberdade Econômica (CMLE) reúne especialistas para o “Debate 30 anos da Constituição Federal 88: uma análise crítica, que abordará os efeitos da constituição na economia”, no campus Higienópolis. Inscrições: www.sympla.com.br/30-anos-da-constituicao-de-1988-uma-analise-critica__405304 *** Nesse domingo, acontece mais uma edição da Feira Caxias Shopping, das 12h às 18h, com frutas, verduras e outros produtos agrícolas plantados de forma natural *** Na quarta-feira, o CEO do Grupo Epicus, Sérvulo Mendonça, será um dos palestrantes do Primeiro Fórum Roraimense de Jovens Lideranças Contábeis. Informações em www.crcrr.org.br/portal/

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.