Onze anos para desemprego na Europa voltar a 2008

Falta de respostas econômicas e estelionato político se refletem na insatisfação com democracia.

A taxa de desemprego na Zona do Euro (que reúne 19 países) ficou em 7,4% em dezembro de 2019, a mais baixa registrada na área desde maio de 2008, poucos meses antes de estourar a crise com a quebra do banco Lehman Brothers. Assim, se passaram 11 anos para que o desemprego retornasse a um nível que ainda é alto, com 12,251 milhões de trabalhadores sem conseguir um posto de trabalho.

Não é à toa que, em um cenário desses, cresçam críticas a imigrantes e tomem corpo partidos políticos que pregam soluções simples, porém equivocadas, para um problema complexo. A falta de respostas da elite no poder se reflete no relatório elaborado pelo Centro para o Futuro da Democracia da Universidade de Cambridge, com dados de 154 países ao longo de várias décadas, que constata ter 2019 registrado o “mais alto nível de descontentamento democrático” desde 1995. Em 2005, 38,7% dos cidadãos estavam insatisfeitos com a democracia, percentual que aumentou para 57,5% no ano passado.

A descrença na democracia aumenta na mesma proporção em que o poder das grandes corporações suplanta o resultado das urnas, em garantia dos interesses delas. As respostas extremistas – o relatório de Cambridge cita as eleições de Trump e Bolsonaro – representam um grito por mudanças. Sem direção política, naufragam as esperanças.

 

Antes tarde…

O presidente Jair Bolsonaro, como cobrou a coluna na segunda-feira, finalmente foi a Minas Gerais, nesta quinta, verificar o desastre causado pelas intensas chuvas. Mas não desceu do helicóptero para colocar o pé na lama.

 

Investigando o investigador

Comentário feito por amigo da coluna sobre a auditoria milionária no BNDES: “O banco gastou R$ 43 milhões contratando empresas para auditar cerca de seis operações de empréstimo, inclusive da JBS, que, ao final, concluíram estarem corretas. Para quem conhece de valores de auditoria, esses parecem extremamente elevados.”

Tais verificações”, prossegue, “certamente poderiam ser feitas internamente por funcionários da casa não envolvidos na operação”. E completa: “Esse fato é tão surreal e com valores tao estratosféricos que o mínimo que deveria acontecer seria uma auditoria da auditoria!”

 

Ainda o BNDES

Se a auditoria no BNDES tivesse encontrado alguma irregularidade, as manchetes destacariam a “roubalheira” de Lula e Dilma. Como nada errado foi constatado, os ex-presidentes e o PT ficaram fora do noticiário.

 

Economia

A redução nos preços das placas Mercosul, a partir da simplificação – que aumenta os riscos de clonagem – interessa aos grandes frotistas. Só a Localiza, locadora de Salim Mattar, secretário de Privatizações do Governo Bolsonaro, possui 300 mil veículos. Se o gasto com o emplacamento de cada um deles caísse R$ 50, por exemplo, a empresa economizaria R$ 15 milhões.

 

Tenho medo

A Regina Duarte que assume a pasta da Cultura (na qual tem contas a acertar) é a que atuou em “Vale Tudo” ou a da “Rainha da Sucata”? Ou será que vale tudo para sucatear a cultura brasileira?

 

Rápidas

O Seminário sobre Desigualdade Social com Lula, iniciativa do PT e parceiros, será realizado nesta sexta-feira, a partir de 10h, com transmissão ao vivo pelas redes do partido. Participam Aloizio Mercadante, José Graziano, Laís Abramo, Jessé de Souza, Eduardo Moreira e Tereza Campelo *** O Instituto Jelson da Costa Antunes (IJCA) e a Secretaria Municipal de Educação de São Gonçalo realizarão, este ano, um programa que oferta qualificação profissional concomitante ao ensino fundamental para alunos de 18 a 29 anos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O projeto começa em fevereiro, no início do ano letivo *** O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio apresentará, no próximo dia 13, das 19h às 21h, a palestra “A família, a empresa e a cultura brasileira – uma visão antropológica para compreender os desafios das empresas familiares”, com o professor e escritor William Corbo. Inscrições aqui *** “Gestão de Patrimônio: Cenários e Perspectivas” é o tema da mesa redonda no Ibmec Rio de Janeiro fará dia 3, às 19h, com Marcelo Henriques de Brito, José Bechara e Mariana Cunha. Detalhes aqui.

 

 

 

 

 

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...