Oportunidade existe; mundo sairá da rota suicida?

O mundo roda, a pandemia gira, e a desigualdade aumenta.

Fatos e Comentários / 20:11 - 1 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Nobel da Paz de 2006, o economista de Bangladesh Muhammad Yunus vê na crise provocada pelo coronavírus uma oportunidade para se redesenhar o sistema econômico tradicional, “que havia colocado a humanidade em rota suicida”.

Os protestos que varrem os Estados Unidos, se tiveram como gatilho um ato racista, se abastecem nas desigualdades na sociedade norte-americana, que se aprofundaram nas últimas décadas e se mostraram de forma cristalina na crise sanitária e econômica da Covid-19.

Yunus tem razão ao ver uma oportunidade para mudanças, mas para que isso aconteça é preciso que a humanidade abrace opções concretas, que existem, mas dispersas em várias propostas.

Nos EUA, o racismo e desigualdade seguem de mãos dadas. Os protestos desta semana lembram os de 1992 em Los Angeles, após a absolvição dos policiais brancos que espancaram o negro Rodney King. Mais de 60 pessoas morreram, 2 mil ficaram feridas e milhares foram presas.

Em 2014, as ruas norte-americanas voltaram a ferver, após a morte de Eric Garner, estrangulado por um policial em Nova York. O crime deu origem ao movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam). No ano seguinte, o jovem negro Freddie Gray morreu após ser detido pela polícia de Baltimore. Os protestos duraram dez dias. Os seis policiais envolvidos foram absolvidos.

George Floyd foi morto em 25 de maio. Os protestos se avolumam, os resultados ainda estão sendo construídos. Enquanto isso, analistas acham que as Bolsas de Valores dos EUA vão se recuperar rapidamente das quedas. No Brasil, há previsões de a Bolsa superar 93 mil pontos em breve.

 

Redução da pobreza

A China viu o número de residentes rurais pobres cair de quase 770 milhões, no final de 1978, para 5,51 milhões, no final de 2019, como mostram os dados do Gabinete Nacional de Estatísticas. A proporção de pessoas pobres caiu de 97,5% para 0,6% no período. Mesmo com a crise econômica, o país asiático mantém a meta de eliminar a pobreza este ano.

 

Reservista barrado

O deputado estadual paulista Tenente Coimbra (PSL) recorreu ao Comando Militar do Sudeste para resolver um problema que tem impossibilitado que alguns militares da reserva não remunerada recebam o auxílio emergencial de R$ 600. O deputado explica que muitos militares que deram baixa recentemente ainda constam no sistema como ativos, inviabilizando a concessão do benefício.

 

Terrinha

Portugal oferece renda mínima de 1.100 (R$ 6.600) para os necessitados, ajuda que pode ir até dezembro. A economia deve encolher 6,8% este ano, mas crescer 5,8% no próximo. No Brasil em que Guedes regateia auxílio, economia deve desabar em 2020 e talvez nem crescer em 2021.

 

Rápidas

A presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministra Maria Cristina Peduzzi, é a convidada do webinar “Desafios do Direito do Trabalho”, que será realizado pela Revista Justiça & Cidadania, com apoio da Anamatra, no YouTube da revista, terça-feira (9), a partir das 16h. Contará ainda com a participação do presidente da Associação Médica Brasileira, Lincoln Lopes Ferreira *** Nesta quarta, às 17h, o Instituto Di Blasi, Parente realizará webinar “Franquias em Shopping: Os desafios da retomada”. A moderação fica a cargo de Gabriel Di Blasi, diretor Jurídico da ABF Rio. Inscrições aqui *** As consequências da pandemia sobre o sistema tributário brasileiro serão debatidas em live que o Centro Acadêmico Cândido de Oliveira (Caco-UFRJ) realizará nesta quarta-feira, às 18h, no Instagram *** O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) realizará, nesta quarta-feira, live sobre Imposto de Renda Pessoa Física, às 19h, no canal do YouTube *** Nesta quinta-feira, às 13h, Monique Abrantes, diretora de marketing da grife de buffet D.A Gastronomia, participará do Boot Camp idealizado pelo Instituto Florida Events Academy, onde ministrará a palestra “Experiências gastronômicas em eventos boutique”. Informações aqui *** O Hospital Copa D’Or completou duas décadas de atividade. Anualmente, o hospital realiza mais de 20 mil internações, 1 milhão e 100 mil exames de diagnóstico, 13 mil cirurgias, além de 12 mil atendimentos por mês na emergência.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor