Oportunidades

Crescimento na carreira (83%) é mais importante que remuneração (65%) entre profissionais que buscam emprego, revela pesquisa feita pelo Curriculum, que ouviu 15 mil pessoas. Antes do salário vêm ainda segurança e estabilidade, benefícios e chances de aprendizado na área. Quando questionados se estão satisfeitos com seus empregos atuais, 28,5% disseram não estar e 39% pensam em mudar de empresa.
Patrões prezam funcionários que desejam “fazer carreira”, mas preferem acima de tudo os sinceros…

Classificação
“A agência comentou anteriormente que um plano crível de redução do déficit orçamentário, que colocaria as finanças públicas em um caminho sustentável no médio a longo prazo, será necessário para apoiar o rating AAA do Governo Federal dos Estados Unidos.” “Um acordo crível sobre uma estratégia de consolidação fiscal assegurará a classificação “AAA” dos Estados Unidos, caso contrário, o perfil de crédito do soberano ficará inevitavelmente enfraquecido, o que poderá resultar em um rebaixamento do rating.”
As frases, parte de um comunicado da agência de rating Fitch, comprovam como estas empresas há muito abandonaram a análise técnica para se converterem em mais um instrumento de pressão sobre governos para implementar políticas de “austeridade”, políticas estas que não foram cobradas quando os Estados se endividaram e elevaram seus déficits públicos para salvar os banqueiros que quebraram no cassino.
Maior, sem dúvida, é o déficit de credibilidade dessas agências de rating, exposto especialmente – mas não somente – na crise de 2008. Interessante observar que esta empresas não se denominam como tal; são chamadas de agências ou instituições. Similar ao que acontece com outro grupo igualmente desacreditado: o das empresas de pesquisa, chamados de institutos, como se não quisessem assumir o que são: companhias privadas que prestam um serviço e objetivam o lucro.

Elo
A Mercado da Comunicação abre inscrições para o seminário de assessoria de imprensa. Serão apresentados alguns casos de sucesso, e haverá presença de profissionais de redação, que explicarão como se dá atualmente a relação com as assessorias. Mais informações: (21) 2284-4949.

Solo
Brasil e Japão vão se unir na pesquisa sobre biocarvão a fim de desenvolver insumos para o solo e fertilizantes de liberação lenta, especialmente para pequenos produtores. O trabalho, conduzido no Brasil pela Embrapa Solos, terá seu início em agosto. O biocarvão é o resíduo sólido da biomassa carbonizada aplicado no solo para melhoria da fertilidade; de quebra, sequestra carbono.

E os vencedores são…
Apenas 15 empresas, de 52 inscritas, disputam as cinco categorias do Padrão Ibef de Sustentabilidade. Os nomes só serão conhecidos dia 27, em evento no Jockey Clube do Rio de Janeiro. Criado pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), o prêmio pretende divulgar avanços na área da sustentabilidade, de modo que a sociedade tenha conhecimento do esforço desenvolvido para conciliar progresso e perpetuação da organização”, destaca Marcos Varejão, vice-presidente do Ibef.

Tem história
Dizem que o romantismo morreu no futebol, mas um exemplo de que ainda vive está no título e na chamada para matéria sobre a classificação do Uruguai nas quartas de final da Copa América da Argentina, no jornal uruguaio El País deste domingo: “Uruguay fiel a su historia: Uruguay sigue siendo grande entre los grandes, sigue escribiendo páginas y páginas de su rica historia, asombra, impacta, enmudece, deja sin aliento a sus hinchas y sin explicación a sus adversarios.” (“Uruguai fiel a sua história: Uruguai segue sendo grande entre os grandes, segue escrevendo páginas e páginas de sua rica história, assombra, impacta, emudece, deixa sem fôlego seus fãs e sem explicação seus adversários”). Isso é o futebol: bonito, cheio de histórias, emocionante e surpreendente. Mais: trouxe a Celeste Olímpica de volta e bem perto de 2014.

Dúvida
Os republicanos estão apenas fazendo um jogo eleitoreiro mesquinho enquanto chantageiam o presidente Barack Obama, e secundariamente proporcionando, com a instabilidade, elevados ganhos para o setor financeiro que financia suas campanhas, ou é o inverso?

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApertador de parafusos
Próximo artigoRoda, roda

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Reforma da Previdência desestimulou contribuição

Por Isabela Brisola.

Guedes fica mesmo avaliado com nota baixa

Apesar de abrir a possibilidade de aumentar a crise econômica e do desrespeito ao teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas...

Ex-ministro de Temer substituirá Funchal

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago assumirá o comando da Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A nomeação foi confirmada nesta sexta-feira...

Receita Federal abre consulta a lote residual de Imposto de Renda

A Receita Federal abriu nesta última sexta-feira consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês...

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...