Optou

Não foi por iniciativa do protocolo que o presidente Lula deixou de fazer a abertura do Pan Rio, depois de ser vaiado seis vezes pelo público. Segundo uma fonte que estava na tribuna, muito perto do presidente, a decisão foi do próprio Lula, que, ao perceber que as vaias não cessavam, fez um sinal negativo ao ser instado a falar.

Contrabando
A crise da infra-estrutura aérea do país exposta pelo longo apagão dos aeroportos serviu de oportunidade para setores que, apesar do longo apoio à política de desmonte do Estado, não se constrangem em defender o aprofundamento das medidas que levaram à atual situação. Quem assiste ao noticiário da CNN em espanhol, por exemplo, é brindado com a tese de que a privatização é a panacéia para todos problemas do setor. A emissora sequer se dá ao trabalho de pesquisar nos arquivos da sua congênere em inglês para exibir as imagens das trágicas conseqüências sobre o aumento do número de acidentes aéreos que se seguiu à desregulamentação do setor nos Estados Unidos. Foi preciso toda a paranóia que se seguiu ao 11 de Setembro, para que fossem retomadas medidas de segurança mínimas que haviam sido abandonadas em prol do livre mercado.

Peixe graúdo
“Tem peixe graúdo nesse vôo.” A expressão partiu de um agente da Polícia Federal, ao se referir ao vôo da Lan Chile, que chegou ao Galeão, na madrugada da sexta-feira passada. Quem desembarcava na mesma hora ficou na dúvida se a definição significaria um “bote” sobre algum suspeito ou se tratava de algum figurão. A dúvida foi sanada quando carros da PF escoltaram até a saída para a Linha Amarela as delegações que chegavam ao Rio àquela hora.

Anônimo
A síndrome do acionista desconhecido permite a investidores com um capital significativo a manutenção de um anonimato seguro que lhe faculta movimentações turbulentas no mercado acionário. Isso geralmente causa problemas para a empresa, seus acionistas, bem como a funcionários e outras pessoas que dependem dos serviços que a empresa fornece. A opinião é de William A. Relyea, diretor gerente da H.C. Wainwright & Co., Inc. e membro do Disclosure Advisory Board, entidade que defende o fim do anonimato.
“A não divulgação dos nome dos acionistas está criando um mercado desordenado nos Estados Unidos, tornando-os menos atraentes do que locais de investimentos de outras partes do mundo. É tempo de os acionistas desconhecidos quebrarem seu silêncio e anunciarem quem são”, defende Relyea.

Detran
Os turistas que visitam o Rio de Janeiro terão suas férias jogadas fora se precisarem do Detran. Essa é, por exemplo, a situação de um carioca radicado em Brasília há cinco anos que veio à cidade nessa época de Pan. A placa do carro é de Brasília, bem como sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Como perdeu o original do documento, usa uma fotocópia. Teve seu carro rebocado e, ao retirar o veículo, ouviu do atendente do Detran-RJ que deve tirar uma segunda via da CNH, ao custo de R$ 76 (pelo Duda), sem definição do prazo de entrega. O motorista tem de voltar para Brasília, para trabalhar, mas o órgão só dificulta a vida do cidadão.

Perdas e ganhos
Nem todo mundo perdeu com o apagão aéreo. Estacionamentos, cafés, restaurantes e lojas dos aeroportos lucraram com saguões, salas de embarque e desembarque lotados. Empresas de anúncios nos aeroportos também saíram ganhando. “Mais do que nunca, anunciar nos aeroportos brasileiros tornou-se uma das melhores opções para quem quer atingir um público altamente segmentado”, explica Bruno Moreira Folegatti, gerente da Codemp.

Estudo de caso
A Lumis, empresa de software pioneira no desenvolvimento de produtos e soluções para portais corporativos, promove, nesta quarta-feira, o workshop “Como nascem os portais de sucesso – três grandes desafios para obter resultados concretos e duradouros”.  O evento será na Câmara Americana de Comércio (Amcham), em São Paulo, com início às 8h30m. Um dos destaques do evento será apresentação do “Caso Magazine Luiza”, que colocou no ar seu portal Intranet batizado de Portal Luiza.

Artigo anteriorTriste lista
Próximo artigoImproviso
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.