Os boias-frias

Promete o Governo Temer que a Reforma Trabalhista transformará o Brasil num motor de criação de empregos. Por enquanto, a...

Promete o Governo Temer que a Reforma Trabalhista transformará o Brasil num motor de criação de empregos. Por enquanto, a promessa só vira realidade se adotado o economês: houve crescimento negativo de postos de trabalho. Está aí a Estácio, que demitiu mais de 1,2 mil professores. Redes de supermercados e lanchonetes também estão demitindo para contratar horistas. Pode ser que, adiante, o número de trabalhadores com carteira assinada cresça. Mas que tipo de emprego? E com que nível de salário? Empregados que ganharão menos de R$ 300 por mês?

O número de boias-frias no campo diminuiu com a mecanização. Nas cidades, a recessão jogou inúmeros trabalhadores na rua, dispostos a tudo para sobreviver. Existe uma parcela do empresariado brasileiro que sonha com funcionários que ganhem pouco, não desfrutem de férias ou recebam 13º e trabalhem com afinco. Algum dia, descobrirão algo não muito novo – vem lá da Revolução Industrial: não existe mercado sem consumidores.

 

Raio X

O consultor Luiz Affonso Romano iniciou a etapa de coleta de dados da edição 2017 da pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil. O levantamento, realizado anualmente, é uma tradicional publicação da área e apresenta um panorama da consultoria no Brasil. Quem participar receberá gratuitamente a íntegra da pesquisa de 2016 e a síntese de 2017.

A pesquisa se debruçará sobre: formas e áreas de atuação; motivos que levam à contratação; distribuição de clientes por setores da economia e posicionamento estratégico nos próximos anos; cobrança de honorários e de despesas adicionais; e perspectivas, entre outros temas.

Acreditamos que o Perfil trará novas luzes sobre como é desenvolvida a consultoria, qual seu mercado de trabalho, o que faz e para quem faz consultoria, setores que mais demandam, tendências para o próximo ano”, afirma Romano, que é diretor de Consultoria do Ibef e presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO).

A pesquisa ficará disponível no site do Laboratório da Consultoria (http://laboratoriodaconsultoria.com.br/site/) até 31 de janeiro de 2018.

 

Ética relativa

A Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou as 23 empresas aprovadas na edição 2017 do Pró-Ética. “As companhias foram reconhecidas, por relevantes instâncias governamentais e da sociedade civil, como íntegras e éticas nas suas relações entre os setores público e privado.”

Na lista está a Siemens – que ainda negocia com o Ministério Público de São Paulo um acordo de leniência por conta do escândalo dos trens da CPTM – caso conhecido como trensalão tucano. O acerto com o MP, porém, não deve resultar na denúncia de nenhum político ou servidor envolvido.

 

Por aparelhos

O que fez diferença para que a indústria voltasse a respirar em 2017 foram dois meses, abril e maio, quando o resultado obtido mostrou robustez (altas de 1,1% e 1,4%, respectivamente). O restante dos meses foi marcado ora por declínios, ora por um crescimento tão baixo que se confunde com estabilidade. Não é por acaso, portanto, que o resultado industrial brasileiro ainda carregue neste ano uma boa dose de fragilidade. A análise é do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi).

 

Guia de gestão

A empresária e jornalista Ana Borges, que escreve a coluna Conversa de Mercado na edição de final de semana do MONITOR MERCANTIL, está lançando seu segundo livro, Contabilidade de Custos – Aplicada à Gestão dos Negócios (Editora Érica). Ana é formada em economia pela UFRS e é professora de Economia e Finanças anos.

 

Judas – 1

Foi criada a primeira Zona de Processamento de Exportação (ZPE) no Rio de Janeiro. Fica no Porto do Açu, idealizado pelo judiado Eike Batista.

 

Judas – 2

A exportação de automóveis bateu recorde em novembro. Não dá para dissociar o feito do Inovar-Auto, criado pelo Governo Dilma.

 

Rápidas

A ABRH-RJ e a ACRJ realizam nesta sexta-feira, no auditório desta última, fórum sobre a reforma trabalhista *** Nesta quinta-feira, a partir das 19h30, o coral do Colégio Adventista de Campo Grande se apresenta no West Shopping como parte do roteiro especial de Cantatas de Natal. A atração é gratuita *** A FGV recebe nesta quinta, em sua sede no Rio, o II Fórum: A Mudança do Papel do Estado: Estratégias para o Crescimento. Participam das discussões acadêmicos da Universidade de Columbia e nomes como Armínio Fraga e Gustavo Franco, ambos ex-presidentes do Banco Central – opa, mas o debate não é sobre crescimento?

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA voz do establishment
Próximo artigoEles usam black tie

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.

Marrocos quer se desenvolver como polo de tecnologia

Setor digital emprega 120 mil pessoas no país; país tem investido em acordos e memorandos para aumentar investimento na área.