Os êxitos do avanço com estabilidade da economia chinesa

430
Máquinas para exportação (foto de Hua Xuegen, Diário do Povo Online)
Máquinas para exportação (foto de Hua Xuegen, Diário do Povo Online)

Novo paradigma de desenvolvimento em que a circulação doméstica é o esteio

 

Em 2021, diante de um complexo cenário internacional e surtos esporádicos da Covid-19 no território nacional, o governo chinês persistiu no princípio de procurar crescimento enquanto manter a estabilidade, coordenando de forma científica as restrições sanitárias e o desenvolvimento socioeconômico. Como resultado, a reforma, a abertura e a inovação conheceram novos progressos, assegurou-se efetivamente o bem-estar dos cidadãos, o novo paradigma de desenvolvimento tomou forma e novas conquistas foram alcançadas no desenvolvimento de alta qualidade. À medida que mantém uma tendência estável de recuperação, a economia chinesa tem alcançado os seguintes êxitos notáveis:

Em primeiro lugar, o crescimento econômico chinês mantém-se no topo do mundo. Em 2021, o PIB chinês chegou a 114,4 trilhões de RMB, ou US$ 17,7 trilhões. O crescimento de 8,1% continua à frente das principais economias do planeta. De acordo com as últimas projeções do Fundo Monetário Internacional, o PIB da China deve representar cerca de 18% da economia mundial em 2021, com a taxa de contribuição de até 25% ao crescimento global.

Em segundo lugar, o padrão de vida registra melhoria constante. O governo chinês vem fortalecendo seus esforços para garantir o abastecimento e estabilizar os preços, aumentando a disponibilidade de produtos de primeira necessidade no mercado. O Índice de Preços ao Consumidor, principal indicador de inflação, sofreu uma alta moderada de 0,9%.

Espaço Publicitáriocnseg

Mais de 12,69 milhões de novos postos de emprego foram criados em áreas urbanas, onde a taxa de desemprego pesquisada foi de 5,1%, 0,5 ponto percentual abaixo da média do ano anterior. Em rota ascendente, a renda disponível per capita aumentou 8,1% em termos reais, acompanhando o crescimento econômico do país. Continuaram a crescer os investimentos no bem-estar social, entre os quais o investimento nos setores da saúde e da educação aumentou 24,5% e 11,7% respectivamente.

Em terceiro lugar, o comércio exterior demonstra um avanço histórico. O total de importação e exportação de mercadorias registrou uma alta de 21,4%, faturando 39,1 trilhões de RMB, aproximadamente US$ 6,05 trilhões, ultrapassando, pela primeira vez, a marca de US$ 6 trilhões. O volume das exportações e a participação no mercado internacional atingiram um novo recorde, enquanto foram otimizadas a estrutura e a qualidade desse comércio.

O quarto ponto a ressaltar é mais uma boa colheita na produção de grãos. A safra de 2021 foi um novo recorde histórico, com uma produção de 682,85 milhões de toneladas de grãos, 13,36 milhões de toneladas a mais do que no ano anterior, um aumento de 2%. Dessa forma, a China consolidou sua capacidade de abastecer a população, garantindo efetivamente a segurança alimentar do país.

O quinto ponto é o florescimento de novas indústrias e novos modelos de negócios. A indústria manufatureira de alta tecnologia produziu 18,2% a mais do que o ano anterior. A nova geração de tecnologia da informação acelerou a penetração e a inserção em novas áreas de consumo, como compras on-line, pagamento móvel e integração online e offline.

Manufatura avançada e serviços modernos crescem de forma integrada, e o setor terciário faturou 8,2% a mais, representando 53,3% do PIB nacional e contribuindo com 54,9% para o crescimento econômico. Foi acelerada a transição verde da economia de maneira a construir um arcabouço institucional “1+N” para alcançar o pico das emissões e a neutralidade de carbono. Grandes projetos de energia eólica e fotovoltaica estão em fase de planejamento ou implementação em áreas arenosas, rochosas e desérticas.

O crescimento econômico da China superou as expectativas e também foi superior à meta estabelecida no início do ano, demonstrando forte resiliência e dinamismo. O bom desempenho da segunda maior economia do mundo fortalece a confiança na recuperação econômica global e injeta um novo ímpeto na retomada, dando protagonismo ao seu papel de “motor principal” e “estabilizador”. Num contexto de retração do comércio mundial, a China disponibiliza a empresas em todos os cantos do mundo um mercado maior, melhores oportunidades e mais espaço de desenvolvimento, dando um impulso fundamental para o crescimento da economia global.

Enquanto a recuperação econômica global ainda enfrenta o desafio da pandemia, o mundo precisa lidar com a instabilidade e a incerteza. Já a economia da China também sofre pressões causadas pela contração da demanda, pelos choques de oferta e pelas expectativas enfraquecidas, de maneira que ainda encontrará vários riscos e desafios pela frente. No entanto, deve-se notar que permanece inalterada a situação básica em que a economia chinesa mantém forte resiliência, grande potencial e tendência promissora a longo prazo, e permanece inalterado um ímpeto de recuperação sustentada e estável, bem como as condições para um desenvolvimento de alta qualidade.

A China está acelerando a construção de um novo paradigma de desenvolvimento em que a circulação doméstica é o esteio, e as circulações doméstica e internacional se reforçam mutuamente, promovendo um maior grau de abertura ao exterior. Temos a confiança, a força, a capacidade e as condições de alcançar um desenvolvimento econômico estável e sólido.

Parceiros estratégicos globais, China e Brasil mantêm, nos últimos anos, uma cooperação frutífera em todos os campos. A parceria econômica e comercial venceu adversidades como a pandemia e registrou crescimento em 2021. O comércio bilateral cresceu 32% e ultrapassou a marca de US$ 130 bilhões, um novo recorde histórico. Dessa forma, a China permanece como o maior parceiro comercial do Brasil.

O desenvolvimento sustentado e estável da economia chinesa expandirá as perspectivas para a parceria comercial sino-brasileira. A China está disposta a compartilhar as oportunidades e os dividendos de seu desenvolvimento com o Brasil e outros países. Vamos unir forças para fazer maiores contribuições para vencer a pandemia, facilitar a recuperação econômica global e promover o desenvolvimento sustentável no pós-pandemia.

 

Tian Min é cônsul-geral da China no Rio de Janeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui