Os presidenciáveis e os endividados

Opinião / 13:18 - 17 de out de 2002

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Não poderia deixar de fazer um comentário em cima de tudo que observei nas campanhas dos candidatos a Presidente da República. Todos, exceto o Garotinho, demonstraram total indiferença aos desmandos que o sistema financeiro prática contra a população brasileira. Mesmo Garotinho somente contestava os lucros dos bancos de uma forma generalizada e nenhum deles citou detalhes de como os bancos aumentam seus lucros fabulosos. Debitam taxas e tarifas fantasmas nas contas-corrente e nas de poupança dos clientes, cobram juros extorsivos, acumulativos e multiplicativos, se apropriam indevidamente dos salários de funcionários públicos, militares e contas-salário de uma forma geral. Condicionam ao fornecimento de talões de cheques, empréstimos, limites, contas garantidas etc., desde que o cliente praticamente seja obrigado a comprar; seguros, planos de saúde, planos de previdências, planos de capitalização etc. Acertam uma taxa de juros em diversas operações e colocam outra. Conduzem os clientes assinar contratos em branco. Não fornecem cópias de contratos aos clientes. Além das taxas e tarifas fantasmas, cobram tudo por qualquer serviço para ajudar a montar e manter suas luxuosas e sofisticadas agências. Renovam restrições no Serasa que estão prestes a completar cinco anos. Tripudiam da população com filas e mais filas, portas de acesso constrangedoras. Banheiro em qualquer agência, nem pensar! Deficientes físicos não existem para eles, e por aí vai. Poderia citar outras inúmeras aberrações que acontece a todo instante em todo Brasil, literalmente, sem exceção. Mas Lula, Serra, Garotinho e Ciro jamais citaram qualquer um destes itens, jamais se manifestaram contra o maior e principal problema de nossa economia que é a transferência do suado dinheirinho do povo brasileiro para o enriquecimento ilícito dos bancos, financeiras, administradoras de cartões de crédito, empresas de factoring, agiotas e tudo mais que envolve nosso sistema financeiro. Parece que, lamentavelmente, vamos ter um novo presidente alheio a esta triste e perversa situação como foi o sociólogo FHC. Emanuel Gonçalves da Silva Diretor da EGS Consultoria Empresarial Ltda, especialista em negociação de dívidas. Autor do livro Como Negociar Dívidas. Internet: www.sosdividas.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor