Outro paradigma

Em seu encontro com George Bush, em Washington, o presidente Lula pode imitar Bill Clinton e apontar a Malásia como símbolo de país que recusou a ortodoxia do FMI e se deu bem. O país asiático acumula este ano inflação de apenas 2,1%, mesmo índice dos Estados Unidos de Bush, com a vantagem adicional de que, diferentemente dos EUA – em recessão desde março do ano passado – cresceu 5,6% até o terceiro trimestre deste ano.

Logo mais
A Telemais, operadora-espelhinho de telefonia fixa, mudou sua identidade visual. O novo logotipo, que utiliza a letra T e o sinal +, é formado por dois globos, com o objetivo de transmitir os conceitos de conectividade e interatividade. O globo azul representa o universo das telecomunicações e o mercado global; o laranja é o universo do consumidor. Ah, sim, importante: apesar de já ter mudado de logotipo e ter concessão para operar em 69 cidades dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a empresa ainda não funciona. Só começa a prestar comercialmente seus serviços em fevereiro de 2003, em Lajeado (RS). Otimista, face à crise que impede que as espelhinhos saiam do papel, espera estar operando em toda a área de concessão até junho de 2004.

Cesar Sharon
A esquina da Avenida Rio Branco com a Rua Sete de Setembro, em pleno Centro do Rio de Janeiro, foi rebatizada. Desde que o prefeito Cesar Maia decretou estado de emergência contra os camelôs, passantes do outrora agitado, porém, pacífico lugar, o renomearam para Faixa de Gaza.

Corão violado
Com todos indicadores apontando que a meta de inflação para este de ano, de 6,5%, será superada, fechando acima de dois dígitos, providências graves se impõem. Afinal, o estouro da meta em 53% acima do seu teto deveria implicar sanções graves contra seus violadores, para justificar o status de fundamento econômico pétreo. Por isso, impõe-se perguntar: será que Armínio Fraga e Pedro Malan serão presos? Destituídos? Interditados? Afastados da vida pública? Ou, pelo menos, proibidos de passar férias em Nova York?

Transcensura
Ambientalistas e estudantes denunciaram ao Ministério Público e às Comissões de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Rio e da Câmara dos Deputados a direção da unidade do Recreio dos Bandeirantes da UniverCidade. Segundo a denúncia, o professor de Biologia Douglas Guimarães teria sido suspenso e proibido de utilizar em sala de aula o livro O Risco dos Trangênicos (Editora Vozes), de frei Sérgio Antônio Görgen. A denúncia solicita a garantida da liberdade de expressão e o fim da censura intelectual. No fim de 2000, a direção da UniverCidade sediou o I Fórum Carioca de Produtos Trangênicos. Na época, ambientalistas reclamara da ausência de debatedores contrários aos transgênicos.

Má companhia
Quem passa em frente ao Centro Cultural da Justiça Federal, no Centro do Rio, se depara com o anúncio da parceria desse interessante pólo cultural do estado com a Embratel. Como anotou uma freqüentadora, seria prudente que os juízes evitassem associar o nome da entidade a uma empresa cuja controladora, MCIWorld, é acusada de fraude nos Estados Unidos.

Artigo anteriorLá e cá
Próximo artigoValorização
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado de fertilizantes especiais cresce 41,8% em 2020

Neste ano, a expectativa é de que o setor obtenha uma nova elevação de 24%.

Consumo nos setores de turismo e diversão cresce em junho no Rio

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 5% em junho, depois de ter subido 8% em maio, de acordo com a...

População de países emergentes fica ainda mais pobre

Perda de renda foi 2x maior que nas nações ricas.

Pagamento indevidos: TCU encontra 11% de inconsistências no INSS

‘Falhas afetam a confiabilidade do banco de dados’ de benefícios previdenciários.

Investimentos de brasileiros em paraíso fiscal ultrapassam US$ 558 bi

Os ativos foram realizados principalmente em paraísos fiscais.