País de privilegiados

Os leitores habituais da coluna (ok, não são tantos, mas são fiéis) já se acostumaram com a frase “torture os números, que eles dirão o que você quer”, emprestada de um economista amigo (diferentemente de personagens simbólicos, como a grã-fina de narinas de cadáver, de Nelson Rodrigues, trata-se de uma pessoa real). A Federação das Indústrias do Rio, em anúncio de página inteira, não precisou contornar a Matemática para defender a Reforma da Previdência. Usou um único número, que fora de contexto tem o mesmo valor de um zero à esquerda – sem vírgula. Acusa que, entre 2001 e 2015, R$ 1,3 trilhão extraídos dos impostos pagos por 98% dos brasileiros foram para “quitar o déficit das aposentadorias de uma casta de 2% de privilegiados”.

A coluna não tem procuração para defender os funcionários públicos, nem o colunista pertence a tal casta de abonados pela Viúva. Mas não se furta a colocar pingos nos “is”. Somos hoje 208.372.638 (às 15h21) de brasileiros. Dois por cento são então 4.167.153. Dividindo o valor amealhado pela “casta”, temos, arredondando, R$ 312 mil por cabeça. Em 15 anos. Portanto, R$ 20,8 mil por ano, R$ 1,733 mil por mês.

Muito ou pouco? Injusto? Para não ficar na defesa ideológica, podemos comparar. No mesmo período, de 2001 a 2015, a União pagou R$ 1,454 trilhão em juros reais sobre a dívida interna (valores históricos, dados oficiais do Banco Central). Segundo a Anbima, em 2014 havia 11,5 milhões de cotistas em fundos de investimento. Porém, a informação não distingue quem possui quanto. A alta concentração permite deduzir que a maior parte dos juros foi paga aos 71 mil milionários que detinham 22,7% das riquezas de bens declarados ao fisco em 2013. Para fazer uma conta mínima, vamos supor que esses ricaços fiquem com este percentual dos juros. Cada um embolsaria R$ 310 mil por ano, ou quase R$ 26 mil por mês.

Parece pouco? É. Façamos outra comparação. Em 2013, R$ 196 bilhões da renda deste 71 mil felizardos era isenta de Imposto de Renda (lucros e dividendos). Se recolhessem ao Fisco com uma alíquota de 27,5%, como fazem os assalariados, pagariam, naquele ano, R$ 53,9 bilhões. O valor bate com a estimativa de que o Leão deixa de embolsar cerca de R$ 60 bilhões por ano devido às isenções concedidas pelo senhor Fernando Henrique Cardoso quando presidente (na OCDE, grupo de países de economia ortodoxa, só a Estônia oferece tal tipo de isenção ao topo da pirâmide). Voltando às contas, o valor de imposto isento, dividido pelo número de milionários, dá R$ 760 mil por cabeça por ano, R$ 63 mil por mês.

Somando tudo, noves fora, são praticamente R$ 90 mil por mês que a Viúva transfere mensalmente ao grupo que ocupa o topo da pirâmide no Brasil. Quem são mesmos os privilegiados?

 

Camarada

O que representa (Hugo) Chávez para o Brasil?”

É uma esperança para a América Latina, e gostaria muito que essa filosofia chegasse ao Brasil.”

O que acha dos comunistas apoiarem Chávez?”

Ele não é anticomunista, e eu também não sou. Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo que o meio militar. Nem sei que é comunista hoje em dia.”

O autor das respostas? Jair Bolsonaro, em entrevista ao Estado de S.Paulo, em 4/9/1999.

 

Solteiro em Sampa

Há, proporcionalmente, mais solteiros em São Paulo (39,2%) do que no Rio de Janeiro (29,9%); e mais ainda na capital paulista (49,1%) do que no total do estado. Os dados constam de enquete realizada pela UnitFour em sua base de dados. Existem mais homens solteiros que mulheres com o mesmo estado civil.

 

Recuperação

O comércio teve queda em outubro, informa o IBGE.

 

Rápidas

Prosseguem as comemorações da Semana da Engenharia. A Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Rio (Seaerj) conclui ciclo de palestras nesta quinta, às 17h30, com painéis sobre a Engenharia e a Arquitetura na conjuntura do Brasil. Na sede da entidade, Rua do Rússel, 1, Glória. Entrada livre *** As inscrições do processo seletivo para o Serviço Militar Voluntário (SMV) de oficiais temporários da Marinha do Brasil terminam nesta sexta-feira. Os rendimentos iniciais batem quase em R$ 9 mil. Detalhes em www.ingressonamarinha.mar.mil.br *** O projeto Domingo de Brincadeira do Caxias Shopping (RJ) apresenta dia 17 o espetáculo A História de Noel, a partir de 16h *** A Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp) elegeu novo presidente na tarde desta quarta-feira. Luiz Perissé assumirá em janeiro de 2018.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.

Exterior abre em alta e futuros no Brasil operam com cautela

China atinge crescimento de 18,3%; na Europa, Índice de Preços ao Consumidor amplo de março teve avanço de 1,3% ao ano.

Estaleiro de SC investe meio milhão em linha de produção exclusiva

Estaleiro irá entregar até quatro vezes mais rápido e atender à crescente procura por embarcações novas.