Países pobres gastam mais em dívida do que em saúde e educação

Cerca de um em cada oito países gasta mais com dívidas do que com serviços sociais, de acordo com um novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançado nesta quinta-feira, pedindo alívio do serviço da dívida e reestruturação para permitir que os países se recuperem da pandemia.

De acordo com o levantamento “A Covid-19 e a crise crescente da dívida”, em 2019, 25 países – em sua maioria atingidos pela pobreza – gastaram uma proporção maior dos gastos do governo com serviços da dívida do que com educação, saúde e proteção social combinados.

“Os custos pessoais e públicos são enormes, deixando as crianças, suas comunidades e seus países com poucas esperanças de um desenvolvimento econômico e social sustentável”, disse a diretora-executiva do Unicef, Henrietta Fore.

Antes da pandemia, os países com os níveis mais altos de serviço da dívida gastavam ao menos US$ 3 em dívidas para cada dólar pago a serviços sociais essenciais, de acordo com o relatório. “É improvável que as crianças que vivem em países com dívidas elevadas e recursos limitados para proteção social, educação e saúde jamais se libertem da pobreza e da privação”, advertiu Henrietta.

O relatório conclui que uma nova arquitetura internacional de reestruturação da dívida – que inclui maior apoio aos países pobres altamente endividados; maior transparência sobre a dívida como parte dos processos orçamentários nacionais; e ação coordenada por parte dos credores – é crucial para proteger os direitos das crianças na esteira da pandemia.

Artigos Relacionados

Franceses pouparão 160 bi de euros com ajuda do governo

A ajuda financeira recebida do governo por causa da pandemia da Covid-19, possibilitará aos franceses uma poupança em torno de 160 bilhões de euros,...

Raúl Castro passa para um civil a liderança do PCC

O primeiro secretário do Partido Comunista de Cuba (PCC), general do Exército Raúl Castro, anunciou sua aposentadoria à frente dessa organização política, cujo VIII...

1 em 3 trabalhadores recorre a aplicativos para conseguir renda

Durante a pandemia, número aumentou em 11,4 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.