Palácio Tiradentes será sede provisória da Câmara do Rio

A Casa dos vereadores, Palácio Pedro Ernesto, e anexos passarão por obras de revitalização.

A Alerj encerrou seu ciclo no Palácio Tiradentes, mas o monumental prédio da Praça XV e seu anexo não devem ficar vazios por muito tempo. Para lá irão, por, pelo menos, um ano, os vereadores cariocas. O acordo assinado pelos presidentes André Ceciliano (Alerj) e Carlos Caiado (Câmara Municipal do Rio) prevê que os 51 vereadores do Rio ocuparão os antigos gabinetes dos deputados estaduais e farão suas sessões plenárias no Tiradentes. Durante o período, o Palácio Pedro Ernesto e anexos, na Cinelândia, passarão por um retrofit, obra de revitalização de construções antigas.

 

Homenagem ao pai

Por falar na Câmara Municipal do Rio, um dos primeiros projetos a ser votado na volta do recesso será o que autoriza o prefeito Eduardo Paes a homenagear o pai, o advogado Valmar Souza Paes, mais uma vítima da Covid-19, com o nome em um logradouro do município. O projeto de lei é assinado por 17 vereadores.

 

Segurança exagerada nas escolas

Mas nem tudo são flores na Câmara Municipal do Rio. O vereador Felipe Boró (Patriotas) apresentou projeto de lei que determina a instalação de detectores de metais nos acessos a todos os estabelecimentos de ensino da rede pública municipal. E foi além: quer que as pessoas, sem exceções, fiquem condicionadas a uma inspeção visual de seus pertences antes de entrar numa escolas municipais. Nem o Aeroporto Internacional Tom Jobim tem uma segurança tão rigorosa assim.

Adriana Balthazar (foto Alerj)
Adriana Balthazar (foto Alerj)

Ação para evitar a evasão escolar

O Estado do Rio poderá instituir uma Política Estadual de Prevenção ao Abandono e Evasão Escolar. Proposto pela deputada Adriana Balthazar (Novo), o projeto de lei em tramitação na Alerj, segundo a parlamentar, vai ajudar a reduzir os números alarmantes divulgados, na última terça-feira (13), pelo Banco Mundial: 172 mil crianças e adolescentes de 6 a 17 anos pararam de estudar no primeiro ano da pandemia. “O fechamento das instituições, por causa da pandemia, agravou a desigualdade educacional”, lamenta a deputada.

 

Incentivo ao uso do gás natural no estado

A partir de agosto, quando voltar do recesso parlamentar, a Alerj vai formular propostas para o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) e para a Petrobras. Segundo o presidente da Casa, deputado André Ceciliano (PT), a ideia é garantir mais investimentos do setor para o estado. Os maiores desafios, segundo Ceciliano, serão a expansão da oferta de gás natural e o incentivo à economia do mar, gerando mais empregos e receitas. O Rio de Janeiro responde por 80% do petróleo extraído no país, mas apenas 20% dos fornecedores dessa cadeia produtiva estão localizados no estado.

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Você é ‘cringe’?

No mundo jurídico, é completamente cringe usar juridiquês, escrever errado, usar linguagem rebuscada.

Zodíaco dos vinhos: Libra

O vinho clássico libriano é um pouco indeciso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Taxar dividendos aumentou investimentos na França

Redução, nos EUA e na Suécia, só elevou distribuição de lucros.

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.