Palavras vazias

Deve visto sob a ótica do mundo virtual que caracteriza o tucanato o anúncio do diretor-geral da Agênc+ia Nacional de Petróleo (ANP), David Zylbersztajn, de que as empresas estrangeiras de petróleo investirão US$ 60 bilhões no país durante dez anos. No mundo real, estudo da Unicamp revelou que em 494 anos (1500-1994), as 6.311 multinacionais que passaram pelo Brasil nesse período investiram US$ 72 bilhões, enquanto a Petrobras sozinha investiu US$ 80 billhões em apenas 40 anos (1954-94).
Promessas de investimentos virtuais, aliás, não são novidade no setor de petróleo no país. Para justificar a assinatura dos contratos de risco, em 1975, anunciou-se que ondas de bilhões de dólares inundariam o país. Quando a poeira baixou, viu-se que, em 13 anos (1975-88), as concorrentes da Petrobras investiram mero US$ 1,6 bilhão. E, deste total, US$ 600 milhões foram gastos pela aventura malufista da Paulipetro.
As estrangeiras gastaram apenas US$ 650 milhões, dos quais 70% na compra de sondas do exterior. Durante 13 anos, essas empresas não acharam uma só gota de petróleo no país; recorde-se que encontraram um solitário campo de gás: Merluzza, na Bacia de Campos. A descoberta, porém, não agradou a seus autores, que tentaram passá-la à Petrobras, que recusou a oferta por considerá-la antieconômica. De real, nesses 13 anos, apenas os US$ 26 bilhões investidos pela Petrobras.

Preservação
Ao encerrrar, ontem, o IV Encontro da ESG com a Mídia, o comandante e diretor de estudos da Escola Superior de Guerra, general de divisão Carlos Patrício Freitas Pereira, deixou clara a posição da instituição em relação à globalização: “Para a cultura não devem existir fronteiras, mas aqueles aspectos fundamentais que nos dizem respeito devem ser preservados”, destacou.

Fugindo da CPMF
Além de compensar a CPMF para recursos que permanecerem no mínimo três meses na caderneta de poupança, a Caixa Econômica Federal está lançando um fundo com reembolso da contribuição, o Caixa FAC Prêmio 60. Neste caso, a CPMF será reembolsada ao cotista após o prazo mínimo de 120 dias de aplicação. Caso o resgate, total ou parcial, seja feito antes dos 120 dias, a devolução dos 0,38% será equivalente ao saldo remanescente aplicado.

Troco
Já começam a circular pela Internet mensagens propondo um boicote à Telefônica (de São Paulo). Sugerem que ninguém use o 15, número da empresa que abocanhou a Telesp fixa, para realizar ligações DDD e DDI. Os adjetivos mais amenos falam em “péssima prestadora de serviços” e lembram que a Telefônica conseguiu piorar o já precário sistema estatal. A vingança dos usuários tende a crescer.

Olho do furacão
O Departamento de Pesquisa do Unibanco faz uma aposta arriscada no boletim Panorama Econômico, mês de maio. Diz que, após análise do dinamismo da dívida pública, “associada à tendência de queda da taxa de juro nominal e de estabilidade na taxa de câmbio, tornam o cenário bastante confortável.” Resta saber até quando dura este conforto.

Consumo
Apesar da queda geral das importações em 99, a participação do item Bens de Consumo se mantém estável, com 15% das compras totais no primeiro bimestre deste ano, mesmo nível de 98. Bens de Capital e Matérias Primas tiveram pequeno aumento na participação (de 41% para 43% e de 33% para 35%, respectivamente). A queda se concentrou no item Petróleo e Derivados, que representava 11% das importações em 98 e agora caiu para 7% (compras 42,9% inferiores).

Bala na agulha
Quem acredita nos montantes de investimentos em petróleo no país anunciados pelas empresas estrangeiras deve ser recordado que essa é uma brincadeira cara. Um furo em único poço pioneiro (para confirmar ou não a existência de óleo) na Bacia de Campos não custa menos de US$ 30 milhões.

Quem manda
A saída do Estado chinês da economia para dar vez a empresas estrangeiras está restrita à  associação de estatais locais com empresas que garantam a tecnologia e os capitais inexistentes ou insuficientes. Os demais setores continuam sobre o controle do Estado, inclusive em setores onde essa presença é considerada exótica pelos privatistas. Um executivo brasileiro que se hospedou num dos mais luxuosos hotéis da China, por exemplo, descobriu que o proprietário do estabelecimento era o Exército Popular de Libertação, que se limitara a arrendá-lo a grupo japonês, sem abrir mão do direito de ter um representante no board da casa.

Extermínio
Ao contrário do prometido por seus defensores, a privatização de estatais não fortaleceu o mercado acionário brasileiro. Em vários casos, o número de acionistas encolheu. A Telebrás, por exemplo, que chegou a ter 3 milhões de acionistas, ao ser vendida tinha apenas 300 mil. Os demais tiveram suas ações compradas por iniciativa do então ministro Sérgio Motta, que queria passar a empresa com o menor número possível de sócios para seus futuros controladores.

Prioridades
Com apenas 25% do que a Bahia vai gastar financiando a instalação de uma fábrica da Ford no estado, o Rio Grande do Sul vai gerar 100 mil empregos para jovens, durante quatro anos. Só esse dado seria suficiente para justificar a decisão do governador gaúcho, Olívio Dutra, de endurecer e não enterrar R$ 600 milhões na multinacional para criar um punhado de empregos. Indo para a Bahia – longe do mercado consumidor, especialmente Mercosul, e dos fornecedores – a Ford opta antes por um negócio financeiro que industrial. Sorte do povo baiano – e azar do restante dos brasileiros – que ACM vai espetar a conta no BNDES e na Sudene.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRio na Mídia
Próximo artigoEbulição à vista

Artigos Relacionados

Guedes esperava muito da educação

Setor educacional prometeu, mas ainda não cumpriu.

Petrobras também foi ao mercado em Londres

Estatal criou subsidiária na década de 80 para atuar nas Bolsas.

Petroleiras ganham dinheiro no mercado, não com produção

Desde a década de 1980, companhias viraram empresas financeiras.

Últimas Notícias

Lorenzetti conquista o Prêmio Reclame Aqui 2021

A empresa venceu na categoria Chuveiros e Aquecedores.

CFM lança programa inédito de identificação com tecnologia Valid

CFM passa a oferecer Certificado Digital gratuitamente a todos os médicos brasileiros.

Câmara rejeita ‘PL antiterrorismo’

A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira a urgência para votar o Projeto de Lei (1595/19) que cria uma polícia política que permite ao...

Programa AceleraD’Or de Mentoria entra em fase decisiva

Em fase decisiva para a escolha das 10 empresas participantes do projeto, o Programa AceleraD’Or de Mentoria, patrocinado pela D’Or Consultoria, teve repercussão positiva...

Aconseg-RJ mostra um 2022 promissor para as assessorias

Em reportagem especial da edição, os executivos confirmam a rápida resposta do setor e sua adequação aos tempos de desafios que foram superados com...