Pandemia afeta negativamente as indústrias exportadoras

Entre as importadoras, queda foi ainda pior: atingiu 70%.

Negócios Internacionais / 15:57 - 13 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Consulta realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) para medir impacto da pandemia do novo coronavírus no comércio exterior brasileiro revelou que a maioria das empresas foram afetadas negativamente. Entre as exportadoras, 57% registraram queda no valor faturado. Entre as importadoras e aquelas que investem em países estrangeiros, a queda foi ainda mais relevante, de 70% em cada um dos grupos.

Essa é a segunda consulta da CNI para avaliar o impacto da pandemia no comércio exterior do Brasil. Apesar do estudo mostrar um quadro extremamente negativo, na comparação com a primeira edição, os dados indicam que a queda no valor de exportações desacelerou. Em fevereiro e março o índice de retração foi de 80%, um percentual 23 pontos maior que o referente aos meses de abril e maio.

Na projeção para os próximos 60 dias, as exportações de 36% das empresas consultadas serão afetadas negativamente, o que indica nova desaceleração na queda com uma retração de 21 pontos percentuais no indicador na comparação com os meses de abril e maio.

A desaceleração no recuo também é percebido entra as exportadoras mais afetadas. Na projeção para os próximos 60 dias, 37% responderam que a queda será superior a 50%, índice cinco pontos percentuais menor que o registrado em maio e junho.

Embora o comércio exterior tenha sido afetado de forma negativa pela pandemia, ele terá papel fundamental na retomada do crescimento econômico e na geração de emprego e renda. A crise é uma oportunidade para a empresa brasileira incorporar a internacionalização na sua estratégia de negócios”, afirma Carlos Eduardo Abijaodi, diretor de desenvolvimento industrial da CNI.

Entre as importadoras, sete em cada dez empresas registram queda no valor das operações e 26% das afetadas afirmaram que tiveram uma retração superior a 50% nos últimos 30 dias. Quando o olhar é para frente, nos próximos 60 dias, o índice cai praticamente pela metade (36%). Os principais países impactados são a China e os Estados Unidos, ambos mercados estratégicos da indústria. Nesses lugares 58% e 29% respectivamente das empresas indicaram que reduziram as importações.

Entre as empresas que investem no mercado internacional, 70% informaram que reduziram a destinação de recursos para o exterior. A queda maior foi sentida na China (35%), Estados Unidos (30%) e Alemanha (13%). Na perspectiva para os próximos 60 dias, os maiores indicadores de retração também são registrados na China (44%) e nos Estados Unidos (31%).

 

Exportações do agronegócio batem recorde

As exportações do agronegócio foram recordes para os meses de junho nesse mês de junho de 2020, com registros de vendas externas de US$ 10,17 bilhões. Houve crescimento de 24,5% em relação às exportações em junho de 2019 (US$ 8,17 bilhões). De acordo com o Boletim da Balança do Agronegócio, divulgado nesta sexta-feira (10) pela Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SCRI-Mapa), em nenhum ano da série histórica (1997-2020) as exportações do agronegócio ultrapassaram US$ 10 bilhões para meses de junho.

O principal setor responsável pelo crescimento das exportações foi o complexo soja. As vendas externas do setor subiram de US$ 3,53 bilhões em junho de 2019 para US$ 5,42 bilhões em junho de 2020, o que representa uma alta de 53,4% ou quase US$ 1,9 bilhão de crescimento em valores absolutos. Para efeito de comparação, as exportações do agronegócio cresceram US$ 2,0 bilhões comparando-se junho de 2019 e junho de 2020. A exportação de soja em grãos (13,8 milhões de toneladas) teve grande influência nestes valores, alcançando US$ 4,67 bilhões em junho de 2020, com expansão do quantumem 5,2 milhões de toneladas na comparação dos meses de junho de 2020 e 2019. A SCRI também ressalta a retomada das exportações de açúcar, que subiram quase 1,5 milhão de toneladas relativo aos dois períodos.

A China foi o principal país responsável pela expansão do volume exportado pelo Brasil, adquirindo 70% da soja em grãos brasileira em junho. O país asiático elevou ainda as aquisições de produtos do agronegócio brasileiro em US$ 1,3 bilhão entre junho de 2019 e junho de 2020: 65% do crescimento em valores absolutos das exportações brasileiras do agronegócio observados junho de 2019 e junho de 2020.

O agronegócio brasileiro aumentou a sua participação nas exportações brasileiras de 44,4% (junho-2019) para 56,8% no mês pesquisado. Por sua vez, as importações do agronegócio diminuíram de US$ 984,55 milhões (junho 2019) para US$ 826,28 milhões em junho de 2020 (-16,1%). Desta forma, o saldo da balança atingiu US$ 9,3 bilhões.

 

Inspiramais terá edição 100% digital

Há uma grande expectativa na realização do próximo Inspiramais – Salão de Design e Inovações de Materiais para Moda. Ele será integralmente digital, com possibilidade de visitação de expositores de forma remota, rodadas de negócio em ambiente virtual, palestras transmitidas ao vivo e outras inovações. Será de 25 a 27 de agosto, com a mesma proposta de sempre: ser referência para o mercado da moda e responsável por impulsionar o processo criativo de toda a indústria de confecção, têxtil, calçadista, moveleira, automotiva e de acessórios, contando com o couro como um de seus protagonistas.

O Inspiramais é realizado pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel), por meio dos projetos setoriais Tex Brasil, By Brasil Components and Chemicals, e projeto Brazilian Leather, uma realizados em parceria entre o CICB com e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para o incentivo às exportações de couros. Será mantida a estrutura de projetos (como o Preview do Couro) e lançamentos que marcam os mais de 10 anos do Salão de Inovação, mas trazendo tudo para o formato digital.

 

Contato com o colunista: pietrobelliantonio0@gmail.com

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor