Pandemia aprofundou desigualdade

Dados parciais de pesquisa das Nações Unidas indicaram um amplo apoio público em Brasil e Portugal ao acesso universal à saúde e a medidas que abordem as desigualdades que se aprofundaram como resultado da pandemia de Covid-19.

Coletados por meio de uma pesquisa virtual em português que recebeu 9.671 respostas, os dados fazem parte da iniciativa para o aniversário de 75 anos das Nações Unidas.

Dados parciais de pesquisa das Nações Unidas indicaram um amplo apoio público em Brasil e Portugal ao acesso universal à saúde e a medidas que abordem as desigualdades que se aprofundaram como resultado da pandemia de Covid-19.

As repostas foram dadas à pergunta "O que a comunidade internacional deve priorizar para se recuperar melhor da pandemia?" adicionada à pesquisa em 22 de abril de 2020.

Do total de respostas, 3.057 indicaram que prioridade deve ser o acesso universal à saúde, enquanto 1.985 disseram que o foco precisa ser o apoio a medidas que abordem as desigualdades que se aprofundaram como resultado da Covid-19. O terceiro assunto visto como prioritário foi alcançar o acesso universal à água potável e saneamento.

Até agora, a pesquisa obteve mais respostas de mulheres (62,9%) do que de homens (36,6%). Do total de respondentes, 44,8% disseram ter entre 16 e 30 anos, 26,8%, de 31 a 45 anos, e 17,4%, de 46 a 60 anos. A maioria disse ter escolaridade acima do ensino secundário (68,5%).

Questionados sobre o que esperam do mundo daqui a 25 anos, a ampla maioria (4.284) dos respondentes até aqui disse esperar melhor acesso à educação, seguido de mais respeito pelos direitos humanos (4.035) e mais proteção ambiental (3.736).

Sobre as tendências globais que afetarão mais o futuro da humanidade, a parcial da pesquisa mostra que os respondentes escolheram mudanças climáticas e questões ambientais (6.908), seguidas de riscos relacionados à saúde (4.472) e conflito armado e violência com motivação política (3.142).

Para a pergunta: "De modo geral, você acha que as pessoas em 2045 estarão em melhor situação, em situação pior ou igual a você hoje?", as respostas foram pessimistas: 43,4% disseram que estarão em pior situação, 40,6%, em melhor, e 16% disseram que a situação estará igual.

Divulgados recentemente, dados preliminares da mesma pesquisa realizada em 186 países indicaram um enorme apoio público para a cooperação internacional como forma de abordar os desafios globais.

A maioria (95%) dos participantes disse concordar com a necessidade de os países trabalharem juntos para lidar com as tendências globais, com um notório apoio a partir do fim de fevereiro, quando a crise causada pela Covid-19 se espalhou pelo mundo.

Estes dados serão complementados com pesquisas, pesquisas acadêmicas, e análise de mídia e de mídias sociais em cerca de 70 países. Os resultados serão apresentados em setembro de 2020, durante a comemoração oficial do aniversário de 75 anos da ONU. Um relatório final será publicado em janeiro de 2021.

Artigos Relacionados

Produtos de consumo da China devem atrair marcas internacionais

A primeira Exposição Internacional de Produtos de Consumo da China, que começou nesta sexta-feira e termina no próximo dia 10, em Haikou, capital da...

China ampliou volume de exportações de serviços

A China registrou um déficit comercial de serviços de 66,69 bilhões de iuanes (US$ 10,3 bilhões) no primeiro trimestre deste ano, uma queda de...

Tunísia pretende exportar 80 mil toneladas de frutas

País produz pêssegos, nectarinas, damasco, ameixa e estima aumento de 7% na safra de frutas em 2021; grandes importadores são Líbia, França e Itália.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

Quase 80% não trabalham totalmente remoto na pandemia

Segundo levantamento sobre adaptação ao modelo de teletrabalho, 49,7% dos entrevistados estiveram na empresa semanalmente.

Tunísia pretende exportar 80 mil toneladas de frutas

País produz pêssegos, nectarinas, damasco, ameixa e estima aumento de 7% na safra de frutas em 2021; grandes importadores são Líbia, França e Itália.

Rio acaba com toque de recolher

Novas medidas têm validade até o dia 20 de maio; medidas podem ser revistas.