Pandemia aprofundou desigualdade

Dados parciais de pesquisa das Nações Unidas indicaram um amplo apoio público em Brasil e Portugal ao acesso universal à saúde e a medidas que abordem as desigualdades que se aprofundaram como resultado da pandemia de Covid-19.

Coletados por meio de uma pesquisa virtual em português que recebeu 9.671 respostas, os dados fazem parte da iniciativa para o aniversário de 75 anos das Nações Unidas.

Dados parciais de pesquisa das Nações Unidas indicaram um amplo apoio público em Brasil e Portugal ao acesso universal à saúde e a medidas que abordem as desigualdades que se aprofundaram como resultado da pandemia de Covid-19.

As repostas foram dadas à pergunta "O que a comunidade internacional deve priorizar para se recuperar melhor da pandemia?" adicionada à pesquisa em 22 de abril de 2020.

Do total de respostas, 3.057 indicaram que prioridade deve ser o acesso universal à saúde, enquanto 1.985 disseram que o foco precisa ser o apoio a medidas que abordem as desigualdades que se aprofundaram como resultado da Covid-19. O terceiro assunto visto como prioritário foi alcançar o acesso universal à água potável e saneamento.

Até agora, a pesquisa obteve mais respostas de mulheres (62,9%) do que de homens (36,6%). Do total de respondentes, 44,8% disseram ter entre 16 e 30 anos, 26,8%, de 31 a 45 anos, e 17,4%, de 46 a 60 anos. A maioria disse ter escolaridade acima do ensino secundário (68,5%).

Questionados sobre o que esperam do mundo daqui a 25 anos, a ampla maioria (4.284) dos respondentes até aqui disse esperar melhor acesso à educação, seguido de mais respeito pelos direitos humanos (4.035) e mais proteção ambiental (3.736).

Sobre as tendências globais que afetarão mais o futuro da humanidade, a parcial da pesquisa mostra que os respondentes escolheram mudanças climáticas e questões ambientais (6.908), seguidas de riscos relacionados à saúde (4.472) e conflito armado e violência com motivação política (3.142).

Para a pergunta: "De modo geral, você acha que as pessoas em 2045 estarão em melhor situação, em situação pior ou igual a você hoje?", as respostas foram pessimistas: 43,4% disseram que estarão em pior situação, 40,6%, em melhor, e 16% disseram que a situação estará igual.

Divulgados recentemente, dados preliminares da mesma pesquisa realizada em 186 países indicaram um enorme apoio público para a cooperação internacional como forma de abordar os desafios globais.

A maioria (95%) dos participantes disse concordar com a necessidade de os países trabalharem juntos para lidar com as tendências globais, com um notório apoio a partir do fim de fevereiro, quando a crise causada pela Covid-19 se espalhou pelo mundo.

Estes dados serão complementados com pesquisas, pesquisas acadêmicas, e análise de mídia e de mídias sociais em cerca de 70 países. Os resultados serão apresentados em setembro de 2020, durante a comemoração oficial do aniversário de 75 anos da ONU. Um relatório final será publicado em janeiro de 2021.

Artigos Relacionados

Biden quer estados priorizando vacinação de professores

Presidente americano pediu que educadores recebam pelo menos uma dose de vacina.

OCDE ensina gestão às estatais brasileiras

No período 2018-2019, somente o setor financeiro apresentou lucro de R$ 59 bilhões, seguido pelo setor produtivo, com lucro de R$ 53,5 bilhões.

Migrantes detidos no México sofrem com pobreza e violência

Cerca de 70 mil pessoas ainda estão em situação de vulnerabilidade extrema, segundo Médicos Sem Fronteiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Setor de eventos terá parcelamento e isenção de impostos

Projeto foi aprovado pela Câmara e segue para o Senado.

Maranhão e Bahia vão ao STF questionar uso de fake news por Bolsonaro

Procuradores alegam que a publicação pode “gerar interpretações equivocadas e atacar governos locais, fomenta a instabilidade política, social e institucional e deve ser cessada imediatamente”.

MPEs veem oportunidades geradas pela crise

Principal mudança foi alocação de recursos para trabalhar e atender remoto, seguida por investimentos em tecnologia para vendas não presenciais.

Mudança de sinais

Terça começou tensa para os mercados de risco no mundo; hoje, a expectativa para o dia é de Bovespa seguindo em recuperação.

Quatro conselheiros da Petrobras decidem deixar o cargo

Eles são representantes da União no Conselho da empresa, petrolífera divulgou nota ontem à noite.