30.1 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

‘Pandemia’ cada vez mais restrita

Segundo relatos do Diário do Povo, jornal do Partido Comunista da China, a gripe H1N1, iniciada nos Estados Unidos em 2009, causou a infecção de 1,63 milhão de pessoas, provocando a morte de 284.500, com taxa de mortalidade foi de 17,4%.

A taxa de mortalidade de pacientes com pneumonia infectada pelo novo coronavírus na China é de cerca de 2,1%. A partir de 1º de fevereiro, o número de curas começou a exceder o número de mortes.

A BBC informa que o número de pessoas mortas pelo vírus neste domingo chegou a 97, maior número já registrado em um dia desde o início do surto, em dezembro. O total de mortos na China soma 908, mas o número de novas infecções registradas por dia se estabilizou.

Segundo o relatório da OMS emitido em 3 de fevereiro, havia 153 casos confirmados em todo o mundo fora da China, menos de 1% dos casos confirmados no país. Uma semana depois, foram registrados 350 casos de contágio fora da China, o que não constitui uma “pandemia”.

 

Luz nas licitações

A necessidade de uma readequação das regras de licitação à realidade do século XXI é defendida pelo Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), que é quase integralmente favorável a dois projetos de lei (PLs 1.292/1995 e 6.184/2017) que visam a promover alterações na Lei 8.666/1993, conhecida como a Lei de Licitações e Contratos.

O advogado Manoel Messias Peixinho observa que “o superfaturamento de obras públicas revela-se como um dos principais mecanismos de corrupção no país”.

Entre os pontos que o IAB defende estão: a criação da modalidade licitatória denominada “diálogo competitivo”; o enquadramento dos casos de superfaturamento de obras públicas no tipo penal de fraude à licitação; tornar obrigatória a adoção de garantias nas contratações de obras e serviços; e a proposta de estabelecimento da responsabilidade solidária entre fornecedores e prestadores de serviços contratados irregularmente, de forma direta, sem o devido processo de licitação.

O IAB só considerou inconstitucional a proposta que trata da inexigibilidade de licitação para contratação de serviços técnicos especializados.

 

Máquina

Neste sábado, comemorou-se os 45 anos da Máquina Tricolor, time que surgiu da genialidade de Francisco Horta, presidente do Fluminense na década de 1970, que trouxe para o clube Rivelino, além de um punhado de craques.

Mais do que os resultados – que nem foram tão expressivos fora do Rio – o interessante na iniciativa foi a visão de fortalecer outros clubes cariocas. “Aqueles que não compreenderam o Horta no troca-troca, hoje podem compreender sua visão de ‘estadista no futebol’”, afirma Wagner Victer, tricolor ferrenho, ex-secretário de Educação. “Só seremos fortes com a força de todos e com a manutenção do equilíbrio, disputas e até a saudável rivalidade, que enche os estágios e o torna um espetáculo diferente.”

Francisco Horta é vivo até hoje. No contraste com outros dirigentes de futebol, vive simplesmente em seu apartamento na Zona Sul do Rio com sua pensão de magistrado, carreira abortada por suas manifestações polêmicas em prol da democracia no país.

Guarda-chuva

Tucanos governam SP, estado e capital, há quatro décadas, com pequenos intervalos. Tivesse a catástrofe que se abateu sobre a cidade ocorrido numa gestão do PT, a culpa seria dos petistas. Como quem está no comando é um tucano do B, a responsabilidade é do aquecimento global.

 

Rápidas

No Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, que será celebrado nesta terça-feira, a Fiocruz programou uma série de atividades no campus de Manguinhos e em suas unidades regionais por todo o Brasil. Programação aqui. A data foi instituída pela ONU em 2015 *** “O que podemos esperar de 2020?”, dentro do Plano de Voo, tradicional evento da Amcham Brasil, será nesta quinta-feira, das 8h45 às 12h30, no Centro Comercial RB1. Mais informações aqui *** O Passeio Shopping apresenta neste domingo, às 14h, a peça Tarzan *** A Câmara Setorial das Instituições de Ensino da Associação Comercial de Santos (ACS) fará o “I Seminário Universidade-Empresa da Baixada Santista” em 15 de abril, das 9h às 16h. Inscrições pelo e-mail eventos@acs.org.br, colocando no assunto: “Seminário Universidade-Empresa”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.