Pandemia fez venda de produtos eróticos crescerem 12%

1302
Sexshop (Foto: Marco Togni/SXC.Hu)
Sexshop (Foto: Marco Togni/SXC.Hu)

A crise provocada pela pandemia impactou diversos setores: 716 mil empresas fecharam as portas, segundo a Pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19 nas Empresas, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mas de acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico (Abeme), o comércio de produtos eróticos teve um crescimento de 12% no último ano.

Ainda segundo este último levantamento, de março a agosto de 2020, o vibrador conquistou o aumento de 50% das vendas, com o equivalente de aproximadamente 1 milhão de unidades vendidas apenas no Brasil. De acordo com o estudo, o principal fator que explica o crescimento do setor em plena crise econômica está ligado diretamente à necessidade de se reinventar com a chegada do isolamento social. A permanência em casa, a falta de encontros casuais e a rotina de quarentena em casais gerou a busca por novas alternativas de prazer.  Além do vibrador, o lubrificante íntimo, o gel térmico e o gel para massagem corporal também tiveram destaque durante o ano de 2020, segundo a pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico.

O boom do mercado erótico não aconteceu somente no Brasil, empresas internacionais também notaram o crescimento do setor. A marca alemã Womanizer noticiou que suas vendas aumentaram aproximadamente 50% em relação ao previsto para os primeiros meses de 2020. De acordo com a companhia, o crescimento teve destaque principalmente nos locais mais afetados pelas medidas de isolamento, como França e Itália.

Já a Nordstrom, rede de departamento norte-americana, criou em seu catálogo uma sessão de bem-estar sexual. Já a britânica Reckitt Benckiser, dona de marcas como Vanish e Jontex, comprou a startup Queen V, que tem a higiene e o bem-estar vaginal como foco.

Espaço Publicitáriocnseg

O futuro do mercado erótico parece promissor. A consultoria norte-americana Allied Market Research acredita em perspectivas positivas para o setor. Segundo dados divulgados pela empresa, a projeção para o mercado global de produtos eróticos é de um avanço ainda maior, com crescimento de quase 5% ao ano pelo menos até 2027.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui