Papeis da Petrobras sobem com alta do petróleo

O Ibovespa chegou a operar abaixo dos 102 mil pontos nesta terça-feira, momento em que apagou os ganhos do início da sessão. Mas conseguiu se recuperar e manter o desempenho positivo no dia, garantido em boa parte pelo avanço das principais blue chips, como Petrobras, Vale e Itauunibanco, comentou o economista Alexsandro Nishimura, economista, head de conteúdo e sócio da BRA.
Segundo ele, as ações de Vale acompanharam a recuperação do minério de ferro, que se aproximou de US$ 100 a tonelada em Qingdao. “A commodity se valorizou devido notícias positivas sobre o setor imobiliário, com elevação de vendas de terrenos e de preços. Há também melhora na expectativa de demanda, com possível retomada da produção das siderúrgicas”.
O economista citou que os papeis da Petrobras subiram com a forte alta do petróleo, que se valorizaram mesmo com a liberação de estoques estratégicos pelos Estados Unidos. As ações da estatal puxaram as altas do Ibovespa na tarde desta terça-feira (23), dia em que o petróleo tipo Brent subiu mais de 3%, a US$ 82,33. Por volta das 15h40, os papéis preferenciais da estatal negociadas na B3 marcavam alta de 5,2%, a R$ 27,70.
Juros
Nishimura disse que a curva de juros pressionou as ações das empresas de tecnologia, geralmente mais sensíveis devido à dependência de capital para financiamento das operações. O desempenho das techs também ocorreu em linha com o exterior. Os juros futuros maiores também afetaram os papéis das varejistas e construtoras.
“No exterior, os pregões foram em sua maioria negativos, pressionados pela perspectiva de elevação dos juros tanto nos EUA como na Europa. Esta percepção ocorre após a confirmação de Jerome Powell para mais um mandato no comando do Fed, banco central dos EUA, juntamente com comentários hawk de diretores do ECB.
Fala de Bolsonaro
A declaração infeliz do presidente Jair Bolsonaro sobre os resultados da Magazine Luíza rendeu análise. Bolsonaro atribuiu a queda das ações da varejista ao apoio de Luiza Trajano ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Nishimura afirmou que não acredita que o mercado penalize ainda mais a ação por um comentário ideológico vindo do presidente Bolsonaro. Principalmente porque as ações da Magazine Luiza, assim como de outras varejistas, vêm sofrendo com o atual cenário macroeconômico nacional, que traz elevado nível de inflação, juros em alta e desemprego elevado. “Todos estes fatores impactam sobre o poder de compra dos consumidores, o que naturalmente se reflete sobre as empresas deste setor”, comentou.
“No caso da Magazine Luiza, no balanço do terceiro trimestre, os analistas apontaram que a deterioração macro começou a aparecer, devido ao fraco desempenho do varejo físico, consumo de caixa para fortalecimento dos estoques e lucratividade pressionada”, acrescentou o economista.
Queda
Em 2021, a Magazine Luiza viu suas ações caírem mais de 60%. Os papéis, que eram cotados a R$ 25,18 no primeiro pregão do ano, valiam R$ 9,27 no fechamento da última sexta-feira (19). Em 12 de novembro, a varejista reportou que seu lucro líquido ajustado no terceiro trimestre foi de R$ 143,5 milhões de reais, uma queda de 30% quando comparado com o mesmo período de 2020. Se considerados itens não recorrentes, o lucro líquido recuou 89,5%, para R$ 22,6 milhões.
Segundo Nishimura , a companhia também sinalizou a continuidade de uma perspectiva desafiadora no varejo físico por conta do macro, mas acredita que a dinâmica do marketplace deve seguir robusta. Os players do mercado apontam que o cenário macroeconômico brasileiro é um grande desafio para empresas do setor de varejo, pois inflação alta retira poder de compra do consumidor, assim como os juros altos e o desemprego. A concorrência acirrada no setor é outro fator que os analistas costumam apontar. Por exemplo, o Mercado Livre anunciou a inauguração de um centro logístico exclusivo para itens de grande porte, o que foi visto como mais um sinal de avanço da concorrência.

Leia também:

B3 começou oferecer empréstimo de ETF de Renda Fixa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Ômicron se espalha pelo mercado financeiro

Bolsas caem com especulação sobre efeitos da nova variante.

Últimas Notícias

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...

STF desbloqueia bens de Lula

Por maioria de três votos a um, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta sexta-feira, desbloquear os bens do ex-presidente Lula...