Para poucos

Em debate, segunda-feira à noite, no Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, o editor da Contraponto, César Benjamin, mais conhecido como Cesinha, questionou os jornalistas que afirmam que o governo vai mal, mas a economia vai muito bem: “É que a imprensa brasileira confunde economia nacional com business. Os negócios realmente vão muito bem, mas para 20 mil famílias, cerca de 80 mil a 100 mil pessoas, que controlam 80% do estoque da dívida interna e vivem da renda proveniente do pagamento de R$ 154 bilhões anuais em juros”, salientou.

Ricos&miseráveis
Cesinha acrescentou que a política econômica incensada pela imprensa e que destina esse caminhão de dinheiro para os que usufruem de juros a 19,5% ao ano é a mesma que destina apenas R$ 7 bilhões com o Bolsa-Família: Para o editor, ela é resultado de uma estranha e perversa aliança entre os mais ricos e os mais pobres desde o governo de Fernando Collor. Essa aliança faz com que os “invisíveis” – os que lucram com os juros exorbitantes – mantenham intocáveis seus privilégios. Já os trabalhadores, acrescenta Cesinha, continuam a ver perseguidos para que percam seus “privilégios” – carteira assinada, previdência social, férias e décimo-terceiro: “Privilégios que, aos poucos vêm sendo retirados, assim como o próprio emprego. Um em cada três brasileiros está desempregado ou em processo de subemprego crônico”, completou Cesinha.

Ciência para todos
Cerca de 130 instituições de ensino e pesquisa fluminenses vão participar da segunda Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, de 6 a 9 de outubro. A Faperj mostrará seus trabalhos no estande montado pela Secretaria estadual de Ciência Tecnologia e Inovação do Rio no Aterro do Flamengo. O espaço funcionará de quinta-feira a domingo, entre 8h e 18h, e reunirá ainda Proderj, Cecierj, Faetec, Uerj e Uenf.
Coordenadas pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, universidades, escolas e instituições científicas e tecnológicas de todo o país promoverão atividades em centenas de municípios com o objetivo de popularizar a ciência.

Cooperativas
Visando ao fortalecimento do movimento cooperativista e ao combate ao desemprego, representantes de entidades fomentadoras de cooperativas de 15 países das Américas reunidos na UFRJ vão elaborar a Carta do Rio, a ser apresentada na 4ª Cúpula das Américas – marcada para início de novembro, no balneário argentino de Mar del Plata, com a presença prevista de 34 chefes de Estado, inclusive o presidente dos Estados Unidos, George Bush.

Vocação
A desindustrialização da América Latina ajuda a explicar o desemprego estrutural na região, que oscila entre 9% e 10%. Segundo o ex-ministro Rubens Ricupero, em 1970, a indústria no Cone Sul respondia por 20,8% do total do emprego; em 2000, essa participação caiu para a 11,8%: “Não surpreende, assim, que, segundo a Funcex, perdemos para os chineses desde 1996 quase 30% de participação no mercado dos Estados Unidos, sobretudo de manufaturas. Só falta agora entregar-lhes o nosso mercado. Estaremos realizando afinal o sonho arcaico do marechal Dutra em mensagem ao Congresso na qual afirmava que o Brasil era e seria sempre um país de vocação essencialmente agrícola!”, alerta Ricupero.

Livro nos trilhos
Cerca de cem mil livros foram vendidos, ano passado, nas máquinas de livros das estações de Metrô de São Paulo. Esse número equivale ao número de exemplares vendidos de Crônica de uma Morte Anunciada, de Gabriel García Marquez nas livrarias tradicionais. O segredo do sucesso está nos preços dos livros do ponto do Metrô, que variam de R$ 2,90 e R$ 14,90. A lista dos mais vendidos em 2005 nas estações é encabeçada pela série de Sherlock Holmes.

Os negro e o Ocidente
De hoje até sexta-feira, cerca de 400 professores e pesquisadores brasileiros e estrangeiros participam, no Hotel Sofitel, no Rio, da III Conferência Internacional da Association for the Study of World African Diaspora (Aswad). Na pauta, a diáspora  dos negros africanos, que se dispersaram pelo planeta ao longo dos séculos. O encontro analisará a contribuição africana à cultura ocidental em 60 painéis de discussões. O Hotel Sofitel fica na Avenida Atlântica 4.240, em Copacabana.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArmadilha
Próximo artigoControle da sociedade

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais