‘Para primeiro-ministro, Eduardo Cunha…’

Não é o regime a causa – nem a solução – dos problemas políticos brasileiros.

Em conversa com o colunista, um cientista político explicou por que defende o parlamentarismo no Brasil. Para ele, o sistema atual não se encaixa no país. Para ele, deveria ter um presidente com poderes limitados e um primeiro-ministro que tocasse o governo, sempre sujeito a ser substituído. Evitaria o engessamento de 4 a 8 anos como atualmente (impeachment depende de condições na elite política e econômica, quase nunca relacionadas ao real desempenho do presidente).

Após a conversa, o colunista lembrou de um amigo jornalista, que levou todos às gargalhadas durante uma entrevista coletiva, início da década, em que o entrevistado defendia o parlamentarismo. Em voz grave, falou lá do fundo: “E para primeiro-ministro, Eduardo Cunha…”

A blefada de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, colocando para votação a MP do 13º do Bolsa Família, como justa retaliação a Bolsonaro, e desistindo logo depois, provavelmente após pressão do “mercado”, só confirma que não é o regime a causa – nem a solução – dos problemas políticos brasileiros.

 

Coisa do Guedes

O Ministério da Economia está alinhavando a ECT (Empresa Correios e Telégrafos) para ser vendida. “Em outras partes do mundo, os Correios são protegidos como serviços de segurança nacional. Não podem ser privatizados”, alerta o jornalista Mirson Murad.

 

Meu pirão

Esta coluna já comentou que, enquanto associações de empresas distribuidoras de energia centram fogo no sistema de compensação na geração distribuída (aquela produzida por placas solares no telhado das casas e empresas), companhias do setor entram no mercado.

Na mês passado, foi a vez da Cemig, através da subsidiária Cemig SIM, iniciar o cadastro para pré-venda de energia solar por assinatura para os clientes do mercado residencial. Prometem descontos de 15% sobre a tarifa mensal.

 

Boiada

A estratégia da Suécia, que apostou na “imunidade de rebanho”, levando a um alto número inicial de ortes por Covid, cada vez mais ruma para o brejo. A segunda onda – que não deveria acontecer – pegou o país em cheio.

 

Indie

Das 200 canções brasileiras mais tocadas diariamente no Spotify, 53,52% delas são de gravadoras e distribuidoras independentes. A pesquisa foi feita pela Associação Brasileira da Música Independente (ABMI).

 

Rápidas

O teleatendimento do Detran-RJ passará a funcionar das 6h à meia-noite a partir desta segunda-feira. A medida visa a facilitar o acesso dos usuários às marcações no departamento fora do horário comercial *** A Fecap oferece 13 cursos online gratuitos, com certificado. Em fecap.br *** A Fluke anuncia Luiz Ribeiro como novo diretor-geral para a América Latina *** A FS Security oferece um mês de gratuidade do aplicativo Ensina, a partir desta sexta (18) *** O IAG PUC-Rio promove o webinário “Laboratório Binacional Fiocruz–Universidade de Aveiro: Cooperação internacional para inovação na área da saúde”, segunda-feira, 18h, em bit.ly/webinarIAG21y *** Pela primeira vez em seus 77 anos de existência, a Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp) será presidida por uma mulher. A pioneira é a advogada da área de família e sucessões Viviane Girardi, eleita por unanimidade. A nova diretoria assume suas funções em 1º de janeiro.

Leia maois:

Centrão é pior que Marcelo Antônio e Salles?

Reforma tributária: corte na carne… dos outros

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Capes evacuada pelo governo

Falta de apoio e de respaldo por parte da direção, pouco empenho para a retomada da avaliação quadrienal e inconsistência de prioridades.

Proteção Tabajara nos aeroportos contra a Covid

Ex-secretário cobra adoção de exigências eficazes.

Últimas Notícias

Escala da indústria de big data chinesa excederá 3 trilhões em 2025

A escala da indústria de big data da China tem a previsão de superar 3 trilhões de yuan pelo final do ano 2025, de acordo com o plano de desenvolvimento para a indústria de big data, durante o período do 14º Plano Quinquenal divulgado pelo Ministério da Indústria e Informatização (MIIT, sigla em inglês) nesta terça-feira.

Potencial das pessoas para promover a diversidade

Por André Abram.

Aumento do número de juízes dos TRFs é sancionado por Bolsonaro

Lei 14.253, de 2021 não gera aumento de despesas.

Alta dos juros já impacta concessão de crédito imobiliário

Em outubro, o volume de crédito imobiliário alcançou a marca de R$ 17,1 bi.

B3 divulga a 1ª prévia do Ibovespa B3 e demais índices

A prévia registra a entrada de Porto Seguro ON (PSSA3) e Positivo Tec ON (POSI3).