Passagem aérea, gasolina e alimentação em casa pressionam IPCA

Nossa expectativa – Projetamos o IPCA de todo o mês dezembro em 1,25%, uma vez que vemos mais pressão vinda da combinação de reajuste de tarifa de energia elétrica (com bandeira vermelha patamar 2), passagem aérea, gasolina e alimentação em casa (embora desacelerando um pouco), e despesas de educação.

Para todo o ano de 2020, o IPCA deve ficar em 4,4%, acima de nossa projeção de 4,2%, terminando um pouco acima da meta central de 4%.

Para o ano que vem, essa antecipação do reajuste da energia elétrica leva a preços de energia mais baixos no próximo ano, e inflação de alimentos mais moderada em relação a este ano. Projetamos 3,25% para o IPCA em 2021, ficando abaixo da meta de 3,75%.

.

Mitsubishi UFJ Financial Group, Inc. (MUFG)

Leia mais:

Gasolina fica mais cara na Região Sudeste

Previsão do IPCA para inflação passa para 3,54%

Inflação: IPCA-15 sobe 0,81% em novembro

 

Artigos Relacionados

Bens duráveis: encomendas avançaram mais que o esperado em janeiro

Segundo analista, as revisões de dezembro foram altistas.

Coronavírus já contaminou 16% da população da capital paulista

Levantamento mostra aumento de 2 pontos percentuais em relação a janeiro.

Sem consenso, votação da PEC Emergencial é adiada para terça

Pesquisa revela que novo auxílio emergencial de R$ 200 não compensará a renda dos informais diante da atual pandemia no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Bens duráveis: encomendas avançaram mais que o esperado em janeiro

Segundo analista, as revisões de dezembro foram altistas.

Coronavírus já contaminou 16% da população da capital paulista

Levantamento mostra aumento de 2 pontos percentuais em relação a janeiro.

Sem consenso, votação da PEC Emergencial é adiada para terça

Pesquisa revela que novo auxílio emergencial de R$ 200 não compensará a renda dos informais diante da atual pandemia no país.

IGP-M acumula inflação de 28,94% em 12 meses

Segundo FGV, taxa ficou em 2,53%, em fevereiro, após registrar 2,58% em janeiro.

Confiança do comércio tem leve alta em fevereiro

Segundo a FGV, é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas.