Paulinho da Força é alvo de operação que investiga crime eleitoral

Segundo as investigações, Paulinho teria recebido R$ 1,7 milhão em doações eleitorais não contabilizadas em 2010 e 2012.

Política / 14:46 - 14 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Polícia Federal cumpre sete mandados de busca e apreensão na manhã de hoje (14) como parte da investigação contra o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, por crimes eleitorais. As ações estão sendo feitas em São Paulo e Brasília, pela chamada Operação Dark Side - a primeira fase da Operação Lava Jato em conjunto com a Justiça Eleitoral.

Segundo as investigações, existem indícios de que Paulinho recebeu R$ 1,7 milhão em doações eleitorais não contabilizadas em 2010 e 2012. Os pagamentos foram feitos, de acordo com a PF, por meio da simulação de serviços de advogados e também em dinheiro vivo, com o apoio de doleiros. Em 2012, houve ainda, segundo a apuração policial, o repasse de dinheiro da entidade sindical ao escritório de advocacia.

As informações foram repassadas por executivos do grupo JBS em acordo de colaboração premiada com a Justiça. A quebra dos sigilos bancários e informações repassadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras reforçaram os indícios. Segundo as investigações, um dos sócios do escritório de advocacia usado para dissimular o recebimento dos recursos tem como um dos sócios o genro do parlamentar.

Está sendo apurada ainda a prática do crime de lavagem de dinheiro e se houve continuidade dos crimes após 2012. Os investigados na ação de hoje podem responder por falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro.

Em nota, Paulinho disse que "desconhece os fatos apurados" e que soube das invesgitações "pela imprensa".

"Caso os mandados digam de fato respeito a alegado caixa dois dos anos de 2010 e 2012, a partir da delação da JBS, conforme notícias veiculadas, o deputado lamenta o ocorrido na data de hoje tendo em vista que já são passados 10 anos desde os fatos apontados, sendo que suas contas das eleições de 2010 e 2012 foram aprovadas regularmente pela Justiça Eleitoral".

Nesta terça-feira, a JBS anunciou que "por meio do seu programa de responsabilidade social 'Fazer o Bem Faz Bem - Alimentando o Mundo com Solidariedade', vai doar 27 mil cestas de alimentos com reforço proteico ao projeto "Alimento Solidário" do governo do estado de São Paulo. As entregas serão realizadas até 15 de julho no centro de distribuição do governo. A distribuição será coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo e irá beneficiar milhares de famílias em situação de extrema vulnerabilidade social."

A doação, segundo a empresa, é "uma das ações previstas do programa de responsabilidade social da JBS que, em São Paulo, destinará R$ 39 milhões, sendo R$ 10 milhões para o Estado e R$ 29 milhões para 34 cidades paulistas, beneficiando mais de 18 milhões de pessoas."

 

Com informações da Agência Brasil

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor