Pendurado no cartão

Segundo dados do Banco Central, 73,2% de todo o saldo a receber em cartões não possuem nenhuma incidência de juros. Para a Associação Brasileira das Empresas de Cartões (Abecs), isso mostra que “a grande maioria das pessoas usa o cartão de crédito de forma consciente e sabe aproveitar seus benefícios sem pagar juros”. Além disso, o consumidor que entra no crédito rotativo do cartão fica, em média, 17 dias, de acordo com o BC, “o que confirma o seu papel de crédito emergencial”, analisa a entidade.

Com um olhar menos róseo, o que se vê é que mais de um quarto (26,8%) do saldo a pagar às administradoras de cartão de crédito sofrerá a incidência dos maiores juros do Brasil – e do planeta. Quem fica 17 dias no rotativo vai pagar algo como 8% de juros, de causar inveja em agiotas. No mês, a taxa média é de 14,56%; no ano, de inacreditáveis 410,97%. Decididamente, o brasileiro não necessita de educação financeira; precisa é de concorrência e fiscalização para coibir tal tipo de abuso.

Mudar a política

Coordenador do Foro de São Paulo e integrante da cúpula do Partido dos Trabalhadores, Valter Pomar polemiza sobre uma possível ida de Lula para o governo, como ministro de Dilma: “Como funcionaria no presidencialismo um governo com Lula ministro? Qual seria a leitura desta decisão, por parte dos setores populares? Setores que hoje percebem que Lula não deve e não teme, sendo vítima de uma perseguição injusta”, acredita.

Além de pouco ajudar para livrar o ex-presidente da perseguição do MP, a nomeação teria efeito quase nulo para melhorar a imagem do governo. “Se não mudar de política, a presença de Lula e o apoio obsequioso do PT e de outros setores ‘salvariam’ o governo por quanto tempo? No limite, o caso todo resume-se nisto: se o governo não estiver disposto a mudar de rumo, não faz sentido embarcar nesta viagem”, defende Pomar.

Sei, também, que as alternativas postas são todas difíceis. Mas não vejo por quais motivos tornar a coisa ainda mais confusa é difícil do que já está. E muito menos concordo em colocar todos os ovos numa única cesta”, finaliza.

Repúdio

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota em que repudia e condena a invasão pelo MST da sede do grupo Jaime Câmara, que edita os jornais O Popular e Daqui, e onde funcionam ainda a TV Anhanguera e a Rádio CBN. “Trata-se de ato criminoso próprio de grupos extremistas, incapazes de conviver em ambiente democrático. É lamentável que o vandalismo seja usado contra os meios de comunicação, que cumprem sua missão de informar a sociedade”, afirma a entidade. A ANJ finaliza dizendo que aguarda que as autoridades “identifiquem os responsáveis pelo ato criminoso e os encaminhem à Justiça, para a punição, nos termos da lei”.

Integração

A exposição de fotografias Via Interoceânica. Rio–Lima, Uma Rota a Descobrir apresenta imagens da Estrada do Pacifico, um eixo da Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana, para unir o ocidente amazônico brasileiro com os povos do sul do Peru. A mostra será inaugurada na Rodoviária Novo Rio nesta sexta-feira. É do terminal que parte a mais longa viagem de ônibus da América do Sul, unindo as cidades brasileira e peruana. As fotografias de Guido Baumann e Camila Valdeavellano foram capturadas em projeto conjunto dos consulados gerais do Peru e da Alemanha no Rio de Janeiro, com apoio da Audi do Brasil.

Inflação espanhola

A Vivo reajustou alguns planos de telefonia celular em 100%.

Rápidas

A Universidade Cândido Mendes, em parceria com o Grupo Zênite, abriu inscrições na área de terapias naturais e holísticas – 80% das doenças podem ser tratadas pela naturoterapia, de acordo com a ONU. São 12 opções de cursos, cujas aulas começam em abril no Campus Centro, no Rio de Janeiro.Mais informações em www.grupozenite.org *** Nesta quinta-feira, durante a posse do Conselho de Administração da Câmara Americana de Comércio (Amcham), em São Paulo, será apresentado um painel reunindo David Cote, CEO Global da Honeywell; David Feffer, presidente da Suzano Holding S/A; e a consultora Betânia Tanure, debatendo o tema “Transformação Empresarial e Social”. O ex-ministro da Fazenda Delfim Netto encerra o evento apresentando sua visão sobre o “Cenário Econômico Nacional e Internacional e as Perspectivas para o País”. Informações: www.amcham.com.br/acontece *** “Quanto Vale o Seu Negócio para um Parceiro Internacional?” Saiba como descobrir e encontrar essa oportunidade no setor de petróleo no curso que o Ibef-Rio realiza em 30 de março. Informações: (21) 2217-5566 *** A Associação Brasileira de Franchising Rio de Janeiro (ABF Rio) realiza dia 15 palestra sobre a Convenção da IFA (International Franchise Association). Informações pelo telefone (21) 2504-7573 ou pelo e-mail cursos@abfrj.com.br *** A loja Carioca Q Sou, do Caxias Shopping (RJ), oferece sábado a “Oficina de Decoupage em caixa de MDF”. A temática da aula será a Páscoa.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

IGP-M acumula inflação de 28,94% em 12 meses

Segundo FGV, taxa ficou em 2,53%, em fevereiro, após registrar 2,58% em janeiro.

Confiança do comércio tem leve alta em fevereiro

Segundo a FGV, é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas.

Balanço melhor que o esperado da Petrobras anima mercado nacional

Hoje, no exterior, Bolsas mundiais operam sem direção única.

O futuro está nas criptomoedas?

Quarta foi de intensa volatilidade nos mercados externos; por aqui com justificativa, ainda em função do imbróglio de Petrobras e Eletrobras.

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.