Pesquisa aponta deficiência na formação profissional em curso superior

Working Paper será apresentado publicamente nesta quinta, 16/12, às 11h.

O Working Paper “Diversificação do cenário de aprendizagem do ensino superior em saúde: um novo olhar para a obesidade” será apresentado publicamente nesta quinta, 16/12, 11h, neste canal do Youtube https://www.youtube.com/channel/UCxTxg4JW45julgsxA3cr9IQ. Este Working Paper (WP) é produto do Ciclo 2021/2022 do Painel Brasileiro da Obesidade, com o objetivo de mapear e descrever de que modo um conjunto de cursos da área da saúde aborda a obesidade nas suas matrizes curriculares.

O Painel Brasileiro da Obesidade é uma iniciativa realizada pelo Instituto Cordial em parceria com a World Obesity Federation, Abeso, Instituto Oncoguia, ACT Promoção da Saúde, Nebin/UERJ e LaVa/UERJ. Objetiva enfrentar o desafio da complexidade, multifatoriedade e intersetorialidade da obesidade, fomentando ações, estratégias e protocolos intersetoriais articulados e eficazes para reduzir a obesidade e seus custos associados no Brasil. A iniciativa é patrocinada pela Novo Nordisk.

– Tendo a obesidade como uma doença multifatorial e complexa, que atinge todo o globo, é importante entender como está a formação dos profissionais de saúde para lidar com essa questão que exige tanto cuidado e integralidade. Para compreender melhor como funcionam os mecanismos institucionais de formação superior no Brasil, foi realizada uma pesquisa relativa às Diretrizes Curriculares Nacionais de um conjunto de cursos da área da saúde, além de uma leitura atenta acerca de alguns termos-chave no tocante ao eixo formativo. Essa primeira pesquisa foi realizada para entender o contexto da formação dos profissionais de saúde e as instâncias envolvidas, diz a responsável pela pesquisa e elaboração, Doralice Batista das Neves Ramos. O trabalho contou com a supervisão de Luis Fernando Villaça Meyer, coordenação de Guilherme Nafalski e teve como consultores Lilian Koifman e Olívia Cavalcanti

Segundo o que está no paper, a metodologia escolhida concentrou-se na abordagem exploratória, descritiva e analítica, através da busca ativa de informações sobre a matriz curricular dos cursos da área da saúde (Educação Física (bacharelado), Enfermagem, Medicina, Nutrição e Psicologia) nos sites acadêmicos, de um recorte de Universidades no Brasil. O recorte das Universidades concentrou-se em uma expressão das cinco regiões do Brasil, fazendo assim uma seleção de um estado por região. Além disso, foram selecionadas duas universidades de cada estado – Pública e Privada.

De acordo com Doralice, através deste WP foi possível compreender o nível da complexidade no que diz respeito à formação básica dos profissionais no que tange ao entendimento da obesidade. Ainda que tenham sido encontrados alguns cursos que ofertam disciplinas especificamente sobre obesidade, há um limite entre o que está escrito nas Diretrizes Curriculares Nacionais, nas matrizes curriculares e o que é praticado dentro das salas de aula.

– A obesidade precisa ser compreendida, com todos os seus condicionantes e determinantes, pelos profissionais de saúde, para que após titulados, esses possam ter instrumentos teóricos e práticos para poder ofertar um cuidado orientado aos seus pacientes, de forma a compreender as subjetividades envolvidas nesse processo do adoecer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Teoria econômica é tema de workshop gratuito

Trazer novas contribuições das atuações em seus respectivos campos de pesquisa

Karla Sabah lança ‘On A Clear Day (You Can See Forever)’ no dia 2/6

Lançamento acontecerá nas plataformas e no YouTube.

15 anos de Estética In Rio

Setor continua sendo um dos mais indicados para investimentos 2022.

Últimas Notícias

Despesas de planos médicos atingiram R$ 206 bi na pandemia

Estudo mostra que aumento de 24% durante um ano está relacionado com a retomada de procedimentos médicos a partir de 2021.

Tunisianos investem em azeite orgânico para entrar no Brasil

Segundo executivo, Tunísia está em primeiro lugar no ranking global de azeites orgânicos.

População mais pobre está bastante pessimista em relação ao Brasil

Em contrapartida, segundo a Associação Comercial de São Paulo, classes AB e C mostram cada vez mais confiança na economia do país.

Saques extraordinários já somam 20% do patrimônio do FGTS

Para deputado, 'a nobreza do gasto não justifica o desvio do seu uso'.

Bolsas globais sobem após movimento do BC chinês

Corte de juros na China é um sinal positivo para Brasil, de modo que a Bolsa local possa acompanhar o bom humor global.