Pesquisa da pesquisa

Independentemente dos desdobramentos da questão no Judiciário, a investida do prefeito César Maia contra os institutos de pesquisa de opinião tem mérito inquestionável: trazer à luz do debate o papel desses institutos durante as campanhas eleitorais. Além de a divulgação dirigida dos números das pesquisas passar a substituir o debate sobre as propostas dos candidatos e a determinar a consistência ou não de candidaturas, os muitos e grosseiros erros cometidos – que chegaram a até 20 pontos percentuais (!), como no primeiro turno da eleição em Fortaleza – têm de, no mínimo, serem debatidos por uma CPI.

Mistérios
Afinal que tipos de segredos detém o senhor Eurico Miranda para assegurar o poder de mandar e desmandar no futebol brasileiro, sem sofrer obliteração do Congresso Nacional, de seus confrades e do Judiciário?

Gol
O governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, deu uma bola dentro ao proibir o reinício do jogo decisivo entre Vasco e São Caetano, em São Januário, no sábado. Num lance que misturou sorte e oportunismo, Garotinho conseguiu começar o ano com uma notícia positiva, fato cada vez mais raro no seu governo, principalmente pela escalada da violência e as trapalhadas na área de segurança pública. Por isso, alguns observadores acham que Garotinho – que demorou três dias para anunciar que iria processar o dirigente do Vasco Eurico Miranda, por danos à honra – deveria mesmo é dar um prêmio ao cartola vascaíno.

Temor
A redução da taxa de juros básica dos Estados Unidos em 0,5 ponto percentual é significativa quanto ao temor do Federal Reserve (Fed) sobre o tamanho da recessão que ronda os Estados Unidos. Embora reduzida em termos nominais, a queda, percentualmente,  corresponde a 7,69% sobre juros de 6,5%. Apesar de seus efeitos sobre a economia real não serem imediatos, são muito mais efetivos que as reduções a conta-gotas praticadas pelo Banco Central sobre a Selic.

Factóide?
A promessa do prefeito César Maia de cobrar ISS dos bancos parece ter sido anunciada sem consulta à Secretaria estadual de Fazenda. Segundo sua assessoria de Comunicação, o secretário Francisco de Almeida e Silva desconhece quanto e se a banca recolhe atualmente o ISS. Esse desconhecimento torna-se mais curioso, quando esta coluna recorda ter publicado na segunda metade do primeiro mandato de Maia que a banca estava isenta do pagamento deste imposto. Embora a nota ressalvasse que esse privilégio vigorava desde gestões anteriores, a assessoria do então prefeito foi mobilizada para garantir que tal isenção não existia, o que foi registrado, com prazer, pela coluna. A ser mantida de pé esta versão, essa isenção teria nascido no Governo Conde, mas o atual secretário de Fazenda a desconhece, embora seu chefe tenha anunciado a intenção de pôr fim ao privilégio.

Repercussão
A aproximação da África do Sul e do Mercosul mereceu matéria no The New York Times. O jornal norte-americano diz que o país mais rico da África quer reduzir a dependência dos mercados dos EUA e da Europa e por isso elegeu a América do Sul como parceiro preferencial. O movimento da África do Sul não só reduz a importância do afastamento do Chile do Mercosul, como possibilitará – se concretizado – a viabilidade do bloco regional como um dos mais importantes do mundo. A preocupação dos EUA ficou estampada na matéria do Times.

Imune
Os que alimentavam ilusões sobre o suposto caráter moralizador da Lei de Responsabilidade Fiscal tiveram nas decisões tomadas pelo prefeito Luiz Paulo Conde no apagar das luzes de sua administração e na inexistência de qualquer responsabilidade legal exemplo pedagógico sobre o verdadeiro caráter dessa legislação. Por trás do verniz supostamente moralizante, a lei esconde apenas o autoristarismo de estender a administrações estaduais e municipais o ajuste fiscal praticado pelo governo central como forma mais eficaz para manter em funcionamento a transferência de recursos para o pagamento dos serviços da dívida pública.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTragédias anunciadas
Próximo artigoBola de neve

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...