Petrobras autoriza negociações para venda de fatia da empresa na Argentina

Em prosseguimento aos planos de desinvestimento da estatal, que serão intensificados ao longo deste ano, a diretoria executiva da Petrobras aprovou a condução de negociações com a empresa Pampa Argentina para a alienação de sua participação na Companhia Petrobras Argentina.
Em nota divulgada hoje pela estatal brasileira, a Petrobras informou que as negociações se darão  “em caráter de exclusividade, por 30 dias, podendo ser estendido por igual período”. A nota afirma, no entanto, que a transação “ainda está sujeita à aprovação de seus termos e condições finais pela Diretoria Executiva e pelo Conselho de Administração da Petrobras, bem como pelos órgãos reguladores competentes”.
O anúncio da intenção de venda da fatia da estatal na Argentina foi feita no início deste ano e está inserida nas iniciativas que a Petrobras vem tomando para desmobilizar ativos. O objetivo é reduzir seu endividamento e captar recursos para projetos prioritários, principalmente na área de exploração, notadamente no pré-sal da Bacia de Campos.
Uma das quatro maiores empresas produtoras de petróleo e gás natural daquele país, a Petrobras Argentina atua na área de distribuição de petróleo, produtos petroquímicos e também atua na área de geração de energia.
Em encontro com a Imprensa no final do ano passado, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, já havia adiantado a intenção da estatal de intensificar, ao longo deste ano, o processo de desmobilização de alguns ativos da companhia.
Na ocasião, ele previu que o processo ocorreria de forma mais ágil e rápida em 2016. “Posso garantir que esse desinvestimento virá no próximo ano em uma velocidade muito maior do que se imagina. Não tenho dúvidas de que cumpriremos o valor planejado, porque as condições estão dadas, as negociações em andamento e as perspectivas são grandes”, disse.
A expectativa da Petrobras é de obter com o processo de desinvestimento recursos superiores a US$ 12 bilhões. O processo de desinvestimentos teve início, embora timidamente, no ano passado, quando a estatal vendeu parte de sua participação na Gaspetro para o capital privado.
Em outro comunicado, também divulgado hoje, a Petrobras informou ter dado início ao processo de venda de um conjunto de campos terrestres. A iniciativa, que também faz parte do Plano de Desinvestimento, “será feita através de processo competitivo”.
Na nota, a estatal informou que “o início da cessão dos direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural de um conjunto de campos terrestres, assim como a venda dos ativos relacionados a essas concessões”,  já havia sido autorizado pela sua diretoria executiva.

Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Tunisianos investem em azeite orgânico para entrar no Brasil

Segundo executivo, Tunísia está em primeiro lugar no ranking global de azeites orgânicos.

Leega lança solução de inteligência de dados marketing das empresas

Marketing Analytics combina arquitetura Cloud, engenharia de dados e machine learning.

Qyon Tecnologia planeja crescer 65% em 2022

Marca deve fechar ano com cerca de 100 franquias.

Últimas Notícias

SP é o segundo estado com maior potência de energia solar em telhados

Geração própria de energia solar no Rio ultrapassa 49,8 mil conexões em telhados e pequenos terrenos.

Mais de um terço das famílias relata queda da renda mensal

Estudo destaca comportamento das pessoas sobre gastos e dívidas no primeiro trimestre; mais impactados são famílias de menor renda.

Despesas de planos médicos atingiram R$ 206 bi na pandemia

Estudo mostra que aumento de 24% durante um ano está relacionado com a retomada de procedimentos médicos a partir de 2021.

Tunisianos investem em azeite orgânico para entrar no Brasil

Segundo executivo, Tunísia está em primeiro lugar no ranking global de azeites orgânicos.

População mais pobre está bastante pessimista em relação ao Brasil

Em contrapartida, segundo a Associação Comercial de São Paulo, classes AB e C mostram cada vez mais confiança na economia do país.