Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Um robô capaz de reduzir a exposição dos brigadistas em cenários de combate a incêndio já é realidade. O protótipo criado pela empresa Unidroid foi testado na Refinaria Henrique Lage, em São José dos Campos (Revap). O equipamento passou por testes também na Refinaria de Paulínia (Replan), informou a Petrobras nesta sexta-feira. A companhia não divulgou os valores envolvidos no projeto.

A Unidroid foi contemplada no edital de 2020 do Programa Petrobras Conexões para Inovação – módulo Startups. A aplicação tecnológica foi desenvolvida especialmente para a Petrobras e é a primeira no mundo adaptada para a indústria de óleo e gás e para área classificada (com risco de atmosfera inflamável).

Além de ajudar a preservar a segurança dos brigadistas, o robô permite resposta mais rápida e eficiente às emergências. O equipamento possibilita ainda acesso a locais onde não é possível o uso das viaturas de combate tradicionais. Ele também é resistente a altas temperaturas e pode ser controlado a distâncias de até 600 metros, permitindo que os brigadistas atuem afastados da zona de risco.
O consultor de Segurança de Processo da Petrobras Laurence Pereira Siqueira explica que a empresa já possuía um robô com boa base de engenharia a partir da qual foi possível aperfeiçoá-lo com uma versão direcionada ao combate a incêndio nas refinarias da companhia. “Fizemos diversas melhorias com a inclusão de acessórios de combate, facilidades de operação, requisitos de segurança, resistência a fogo, aumento na vazão de água e inclusão de monitoramento por câmeras térmicas, câmeras em HD colorida e óculos de realidade aumentada”, detalha Laurence.

Robôs em refinarias

Em 2023, a Petrobras já poderá ter os robôs disponíveis para operação nas refinarias. O protótipo está apto a operar também em área offshore, com algumas modificações quanto ao tipo de esteira e materiais em função da salinidade das plataformas. Apesar de ter sido desenvolvido para a Petrobras, o modelo pode ser comercializado para outras indústrias e utilizado até para o combate a incêndios em áreas urbanas e florestais.
Para o diretor de engenharia da Unidroid, José Carlos de Castro, a parceria com a Petrobras foi uma alavanca para a empresa. “A participação no edital foi uma oportunidade fantástica. Construímos um robô único no mundo aprovado para a indústria de óleo e gás e esperamos que muitos negócios surjam a partir de agora”, afirma José Carlos.
O programa nasceu do interesse da Petrobras de estreitar o relacionamento com o ecossistema de inovação, especialmente com startups e pequenas empresas de base tecnológica. O investimento direcionado às empresas contempladas com o programa visa atender demandas mapeadas na companhia e o desenvolvimento ágil de soluções com possibilidade de implantação na indústria de óleo e gás.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Petrobras desenvolve mapeamento digital

Petroleira diz que já conseguiu mapear uma área de 18.700 km² (equivalente a 85% do território de Sergipe)

Micros geram renda de R$ 420 bilhões por ano

Correspondem a 30% do PIB.

Empresas apostam em solução SaaS flexível para incentivar equipes

Empresas como Coca-Cola, iFood e Unimed aderem à ferramenta e startup multiplica a carteira mais de 3 vezes em menos de 2 anos.

Últimas Notícias

Macron reforma Gabinete da França

A primeira-ministra Elisabeth Borne deve apresentar hoje o programa do novo governo na Assembleia Nacional.

Viagens tiveram queda de 41% entre 2019 e 2021

Dados são da Pnad Contínua Turismo 2020-2021, do IBGE; já as corporativas superaram R$ 1 bi em faturamento em maio deste ano.

Ovo aumentou 202,13% acima da inflação oficial

Pesquisa do IBPT analisou o preço de 40 produtos, entre março de 2020 e maio de 2022.

Exterior misto deve acrescentar volatilidade nos negócios locais

Nesta quarta, dólar também ganha força ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o que deve pressionar o real.

BNDES: R$ 317,2 milhões nos aeroportos de Mato Grosso

Ao todo serão investidos R$ 500 milhões nos quatro aeroportos, com participação de 65% do BNDES