Petrobras lidera

A produção de petróleo em águas profundas no chamado “Triângulo Dourado” – formado pelo Golfo do México, Brasil e Nações do oeste africano, como Angola e Nigéria – devem crescer aproximadamente de 2,5 milhões de barris diários em 2003 para 6,6 milhões até 2008. O Brasil, líder em tecnologia de exploração e produção em águas profundas, posição obtida pela nacional Petrobras, responde por cerca de 1,2 milhão de barris diários, que deve crescer para cerca de 2,2 milhões em 2008. O Golfo do México produziu cerca de 1 milhão de barris por dia em campos de águas profundas em 2003; a previsão é que dobre este volume em 2008. Já na África o salto deverá ser dos 300 mil barris diários de 2003 para 2,2 milhões em 2008, igualando-se à produção brasileira. Após aquele ano a estimativa é que o continente africano supere a produção do Golfo do México e do Brasil. As cotas da Opep, entretanto, podem restringir a capacidade da Nigéria de realizar a expansão de capacidade. As previsões são da consultoria especializada IHS Energy

Louros
Embora a iniciativa tenha sido do Judiciário, a decisão de identificar norte-americanos em viagem ao Brasil, a exemplo do que Bush faz com os nacionais daqui, ainda rende frutos ao governo Lula. Brasileiros que moram no exterior contaram à coluna que até hoje recebem parabéns de povos de hábitos tão distintos quanto franceses e australianos, pela decisão do Brasil e que, lá fora, é atribuída ao governo Lula.

Alô
Mais um passo para o Brasil colocar sua bandeira no mercado de informática não somente como importador será dado pela Dígitro Tecnologia, fabricante de soluções de telecomunicações para ambiente corporativo, operadoras e provedores de serviços. Junto com a empresa norte-americana de software Cincom Systems, a companhia brasileira iniciará exportações de centrais de atendimento pronta para uso (dispensa serviços de integração de software). Projetada para atender centrais de todos os portes, o maior espaço será no segmento de call centers pequenos e médios.

Micros
Começa hoje, em Brasília, mais uma rodada de discussões sobre a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Seminário reunirá no auditório da Confederação Nacional do Comércio (CNC) parlamentares, empresários de micro e pequenos negócios e especialistas. Estarão em debate a situação atual do segmento, os desafios e propostas para supera-los. O início será às 9h, no auditório da CNC (Setor Bancário Norte, Quadra 1, Bloco B, Edifício CNC, 1º subsolo).

Colchão
Se o jornalismo investigativo acionado no caso Maluf for estendido aos proprietários dos cerca de US$ 100 bilhões que nacionais mantêm na Suíça, segundo estimativas conservadoras, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil ganharia uma importante hedge contra a manutenção da política econômica do ministro Palocci.

Artigo anteriorAmnésia
Próximo artigoO outro
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.