Petrobras lidera

A produção de petróleo em águas profundas no chamado “Triângulo Dourado” – formado pelo Golfo do México, Brasil e Nações do oeste africano, como Angola e Nigéria – devem crescer aproximadamente de 2,5 milhões de barris diários em 2003 para 6,6 milhões até 2008. O Brasil, líder em tecnologia de exploração e produção em águas profundas, posição obtida pela nacional Petrobras, responde por cerca de 1,2 milhão de barris diários, que deve crescer para cerca de 2,2 milhões em 2008. O Golfo do México produziu cerca de 1 milhão de barris por dia em campos de águas profundas em 2003; a previsão é que dobre este volume em 2008. Já na África o salto deverá ser dos 300 mil barris diários de 2003 para 2,2 milhões em 2008, igualando-se à produção brasileira. Após aquele ano a estimativa é que o continente africano supere a produção do Golfo do México e do Brasil. As cotas da Opep, entretanto, podem restringir a capacidade da Nigéria de realizar a expansão de capacidade. As previsões são da consultoria especializada IHS Energy

Louros
Embora a iniciativa tenha sido do Judiciário, a decisão de identificar norte-americanos em viagem ao Brasil, a exemplo do que Bush faz com os nacionais daqui, ainda rende frutos ao governo Lula. Brasileiros que moram no exterior contaram à coluna que até hoje recebem parabéns de povos de hábitos tão distintos quanto franceses e australianos, pela decisão do Brasil e que, lá fora, é atribuída ao governo Lula.

Alô
Mais um passo para o Brasil colocar sua bandeira no mercado de informática não somente como importador será dado pela Dígitro Tecnologia, fabricante de soluções de telecomunicações para ambiente corporativo, operadoras e provedores de serviços. Junto com a empresa norte-americana de software Cincom Systems, a companhia brasileira iniciará exportações de centrais de atendimento pronta para uso (dispensa serviços de integração de software). Projetada para atender centrais de todos os portes, o maior espaço será no segmento de call centers pequenos e médios.

Micros
Começa hoje, em Brasília, mais uma rodada de discussões sobre a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Seminário reunirá no auditório da Confederação Nacional do Comércio (CNC) parlamentares, empresários de micro e pequenos negócios e especialistas. Estarão em debate a situação atual do segmento, os desafios e propostas para supera-los. O início será às 9h, no auditório da CNC (Setor Bancário Norte, Quadra 1, Bloco B, Edifício CNC, 1º subsolo).

Colchão
Se o jornalismo investigativo acionado no caso Maluf for estendido aos proprietários dos cerca de US$ 100 bilhões que nacionais mantêm na Suíça, segundo estimativas conservadoras, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil ganharia uma importante hedge contra a manutenção da política econômica do ministro Palocci.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAmnésia
Próximo artigoO outro

Artigos Relacionados

Lei determina que estatais respeitem interesse público

Acionistas da Petrobras sabem que ela tem obrigações e bônus por ser de economia mista.

Plano B dos bilionários dos EUA

Fuga dos impostos, de Trump e dos bloqueios levam a dupla cidadania.

É a inflação, estúpido

Preços não dão trégua a Bolsonaro em ano de eleição.

Últimas Notícias

Criação de mais um monopólio privado regional

Recurso de petroleiros contra decisão do Cade sobre venda da Reman

Restrição do Fed pode impulsionar a saída de capital dos países da AL

Sinalizou uma política monetária mais restritiva em meio às expectativas de inflações mais altas

Setores fortemente impactados com a pandemia reagem na Bolsa

Alta é influenciada pelo anúncio da reabertura gradual da China

China está confiante na recuperação econômica

Produção de carvão bruto, petróleo bruto e gás natural aumentou 10,7%, 4% e 4,7%, respectivamente, ano a ano

B3 lança fundo para investir em startups

Nova frente nasce com capital de R$ 600 milhões